quarta-feira, 29 de junho de 2022
16.6 C
Vitória

Em sessão na Assembleia, Torino Marques ataca governo. Ferração defende

A primeira sessão ordinária da Assembleia Legislativa após as denúncias do prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos), de que há fraude em licitações do governo do Estado, foi de silêncio sobre o assunto, porém, não faltaram deputados que defenderam e atacaram a administração do governador Renato Casagrande (PSB).

Uma surpresa foi o deputado Teodorico Ferraço (PP), que elogiou o governo durante a votação de um projeto em regime de urgênica que autoriza o Palácio Anchieta  a contrair uma operação de crédito com um banco latinoamericano.

“O governo está no caminho certo ao celebrar essa operação de crédito, com aval do presidente Jair Bolsonaro, que endossou o acordo”, afirmou Ferração.

Como todos sabem, Teodorico Ferraço é crítico ferrenho da administração do socialista, mesmo tendo migrado para um partido que está na base de apoio do governo.

Já o deputado Torino Marques (PTB) fez coro aos discursos inflamados do também deputado Capitão Assumção (PL) contra o governo. Torino votou contra quase todas as matérias de urgência enviadas pelo Anchieta.

Mas nenhum parlamentar ousou tocar no assunto que movimentou o fim de semana: as graves denúnicas que o prefeito de Vitória fez contra Casagrande.

No sábado (14), Pazolini disse em uma inauguração de reformas de uma escola, em Jardim Camburi, que teria sido convidado para uma reunião em um Palácio Amarelo, no Centro de Vitória, onde teria sido convidado a participar de um esquema de fraude em licitações.

Sem apresentar provas, Pazolini disse apenas que recusou-se a participar do esquema e retirou-se da referida reunião.

Procurado, o deputado e presidente da Assembleia, Erick Musso disse, por  meio de sua assessoria que ele, Erick, não tinha nada a ver com as denúncias relatadas por seu colega de partido.

“O interesse dos capixabas vem à frente de qualquer dicussão político partidária”, informou por mensagem eletrônica.

E para provar que os debates entre Executivo e Legislativo seguem nessa linha, Erick Musso convocou uma sessão extraordinária nesta segunda-feira (16) para votar todas as urgências do governo. Oito matérias foram aprovadas.

A deputada Janete de Sá e o deputado Bruno Lamas, ambos do mesmo partido de Casagrande, o PSB, além do parlamentar Fabrício Gandini (Cidadania), fizeram a defesa de todos os projetos do governo, inclusive do que abre as portas do Banestes para a privatização, segundo análise da petista Iriny Lopes.

Pelo projeto, o Banestes pode abrir mão de alguns de seus serviços e ofertá-los à iniciativa privada por meio de convênios.

 

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -