sábado, 25 de junho de 2022
21 C
Vitória

Endometriose: 5 informações que toda mulher precisa saber sobre a doença

Problema de saúde que causa sérias dificuldades na vida de muitas mulheres, a endometriose afeta cerca de 10 a 15% população feminina no País, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Entre os principais sintomas, cólicas fortes e progressivas, dores durante a relação sexual e outros, que inclusive podem levar à infertilidade.

A endometriose é uma doença inflamatória provocada por células do endométrio (tecido que reveste o útero) que, em vez de serem expelidas durante a menstruação, se movimentam no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar.

A médica ginecologista Thaissa Tinoco (@drathaissatinoco) explicou que, em boa parte dos casos, essa patologia demora em ser diagnosticada. “Muitos desses sintomas são ignorados e isso retarda a descoberta da endometriose. Quanto mais cedo for o diagnóstico, mais chances de se obter um tratamento bem-sucedido”, afirmou a médica.

A médica ginecologista Thaissa Tinoco (@drathaissatinoco) explicou que, em boa parte dos casos, essa patologia demora em ser diagnosticada.

Confira 5 informações importantes sobre a endometriose:

1 – Dor forte não é frescura
Se as cólicas ou dores pélvicas forem incapacitantes, isso pode ser sinal de endometriose. É importante consultar um ginecologista e relatar essas queixas. Assim, o médico poderá fazer uma investigação criteriosa e prescrever o tratamento adequado.

2 – Nem todo caso precisa de cirurgia
O tratamento vai depender de cada caso e pode ser feito por meio de medicamentos hormonais e não hormonais e outras terapias, como fisioterapia ou acupuntura. Em outros casos, há a necessidade de intervenção cirúrgica, que proporciona uma melhora clínica para 80% a 90% das pacientes, mas a cirurgia não é a única opção de tratamento.

3 – Endometriose não é diagnóstico de infertilidade
Embora a doença esteja relacionada à dificuldade de engravidar, nem todos os casos vão causar infertilidade. Vai depender do diagnóstico precoce e do tratamento proposto para cada caso. Muitas mulheres conseguem engravidar após o tratamento.

4 – Alimentação é uma aliada no tratamento
Uma alimentação equilibrada é essencial para fortalecer o sistema imunológico e contribuir para o sucesso do tratamento. É importante ingerir alimentos que tenham uma ação anti-inflamatória. Vale fazer um acompanhamento com um nutricionista.

5 – Acompanhamento psicológico é importante
Além do tratamento com ginecologista, o acompanhamento psicológico pode ajudar a paciente a lidar com a doença. Por causa das dores e da doença estar ligada à infertilidade, muitas mulheres podem desenvolve quadros de ansiedade e até depressão.

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -