quarta-feira, 29 de junho de 2022
22.7 C
Vitória

Covid-19: Com quase mil casos confirmados em uma semana no ES; secretário faz apelo

O número de casos confirmados da Covid-19 vem subindo no Espírito Santo. Em apenas uma semana, foram 919 infecções confirmadas, quantidade bem superior ao registrado nas quatro semanas anteriores, quando foram 321 casos durante o período. E a tendência é de alta nos próximos dias, segundo o secretário de Estado da Saúde (Sesa), Nésio Fernandes.

“Saímos de 321 casos confirmados pela Covid-19 há quatro semanas para 919 casos na última semana. Até o primeiro dia útil dessa semana corrente, já alcançamos 285 casos da Covid-19. A positividade dos testes de antígeno saiu da casa de 1% para 7% e dos testes de RT-PCR de menos de 1% para 3% neste momento”, disse Fernandes em pronunciamento no final da manhã desta terça-feira (17)

Os dados encerram uma sequência positiva para o Estado. Eram semanas consecutivas de redução da curva de casos. Ainda assim, de acordo com o secretário, o mês de maio vem registrando os índices mais baixos de mortalidade pela Covid-19. Até o momento, foram contabilizados 2 óbitos, com expectativa de que não se chegue a 10 até o fim do mês.

“Isso representa um cenário em que o crescimento de casos acende um alerta para a população. Devemos ter, ao longo dessas últimas semanas, uma taxa de transmissão superior a 1 no Espírito santo, tanto na Grande Vitória quanto no interior. Precisamos reforçar as medidas capazes de reduzir o risco de impacto de uma nova onda em termos de internação e de óbitos”, alertou.

Do alerta sobre o presente quadro, Fernandes foi ao apelo à população: para que as pessoas com vacinas atrasadas procurem ficar em dia com a imunização. Ao todo, são 1,4 milhão de capixabas com a segunda e a terceira dose (D2 e D3) em atraso.

Para o secretário, esse contingente pode representar um risco muito grande de aumento dos índices de internações e óbitos pelos próximos 90 dias. A situação seria mais tranquila se o Estado tivesse uma “cobertura vacinal de 90% a cada faixa etária com esquema indicado”, explicou.

A taxa projetada ainda não foi alcançada nos diversos grupos aptos à imunização. Ainda assim, praticamente 90% da população adulta do Estado já tomou, pelo menos, a D1 ou  a D2 e, no caso dos idosos (acima de 60 anos), já receberam a D3. No caso do segundo reforço (D4), também para os mais velhos, os índices agradam. Em contrapartida, crianças de 5 a 11 anos representam o grupo que mais preocupa.

“A cobertura da vacinação do segundo reforço para população acima dos 60 anos anda numa velocidade superior à velocidade de vacinação das crianças. Alcançamos 46% de cobertura da D4 na população idosa, não obstante, termos começado no final de março a vacinação dessa população, enquanto na população infantil de 5 a 11 anos, que iniciou a vacinação em janeiro, vamos alcançando agora 51% de cobertura de D1 e 5% de D2”.

Para os próximos três meses, os objetivos são atingir 90% de cobertura da segunda dose para crianças e adolescentes (faixa de 12 a 17 anos que, atualmente, está em 70%), além dos 90% também para D3 e D4 de idosos. Tais níveis de vacinação vão, segundo Fernandes, mitigar o risco de qualquer impacto mais agressivo nas internações e mortes.

“Nós temos na pressão assistencial neste mesmo período uma média de 4,75 pacientes confirmados com a Covid-19 demandando leitos por semana à central de vagas do nosso estado. Temos uma capacidade assistencial adequada para suportar a pressão das diversas demandas que atingem o sistema de saúde. Entendemos que o momento necessita de uma atualização da avaliação dos cenários possíveis”, afirmou.

Também preocupa a queda no ritmo de vacinação: passou de 22 mil doses aplicadas em média por dia para 6 mil doses. “Precisamos recuperar a capacidade de vacinação da população e deixar claro que a vacinação é uma medida de prevenção e controle”, reforçou.

O titular da Sesa anunciou ainda a adoção de novas medidas para atingir a meta de 90% de toda a população capixaba vacinada. A principal delas é a realização de, no mínimo, um mutirão de vacinação por mês até o final do ano organizado pelo Estado, em parceria com as prefeituras. A pactuação virá na forma de resolução publicada no Diário Oficial (DIO-ES).

“Além disso, nós temos um cenário onde foram ampliados em 70% o número de salas de vacinas em todo Estado. Pactuamos com os municípios uma recomposição da capacidade de oferta de vacinação também em horários diferenciados e novos mutirões de vacinação que devem ocorrer também de maneira individual nos municípios, em locais de alto fluxo e em dias festivos. Acreditamos que grande parte da população que está apta a ser vacinada ou que está com esquema atrasado poderá ser alcançada”, concluiu.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -