sábado, 25 de maio de 2024
22.1 C
Vitória

‘Novembro Roxo’: no Dia Mundial da Prematuridade, hospitais estaduais promovem ações no ES

O Dia Mundial da Prematuridade, lembrado nesta sexta-feira (17), vai ganhar comemorações especiais nos hospitais da rede estadual do Espírito Santo, como o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, localizado na Serra, e o Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha.

O mês atual é marcado pela campanha “Novembro Roxo”, com ações concentradas, principalmente, neste dia 17. A data marca o dia em que o mundo se une para abordar sobre o parto prematuro e discutir ações que melhorem a vida dos bebês e suas famílias.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), no Himaba, a atividade acontece às 15 horas, com a Festa da Família Canguru, na área verde da unidade. Já no Hospital Estadual Dr. Jayme, o reencontro especial em homenagem ao dia será realizado às 14 horas, na Praça Central da unidade.

Encontro da Família Canguru

Há mais de 10 anos, o Himaba promove o Encontro da Família Canguru, evento realizado no mês de novembro para integrar familiares de recém-nascidos que estiveram internados no hospital e sensibilizar profissionais sobre os cuidados essenciais com bebês que nascem entre 22 e 37 semanas.  

Neste ano, a atividade acontece na área anexa da maternidade do Hospital, administrado pelo Instituto Acqua, em parceria com a Sesa. A programação contará com um lanche para as famílias e a apresentação do coral de funcionários da unidade, com músicas alusivas à prematuridade.

No ano de 2012, via Ministério da Saúde, a unidade recebeu o reconhecimento de referência estadual em método canguru, importante técnica utilizada para favorecer o desenvolvimento de bebês prematuros. O método é uma norma de atenção humanizada voltada ao recém-nascido prematuro, com menos de 37 semanas e baixo peso (menos de 2,5Kg), buscando deixar a criança em contato direto (pele a pele) com a mãe, na posição canguru, para estimular o aleitamento materno e o vínculo afetivo, além de evitar infecções e diminuir o tempo de internação. 

Segundo a coordenadora e tutora do Centro Estadual de Referência do Método Canguru no Himaba, Angelica Carvalho, o encontro é uma forma de estimular a rede de apoio entre familiares que já passaram pelo período de internação com seus filhos prematuros e os que estão passando atualmente. 

“Neste ano, já atendemos 128 prematuros e, em média, a cada ano atendemos cerca de 180 bebês. Temos o compromisso de compartilhar informações importantes e que auxiliem no desenvolvimento desses recém-nascidos. A todo momento reiteramos a importância dos pais nesse processo, que depende muito do contato pele a pele, da demonstração de afeto e da prática do aleitamento materno. Quando integramos essas famílias, possibilitamos a identificação entre eles. É quando se dão conta de que não estão sozinhos, mas que têm muitas pessoas dispostas a ajudar”, explica Angelica Carvalho.

Himaba – Foto: Reprodução/Sesa

Método Canguru 

A técnica acontece em três etapas. A primeira começa desde o pré-natal, ao identificar o possível nascimento de um bebê prematuro, e continua com o acompanhamento do bebê pela mãe e o pai, dentro da Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIM), que é quando a criança já entra da forma mais precoce possível na posição canguru — a criança fica na vertical — e é realizada pelo maior tempo possível, evitando refluxo, menor risco de sufocamento e de parada da respiração durante o sono. Para isto, são utilizadas faixas facilitadoras para esta postura.

A segunda etapa ocorre em uma Unidade de Cuidados Intermediários, que faz parte da UTIM. Nessa etapa, o bebê permanece de maneira contínua com mãe e a posição canguru, e ela aprendendo todos os cuidados necessários para levar o bebê para casa em segurança. Esse período funciona como um estágio de pré-alta hospitalar.

Após a alta médica, a terceira etapa caracteriza-se pelo acompanhamento da criança e da família no ambulatório até atingir o peso de 2,5 quilos e 40 semanas de idade gestacional corrigida. O trabalho é feito com o suporte de uma equipe multiprofissional treinada e consciente de sua importância.

Frente do Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santos Neves, na Serra. Foto: Divulgação

Ação no Hospital Dr. Jayme

No Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, a ação vai reunir profissionais da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIM), mães de bebês que estão internados no setor, além de 20 crianças que precisaram dos cuidados da UTIM e, atualmente, estão em casa com suas famílias.

Entre os convidados, vai ocorrer um reencontro muito esperado por toda equipe. Um exemplo é Sophya Vitória, que nasceu há dez anos na Maternidade de Alto Risco do Hospital Dr. Jayme, pesando apenas 770 gramas. Prematura extrema, ela precisou ficar internada por mais de quatro meses sob os cuidados intensivos da unidade.

“Poder reencontrar esses nossos eternos pequenos nos traz uma felicidade genuína. Para nós, é muito mais do que comemorar e ter a certeza de que o trabalho, a dedicação e o esforço de toda equipe valem a pena”, completou a diretora assistencial do Hospital Dr. Jayme, Alessandra Bernardino.

A festa, organizada pela unidade Materno-Infantil, com o apoio de demais setores do Hospital Dr. Jayme e de voluntários, vai contar com os tradicionais bolo e docinho, além de brincadeiras e muita troca de experiência.

A coordenadora da UTIM do Hospital Dr. Jayme, a médica Silvia Louzada, lembra do esforço e dedicação da equipe da unidade. “Reencontrar essas crianças é uma alegria, é o resultado de um trabalho incessante de toda a equipe. Ver a felicidade desses pais e encorajar aqueles que ainda têm seus bebês internados mostra que estamos no caminho certo”, disse.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -