quarta-feira, 19 de janeiro de 2022
29.9 C
Vitória

    Retrospectiva: 2021 o ano da vacina

    Relacionados

    - Publicidade -

    Em clima de retrospectiva chegamos a mais um mês de dezembro e como o assunto dos dois últimos anos tem sido a Covid-19 não poderíamos começar por outro tema. Se 2020 foi um ano de muitas perdas, fechamentos e quarentena, 2021 se mostrou o ano da esperança. 

    Apesar de 2021 também ter sido um ano bem difícil, ele chegou trazendo a vacinação em massa para a população brasileira. A grande conquista dos brasileiros em 2021 com toda certeza foi a vacina, afinal para substituir o cotovelço pelo tão sonhado abraço foi, e é indispensável cada vez mais ter a vacina no braço.

    - Publicidade -

    Até o momento, a obrigatoriedade da vacinação demonstrou ser a  resposta mais eficaz ao combate do coronavírus. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, a média de óbitos por Covid-19 no país registrou no último mês de Outubro uma queda de 87,3% em comparação ao pico da pandemia.

    Em diferentes lugares do país, prefeituras, bares e restaurantes adotam o passaporte da vacina para garantir a circulação segura da população. Porém, ao redor do mundo, há países adotando medidas mais drásticas, é o caso da Áustria, que tem preparado uma multa de 600 euros para quem descumprir a obrigatoriedade de vacinação. Seja quais forem as ações adotadas, o uso de máscara e álcool em gel segue sendo indispensável. 

    Últimos acontecimentos

    - Publicidade -

    Recentemente uma nova variante surgiu, a ômicron. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), relatórios indicam que a variante já está presente em 40 países diferentes, tendo sido detectada pela primeira vez na África do Sul. Em uma  conferência realizada na última sexta-feira (3/12), a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan disse que “Precisamos de preparo e cautela, não entrar em pânico” afirmando que a atual situação é muito diferente da de um ano atrás.

    E o povo segue com a vacina no braço cheio de esperança para voltar ao abraço depois do cotovelaço.

    Stefhani Paiva, jornalista e assessora de comunicação na Agência Propagare – Foto: Divulgação
    - Publicidade -

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    - Publicidade -