quinta-feira, 5 de maio de 2022
31.6 C
Vitória

24 de março: Dia Mundial de Combate à Tuberculose

Com o objetivo de prevenir e cuidar da saúde, nesta quinta-feira (24), é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A data foi escolhida em homenagem aos 100 anos do anúncio do bacilo causador da doença, em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch. Apesar de ser uma doença antiga, aumentaram os números de casos devido à covid-19.

Existem algumas particularidades entre as duas doenças: a tuberculose é bacteriana, enquanto a covid-19 é uma infecção viral. Mas alguns estudos apontam que indivíduos com tuberculose pulmonar ativa sejam mais propensos à infecção por covid-19.

Tanto a tuberculose quanto a covid-19 são doenças infecciosas, transmitidas pelo contato entre as pessoas, principalmente por aerossóis, que são eliminados no ar quando um indivíduo infectado tosse, fala ou libera partículas de saliva. Além disso, ambas as patologias afetam os pulmões com maior gravidade.

Importante ressaltar que pessoas com baixa imunidade, como AIDS, diabetes, insuficiência renal crônica, desnutridas, idosos doentes, alcoólatras, dependentes de drogas, fumantes e com câncer, são mais propensas a contrair tuberculose.

A Secretaria da Saúde informa que o tratamento para tuberculose é feito na Atenção Primária e está disponível para a população nas Unidades Básicas de Saúde dos 78 municípios do Estado. Uma média de 1.300 casos são diagnosticados por ano no Espírito Santo. O tratamento, se realizado de forma correta e sem interrupções, tem cura e a duração é de seis meses.

Em alusão ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, celebrado em 24 de março, as equipes da Secretaria Municipal de Saúde de Vitória (Semus) farão ao longo desta semana, ações educativas em diversas unidades de saúde para alertar a população sobre os sintomas dessa doença.  Em média, 130 pessoas são diagnosticadas com tuberculose por ano em Vitória.

“Como o sintoma principal da tuberculose é uma tosse, ele pode ser relacionado a outras doenças também. Muitas das vezes pode passar despercebido, porque as pessoas têm sinusite, pneumonia ou até mesmo uma alergia. Em Vitória, temos um índice alto da doença. Então, está tossindo há mais de três semanas, precisa buscar outros diagnósticos nas Unidades de Saúde. O teste de escarro para detectar se tem ou não a bactéria é muito acessível e simples. O tratamento da tuberculose é realizado pelo SUS”, disse a referência técnica de Vitória em tuberculose, Lucienne Caldas.

Confira a programação da Prefeitura de Vitória para o Dia de Combate à Tuberculose

22 a 25/03: US Santa Luíza, Ilha das Caieiras e Santo André- Orientações aos pacientes que aguardam consulta na sala de espera ou na recepção;

Ação educativa junto aos participantes do projeto de educação física realizado pela unidade no Parque da Petrobrás

24/03: US da Praia do Suá, Fonte Grande, Forte São João, Consolação, Jardim da Penha, Conquista, São Cristóvão e Centro de Referência em IST.  Orientações aos pacientes enquanto aguardam consulta na recepção ou na sala de espera

25/03: Consultório na Rua – Ação educativa nas rotas do Consultório na Rua e na UFES em parceria em Projeto de atendimento a pessoa em situação de rua

26/03: US Itararé – Ação educativa em sala de espera na unidade

28/03: US Vitória (Parque Moscoso)- Orientações aos pacientes que aguardam consulta na sala de espera

Diagnóstico

A Secretaria Municipal de Saúde de Serra faz a investigação da tuberculose através de coleta de escarro e Raio-X. Nos casos positivos ou negativos, mas que ainda restam suspeitas, o paciente é encaminhado para o médico do Programa de Tuberculose. Atualmente, o município de Serra tem 194 pacientes.

“A melhor forma de prevenir a tuberculose é o diagnóstico precoce. É uma doença respiratória, transmitida pelas vias áreas. Quanto mais cedo for detectada, ela tem mais chance de cura, de afastar a possibilidade de agravamento da doença, que pode levar a óbito. Além de não transmitir para as demais pessoas. As 40 unidades realizam a coleta de escarro e agendando o exame de Raio-X para melhor atender o munícipe”, menciona a referência técnica da tuberculose na Vigilância Epidemiológica da Serra, Camila de Rezende Coelho.

A Prefeitura de Vila Velha, através da Secretaria de Saúde, informou que em 2020 foram registrados 271 casos de tuberculose. Já em 2021 foram 300 novos casos.  O tratamento é realizado no Programa de Controle da Tuberculose, na Prainha, que possui um laboratório e uma equipe completa com três médicos especialistas em pneumologia, infectologia adulto e infectopediatra. Além disso, o município tem dois enfermeiros, dois técnicos de enfermagem e uma farmacêutica que trabalham em prol dos cuidados ao paciente diagnosticado com a doença.

Prevenção e tratamento

A vacina BCG ou vacina Bacilo de Calmette e Guérin protege contra a tuberculose e é obrigatória para menores de um ano, pois imuniza as crianças contra as formas mais graves da doença.

A vacina é contraindicada para bebês prematuros ou com menos de 2kg, sendo necessário esperar o bebê chegar aos 2kg para que seja administrada a vacina.

A melhor forma de prevenir a transmissão da doença é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível. Com 15 dias após iniciado o tratamento, a pessoa já não transmite mais a doença.

O tratamento deve ser feito por um período mínimo de 6 meses, diariamente, sem nenhuma interrupção. O tratamento só termina quando o médico confirmar a cura total do paciente.

Os 5 principais sintomas que afetam a tuberculose:

  • Tosse intensa por mais de três semanas;
  • Cansaço fácil;
  • Emagrecimento rápido;
  • Suor excessivo;
  • Febre baixa.

Transmissão

  • Instalação de gotículas contaminadas;
  • Tosse;
  • Espirro;
  • Fala.
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -