domingo, 14 de agosto de 2022
21 C
Vitória

O frio chegou: Médica alerta para mitos e verdades sobre as dores de garganta

O inverno já começou e com ele ocorre a temida mistura de tempo seco, comum da estação. Alinhado com o frio elevado, são presentes os diversos danos à saúde. Gripes e resfriados estão entre as doenças mais comuns da estação, mas os médicos também alertam para as dores de garganta que tendem a aumentar nos períodos mais frios.

A dor de garganta não é uma doença específica, mas um sintoma que pode ser causado por diversas patologias, como amigdalites, faringites e laringites, conforme define a médica de Família e Comunidade, Carolina Antunes de Freitas.

Médica de Família e Comunidade, Dra. Carolina Antunes de Freitas. Foto: Arquivo pessoal

“É um processo irritativo, de situações que irritam a nossa garganta, pode ser gerado por origem viral, principalmente pelo vírus Influenza, bacteriana ou até mesmo gerado por alimentos irritadiços”, explica.

Além da dor presente no local, a situação é geralmente acompanhada de outros sintomas, como, por exemplo tosse, dificuldade para engolir, rouquidão, perda da voz, vermelhidão e inchaço no local, febre, pus nas amígdalas, mal-estar, falta de apetite, entre outros”.

Existem diversas dúvidas e questões sobre as dores de garganta, principalmente durante o inverno. Separamos algumas:

Por que elas aparecem mais no frio? 

Segundo a especialista, durante os períodos de inverno, os indivíduos possuem a tendência de ficar em espaços mais fechados. “Os vírus circulam mais fácil nesses ambientes, em busca de um hospedeiro: o vírus acaba se proliferando mais rápido com muitas pessoas juntas. Por isso aconselho deixar sempre uma janela aberta para a circulação do ar”, destaca.

Durante essa época do ano também são muito frequentes as gripes, resfriados e alergias. A dor de garganta é um sintoma que aparece muitas vezes em conjunto com essas doenças.

Posso tomar sorvete? 

Segundo a médica, sim e não, dependendo da situação presente na dor de garganta e quadro clínico do paciente. “Além disso, o simples ato de tomar sorvete não faz com que ocorra a queda de temperatura geral, entretanto, se a dor de garganta for infecciosa ela pode piorar. Isso acontece porque, em baixa temperatura, os cílios da mucosa podem paralisar, prejudicando o funcionamento e piorando a infecção”, ressalta.

Pastilhas de hortelã ajudam? 

Sim! A especialista explica que elas ajudam proporcionando uma leve sensação de anestesia no local. “A mesma ação do própolis, eucalipto e Romã. Além disso, podemos dizer que as balas e chás naturais possuem menos contraindicações do que tomar os anti-inflamatórios ou outras categorias de remédios como antibióticos”.

Ar condicionado, poluição e baixa umidade causam dor? 

A especialista destaca que sim. O ar condicionado promove uma queda de temperatura do ambiente. Além disso, ele vai retirar a umidade presente no ar, fazendo com que as vias aéreas se ressequem.

“A mesma situação acontece com a poluição e com a baixa umidade do ar, deixando a garganta mais seca. Por isso, no centro sul do país são utilizadas técnicas como colocar bacia de água nos quartos para devolver a umidade”, ressalta.

Só é possível curar a dor de garganta com antibiótico? 

A médica ressalta que não, e é aconselhado que o paciente procure ajuda médica. A utilização do antibiótico é necessária dependendo do fator da agressão das vias respiratórias. “Quando a garganta inflamada é causada por bactérias, ela certamente será tratada com antibióticos, entretanto, em outros casos, pode ser resolvida apenas com gargarejos, chás, entre outros”, descreve.

Mas se outros sintomas aparecerem é um sinal de “evolução da doença”. “As complicações que podem surgir quando não há tratamento adequado são sérias, por isso, caso haja progressão da febre, dores de ouvido ou outras dores aparecerem deve-se procurar tratamento”, explica.

Além disso, Dra. Carolina ressalta a importância dos hábitos da higiene respiratória.

“São pequenos hábitos, mas, no final, fazem toda a diferença. São eles: cobrir a boca e o nariz com um lenço ao tossir ou espirrar. Caso não tenha um lenço, utilize o braço. Importante fazer a higienização das mãos com frequência, evitar aglomerações e ambientes fechados. Caso esteja doente, evite contato com outras pessoas”.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -