domingo, 8 de maio de 2022
26.9 C
Vitória

Estado forma primeira turma do Programa de Residência Médica e Multiprofissional

Profissionais de diversas áreas participaram da formação continuada em Saúde.

O Estado já conta com 100 profissionais, de diversas áreas, formados nos Programas de Residências Médicas e Multiprofissionais da Secretaria da Saúde (Sesa). Os servidores são formandos das residências em Acupuntura, Medicina de Família e Comunidade, Cuidados Paliativos, Saúde Coletiva com ênfase em Vigilância em Saúde, Saúde Mental e Saúde da Família.

Os cursos foram ofertados pelo Governo do Estado por meio do Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação à Saúde (ICEPi).

  • Médicos
  • Enfermeiros
  • Cirurgiões-dentistas
  • Psicólogos
  • Fisioterapeutas
  • Farmacêuticos
  • Fonoaudiólogos
  • Nutricionistas
  • Biólogos
  • Médicos
  • Veterinários
  • Educadores
  • Físicos
  • Terapeutas ocupacionais,

Ao todo, atuaram durante dois anos em Unidades Básicas de Saúde (UBS), hospitais da Rede Estadual, Centros Regionais de Especialidades (CREs), Centros de Atenção Psicossociais (Caps) e demais serviços de saúde.

O evento de formatura, realizado em Vitória, teve a participação do governador do Estado, Renato Casagrande (PSB), que defendeu o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Durante a pandemia o SUS funcionou e salvou vidas. Estamos formando profissionais especialistas para fortalecer ainda mais o SUS. A Sesa tem um trabalho importante feito pelo ICEPi para entregar profissionais de altíssima qualidade, visando uma saúde de excelência. São profissionais que agora estão à disposição do Espírito Santo e de todo o Brasil”, declarou.

Para o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, a formatura dos residentes é uma grande conquista.

“Essa geração de especialistas foi formada na pandemia de Covid-19, uma época muito difícil. Hoje, são esperança para o futuro do Sistema Único de Saúde e celebramos neste evento 100 grandes vitórias”, enfatizou.

Representando os formandos, Luana Roberta Oliveira Costa leu uma carta aberta aos residentes com o relato das experiências vividas nesses dois anos.

“Desenvolvemos ações, coordenamos atividades, atendemos os pacientes, produzimos artigos, criamos vínculo, conversamos, nos posicionamos, fizemos grupos on-line e presencial. Fomos protagonistas de mudanças nos territórios”, discursou.

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -