Saudades: Andrade publica foto de quando jogou na Desportiva e torcida o pede como treinador

Torcedores comentaram na publicação do ex-volante, campeão estadual com o time de Jardim América em 1992, pedindo sua contratação para o comando técnico da equipe

 Saudades: Andrade publica foto de quando jogou na Desportiva e torcida o pede como treinador

Os ex-jogadores da Desportiva Ferroviária em 1993: Barbosa, Edson Garcia, Andrade e Wélder – Foto: Reprodução/Instagram/@andrade_official_/Gildo Loyola/A Gazeta

Um dia após a saída de Leonardo Samaja do comando técnico da Desportiva Ferroviária, a pedido do próprio treinador argentino, alguns torcedores já escolheram o novo dono da prancheta grená: Andrade. Isso porque o ex-jogador e ex-técnico publicou uma foto de 1993, quando estava em seu segundo ano defendendo as cores da Locomotiva.

Na publicação, o volante aparece ao lado de Barbosa, Edson Garcia e Wélder, então companheiros de clube, durante treinamento no Estádio Engenheiro Araripe, em Jardim América, Cariacica.


“⁣#TBT dos tempos do Time que sabe fazer amigos, a Desportiva Ferroviária. Junto com Barbosa, Edson Garcia e Wélder, lá em 1993. Vamos Tiva!”, escreveu Andrade, que usou uma foto de Gildo Loyola, dos arquivos da Rede Gazeta.

Bastou que a demonstração de carinho pelo time capixaba fosse divulgada para aparecerem torcedores já pedindo Andrade como novo treinador grená. “Volta pra Desportiva como treinador, Andrade!!!”, comentou Nick Willians.

Foto: Reprodução/Instagram

Outro torcedor disse ter visto o volante atuando e levantando taça pela Tiva, feito que ele espera se repetir, agora com o Andrade à beira do gramado. “Te vi jogar e ser campeão pela nossa querida Desportiva e espero vê-lo campeão novamente porém como nosso treinador….”, escreveu André Luiz.

Foto: Reprodução/Instagram

Quem também deixou sua mensagem foi o ex-atacante Wélder Cruz. Ao se ver na foto publicada, lembrou da campanha no Campeonato Brasileiro daquele ano, quando marcou o último gol de um time capixaba na primeira divisão do futebol nacional.

“Meu Amigo Andrade…..foto massa!!!! Bons tempos do NOSSO Futebol Capixaba. 93 foi o último ano 3m que um time Capixaba jogou a série A do Brasileiro. Curiosamente, o último gol de um time Capixaba na série A foi meu….em um 2×2 contra o Atlético-PR lá na Arena da Baixada. Passe do Saudoso Alex Santana”, recordou o ex-jogador.

Foto: Reprodução/Instagram

Adeus à elite

Andrade com a camisa da Desportiva Ferroviária de 1993 – Foto: Reprodução

De fato, a campanha da Desportiva Ferroviária no Campeonato Brasileiro de 1993 marcou a despedida de um time do Espírito Santo da elite do futebol brasileiro. Há 28 anos que os clubes capixabas não disputam a primeira divisão.

Naquele ano, uma temporada após levantar a taça de campeã capixaba de 1992 ao derrotar o Comercial de Muqui na final (vitórias por 2 a 1 na ida e 3 a 0 na volta), a Tiva tentava manter em seu elenco jogadores como Washington, que formou com Assis o “Casal 20” do Furacão e da Máquina Tricolor tricampeã carioca (1983, 1984 e 1985) e campeã brasileira (1984).

O título veio com um alto desempenho: em 24 jogos, 17 vitórias, quatro empates e somente três derrotas, além de 38 gols feitos e 14 sofridos. O poderoso time grená contava ainda com China, Morelato e Silvério e era treinado por Jayme de Almeida, também com história por Flamengo e outros grandes do futebol brasileiro, como Botafogo e São Paulo.

Faturado o campeonato estadual e com a vaga na primeira divisão do Brasileirão do ano seguinte já assegurada (em 1992 a Desportiva ficou em 11° lugar na segunda divisão nacional, mas foi alçada à elite devido a mudanças no formato e no regulamento do campeonato promovidas pela CBF), a empolgação da massa grená era óbvia.

Em pé: Joãozinho, Luís Carlos, Claudinho, Morelato, Dedé, Renê, Jorcey e Alves. Agachados: Welber, Gérson, Evair, Washington, Andrade, Édson Garcia, China, Eusébio – Foto: Reprodução/Desportiva Ferroviária Blog

Entretanto, no correr do ano seguinte, Washington foi transferido para o Santa Cruz. Com menos jogadores vitoriosos em nível nacional – Andrade já havia sido tetracampeão brasileiro, três vezes pelo Flamengo (1980, 1982 e 1983) e uma pelo Vasco (1989), além de campeão da Libertadores da América (1981) e do Intercontinental de Clubes (1981), ambas conquistas pelo rubro-negro carioca – a campanha grená deixou a desejar.

O técnico também era outro: Dudu, ídolo palmeirense como jogador e que, já como treinador, levou a Tiva ao título estadual de 1986, quando de sua primeira passagem pelo Jardim.

Em 14 jogos, sete derrotas, seis empates e somente uma vitória – sobre o União São João, no Engenheiro Araripe –, o representante capixaba, que disputava o Grupo D, somou apenas oito pontos e terminou o campeonato na lanterna tanto da chave (8°) quanto da classificação geral (32°).

A Desportiva acabou rebaixada para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro de 1994, competição em que foi eliminada numa semifinal polêmica contra o Goiás que a torcida grená não esquece até hoje. Caso chegasse à final, mesmo que ficasse com o vice-campeonato em caso de derrota para o Juventude, a Locomotiva estaria de volta à elite nacional.

Hoje, o futebol capixaba amarga quase três décadas ininterruptas nas divisões inferiores. Resta então aos torcedores locais resignar-se, ou, como sonham os mais saudosos grenás, profetizar que as lembranças de tempos idos auspiciem, talvez, um futuro mais digno que o sofrido presente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *