Meta a Colher: Vitória terá intervenção pelo fim da violência contra mulheres

0

Vitória terá nesta sexta-feira (24) uma intervenção pelo fim da violência contra as mulheres. O evento será realizado às 12h, em frente à Assembleia Legislativa do Espírito Santo, com atividades para levar a sociedade a refletir sobre o padrão de comportamento que afeta mulheres, crianças e familiares. 

Serão duas horas de atividades, com música e a distribuição de uma sobremesa que será degustada com colher, em alusão ao antigo ditado popular. A proposta da intervenção é orientar as pessoas sobre como intervir de forma segura, informar  sobre os serviços especializados e gratuitos que acolhem as vítimas e enfatizar que a violência contra a mulher é crime. 

A ação faz referência ao Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres (25 de novembro) e integra a campanha internacional dos 16 Dias de Ativismo: Vitória pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que é realizada simultaneamente em mais de 100 países.

De acordo com a Prefeitura de Vitória, equipes da Secretaria de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho (Semcid) vão realizar abordagens educativas nos locais, com materiais informativos sobre as diferentes formas de violência doméstica e de gênero, Lei Maria da Penha, feminicídio e a rede de serviços de proteção à mulher na capital.

Como ajudar?

“Comportamentos simples como acolher a pessoa em situação de violência e orientá-la sobre os serviços especializados já contribuem para que ela interrompa o ciclo abusivo. Desta forma, todos podem “meter a colher”: vizinhos, amigos, familiares. “Metendo a colher” podemos salvar vidas”, explica a gerente de Direitos Humanos da Semcid, Renata Segóvia.

Meta a Colher 2023 – divulgação

Atitudes que podem fazer a diferença:  

  • Acolher: escutar sem julgar nem colocar a culpa em quem sofreu a violência.
  • Reconhecer a relação abusiva: saber os tipos de violência e o que diz a Lei Maria da Penha.
  • Orientar: indicar os serviços públicos gratuitos e especializados, como o Cramsv e a Casa Rosa, que vão acompanhar e encaminhar os casos mais graves. Em Vitória, as mulheres contam com o Botão do Pânico e com uma casa secreta, para proteção emergencial, por exemplo.
  • Denunciar: se for uma situação emergencial, ligue para o 190. Se não, denuncie pelo número 180.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui