segunda-feira, 27 de junho de 2022
18.8 C
Vitória

Independente e contra o “rabo preso”, Juninho Barbarioli mira uma cadeira na Assembleia

Embora o primeiro turno das eleições aconteça somente no dia 2 de outubro, as movimentações de pré-campanha estão a todo vapor. Entre os muitos que tentarão se eleger este ano está Juninho Barbarioli. Recém-filiado ao partido Brasil 35, ele lutará por uma cadeira na Assembleia Legislativa com a defesa de ser “independente”.

Presidente do Movimento Popular contra o Pó Preto, Barbarioli é taxativo ao criticar políticos que, segundo ele, nada fizeram para combater a poluição provocada pela indústria do minério de ferro na Grande Vitória.

“Por meio do Movimento conseguimos que o Ministério Público tomasse providências junto à prefeitura. Agora a empresa mineradora em questão tem até 2023 para conter o pó preto. Em 2017 organizei o primeiro arraial infantil contra o pó preto, com grande mobilização dos moradores. Eles sabem das doenças que essa poluição causa nas crianças. Nenhum político falava sobre isso. Me parecia que tinha alguma coisa. No popular, um “rabo preso”, dispara.

Entre as bandeiras, tecnologia para a área da Segurança, proteção ao comércio e moradores, motoristas de aplicativos, geração de emprego e renda e oportunidade para os jovens. A intenção de Barbarioli é alcançar um cargo eletivo para conseguir pôr em prática projetos que desenvolveu como cidadão, mas que não foram abraçados pelo poder público.

Meu motivo [para ser pré-candidato] é esse: conseguir ter forças para organizar minhas ações, implementar projetos. Venho com uma bandeira independente, em um partido conservador cristão. Nunca tive um cargo político. Até rejeitei vários este ano. Tive proposta para não vir pré-candidato, mas vou em busca do meu sonho. Não vou aceitar [para me tirar da disputa]”, revela.

Segundo Barbarioli, que é turismólogo de formação com uma pós-graduação em gestão estratégica inacabada, ele vem sendo alvo de tentativas de aliciamento por diversos políticos interessados em seu prestígio no bairro Jardim Camburi, onde mora há 33 anos.

“’Juninho, te dou um cargo de R$ 4, R$ 5 mil para andar com você em Jardim Camburi’, me disseram. Isso eu não aceito. Sou uma das poucas lideranças que não me vendi. O que acontece muito, de líderes comunitários de olho em cargo prometido. Venho no peito e na raça”, garante.

Disputa eleitoral

Esta será a segunda disputa eleitoral de Barbarioli. Em 2020, candidatou-se ao cargo de vereador em Vitória pelo Podemos, mas não obteve sucesso nas urnas, reunindo 577 votos. Questionado sobre a expectativa para a nova disputa, é assertivo e responde com firmeza. Estou, sim, confiante”.

A convicção vem não somente da atuação no bairro em que passou quase que integralmente seus 39 anos de vida. O pré-candidato faz questão de valorizar o alcance de suas ideias, muitas das quais amparadas na tecnologia como ferramenta para promover segurança, área em que afirma atuar desde 2017.

“Entreguei o projeto do aplicativo ‘Help Comunidade’, que envia o mapa de localização em tempo real para a Polícia Militar e para a Guarda Municipal. Apresentei na Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa, na PM, onde o setor de tecnologia aprovou. Tenho até o protocolo. Um mês depois, o governo do Estado entregou o aplicativo 190, que é semelhante. Imagine que alguém fosse preso por ele, quem seria Juninho Barbarioli”.

O pré-candidato indaga para quem vai o mérito dessas ações. Por isso, acredita, é hora de obter um mandato eletivo e conseguir, enfim, implementar todas as suas ideias. Uma delas tomou forma no projeto “Assistência Morador”, um site criado para dar trabalho dentro do próprio bairro em que o interessado reside.

“O comerciante oferece a vaga e o morador aceita. Isso é muito bom, pois movimenta a comunidade, gera renda para dentro do bairro. Ainda ajuda na mobilidade, como a gente vê esse trânsito na cidade. Hoje o site está fora do ar porque não consegui automatizar. Tentei oferecer para prefeituras, mas é difícil”, lamenta, dizendo em seguida que o site chegou a oferecer o serviço em toda a Região Metropolitana da Grande Vitória.

Projeto

Conhecido por “Juniho do Tudo Tem no meu Bairro”, outro serviço idealizado para fomentar a circulação de bens e serviços dentro das comunidades, Barbarioli pretende viabilizar um projeto já apresentado à Prefeitura de Vitória, focado em dar a oportunidade a jovens com idade entre 14 e 15 anos a terem o primeiro estágio.

“A ideia é de que já começassem a fazer um estágio por R$ 300 por mês. É pouquinho, mas já da para fazer um lanche. Isso ajuda a tirar do tráfico de drogas, tirar o jovem da criminalidade. Esse projeto iria ajudar bastante para evitar a busca pelo dinheiro fácil, porque vai dar capacitação ao jovem”, conclui.

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -