quarta-feira, 18 de maio de 2022
25.9 C
Vitória

Nutricionista apresenta alimentos que auxiliam no combate à ansiedade

A ansiedade afeta 18,6 milhões de brasileiros segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgados em outubro de 2021 pelo Ministério da Saúde. De acordo com as informações, mundialmente os transtornos mentais são responsáveis por mais de um terço do número de pessoas incapacitadas nas Américas.

A alimentação está associada à gravidade ou melhora da ansiedade, é o que diz a nutricionista capixaba Bianca Passos. Alimentos à base de carboidratos e gorduras ruins fazem parte da dieta  do ansioso que, por diversas vezes, segundo a profissional,  são tomados pela falsa sensação de fome e o excesso de procura pelo prazer momentâneo através do paladar e ingestão de comidas que não possuem nutrientes. 

Bianca explica que o paciente ansioso tem uma relação cíclica prejudicial com a comida, pois existe uma busca por alimentos gordos para aliviar a ansiedade,  que causam um processo inflamatório no corpo no período de estresse e acentua ainda mais os sintomas da tensão ansiosa. 

Hábitos necessários

Embora não exista alimento específico para a cura da ansiedade, a nutricionista explicou que a falta da alimentação correta nesse período ansioso impede que o indivíduo acometido pela doença não absorva nutrientes necessários para combater o problema e tratá-lo através de bons alimentos. Bianca fala que fazer ingestão de frutas, beber água, consumir fibra e alimentos ricos em ômega são hábitos essenciais para o combate à ansiedade.

“Existem nutrientes que melhoram a questão da ansiedade, o  ômega 3, por exemplo, o cálcio, alimentos com triptofano, magnésio, fibras, complexo vitamínico B podem ser auxiliares no tratamento, eles melhoram a saciedade e ajudam na ansiedade. Porém, não existe um alimento específico, a pessoa precisa buscar melhora na ansiedade procurando um nutricionista, realizando alimentações por cardápio e a cada 3 horas, evitando ficar muito tempo sem se alimentar porque quando sentir fome vai acabar optando por alimentos mais gordos”, explicou 

A seguir, confira a importância de cada nutriente para o corpo:

  •  Ômega-3

Ao contrário dos alimentos gordurosos, o  ômega-3 é uma gordura boa e rica em Ácido Eicosapentaenóico (EPA) que atua na produção de substâncias anti-inflamatórias para o coração e da circulação sanguínea e o Ácido Docosahexaenoico (DHA) que é um antioxidante que beneficia a saúde do cérebro e os processos cognitivos.

O suplemento ômega-3 pode ser encontrado naturalmente no atum, salmão, na linhaça, sardinha, castanhas, abacate e chia.

  • Magnésio

O nutriente magnésio auxilia no tratamento do estresse e da ansiedade pois possui compostos que melhoram a função do cérebro. Esse mineral pode ser encontrado naturalmente na aveia, espinafre, sementes de abóbora, sésamo, linhaça, chia, castanha do pará, amendoim, banana e amêndoas. 

  •  Triptofano

O aminoácido triptofano ajuda na produção do hormônio da felicidade, a serotonina, que tem uma função essencial para combater o estresse, insônia e depressão. Na alimentação, ele é naturalmente encontrado  no cacau, queijo, tofu, abacaxi, chocolate preto, frutos secos, banana, frango, carnes, peixes, ovos, amêndoas, castanha e nozes. 

  • Vitaminas do complexo B

A vitamina B12, B6 e ácido fólico são nutrientes imprescindíveis para regular o sistema nervoso e também produz serotonina, pode ser encontrado naturalmente em grãos integrais, arroz integral, pães integrais, aveia, banana, espinafre e outros vegetais verdes. 

  •  Fibras

Essencial para a saúde intestinal, as fibras aumentam a saciedade, regulam os níveis de açúcar no sangue e podem ser encontrados nas frutas, vegetais, alimentos integrais, leguminosos e outros. 

Uma alimentação repleta de alimentos processados, fast foods e excesso de açúcar pode prejudicar ainda mais o ansioso, de acordo com a nutricionista. A ansiedade, se não acompanhada pode piorar ainda mais a condição da pessoa acometida pela doença. O ansioso pode tanto sofrer com o emagrecimento adoecido ou o engordar também de forma prejudicial.

“As pessoas que sofrem de ansiedade, saem do equilíbrio que temos que ter em relação aos alimentos. Então, quando desequilibra, elas buscam o prazer ao reduzir a tensão descontando na comida ou perdem o paladar e quando perdem geralmente fazem esse emagrecimento, aí o acometido pela ansiedade pode entrar até mesmo em depressão por perdas nutricionais importantíssimas, e quando a pessoa busca o prazer no alimento, ela vai ganhar peso e isso pode trazer outras doenças futuramente”, afirmou.

Bianca ainda disse que esse desequilíbrio emocional que é transferido para a alimentação precisa ser tratado de forma multiprofissional, não esquecendo a importância de um acompanhamento nutricional para o processo de tratamento contra a ansiedade.

“Precisa ter uma equipe multiprofissional mesmo, tem que procurar um psicólogo, associado a um nutricionista e um endocrinologista, porque cada profissional vai atingir um pedaço do problema da ansiedade. Questões pessoais é com um psicólogo, hormonal é com o endocrinologista e alimentação com um nutricionista. Além desses três profissionais, a atividade física também é super importante. Então, todo mundo tem um papel muito importante para combater a ansiedade”, relatou.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -