[Vídeo] Irmão de Medula chega à 5ª edição com 2 mil novos candidatos a doadores registrados no ES

Interrompida em 2020 por conta da pandemia, campanha de conscientização sobre a doação de medula óssea e de registro de novos doadores aconteceu neste sábado (16), no Clube dos Oficiais da Polícia Militar, em Vitória

 [Vídeo] Irmão de Medula chega à 5ª edição com 2 mil novos candidatos a doadores registrados no ES

Foto: Reprodução/TV MovNews

O Espírito Santo tem aproximadamente 170 mil pessoas inscritas como candidatas a doadoras de medula óssea. Desse total, pelo menos duas mil se dispuseram a socorrer quem precisar de um transplante graças à campanha Irmão de Medula, cuja quinta edição aconteceu neste sábado (16), no Clube dos Oficiais da Polícia Militar, em Jardim da Penha, Vitória.

A ação busca conscientizar a população sobre a importância da causa e, assim, a aumentar as chances de pacientes de conseguirem um doador 100% compatível.

Idealizado pelo ex-treinador das seleções capixaba e brasileira de futebol de areia Jorge Ferreira Alves, o Índio, o projeto é executado por técnicos do Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes), que efetuam o cadastro de doadores e coletam as amostras de sangue para, futuramente, em caso de compatibilidade confirmada com algum paciente, ser realizado o transplante de medula.

“Hoje, depois de cinco edições, podemos afirmar com toda certeza de que alcançamos a marca de duas mil pessoas inscritas nos hemocentros do Espírito Santo. Isso não é uma vitória minha, é de todos os apoiadores e voluntários, de todos que acreditam na esperança. Só temos a agradecer”, disse Índio, por telefone, após o término desta edição.

Para o também professor de educação física e subsecretário de Esportes e Lazer da capital, a cura da leucemia diagnosticada em 2012 esteve na família durante toda sua vida: o irmão Ferreira Neto. Em 2015, após duas recaídas na luta contra o câncer, ambos souberam que o consagrado radialista capixaba era totalmente compatível para o transplante de medula óssea.

Mas diferente do ex-técnico das seleções capixaba e brasileira de futebol de areia, a maior parte dos pacientes não consegue um doador na família.

Para dar esperança a essas pessoas existe o Redome, sigla para Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea, que é coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão auxiliar do Ministério da Saúde. Hoje, o Brasil tem de 5,3 milhões de cadastrados, o terceiro maior registro do mundo.

Dada a relevância da causa, o local escolhido para sediar a quinta edição do Irmão de Medula recebeu diversos novos registros de doadores, inclusive de autoridades políticas e de dezenas de alunos-soldados da Polícia Militar, que chegaram em dois ônibus para aderir à causa.

Assista à íntegra da matéria:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *