terça-feira, 17 de maio de 2022
21.9 C
Vitória

PTB deve ter intervenção! 

Texto de Edilson Lucas do Amaral

O prenúncio de um forte embate por interesses além das fronteiras capixabas está por vir, e nosso quadro “Movimento Político” foi buscar as informações em primeira mão para a sociedade capixaba, que vê o partido PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), aliado a forças conservadoras, nacionalmente e no ES, caminhar para o Palácio Anchieta.

Entenda o Caso:

Roberto Jefferson (ex-deputado federal e ex-presidente do PTB), após seu desgaste público e emocional com sua prisão temporária determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, achou por bem deixar a presidência do partido e convocou o Diretório Nacional, que sob a sua tutela elegeu a sua fiel escudeira e amiga familiar Graciela Nienov sua substituta.

Entretanto, vazou uma conversa telefônica em um chamado “grupo secreto”, que tinha interferência do presidente do PL (Partido Liberal) Valdemar da Costa Neto (ex-deputado federal), principal denunciado por Jefferson no mensalão, caso esse jamais perdoado por Valdemar.

Após esse episódio Roberto Jefferson solicita a retirada de Graciela e pronuncia em carta aberta ao público:

 “A Graciela me pediu demissão, eu aceitei, pois após os áudios do grupo, ela perdeu qualquer condição moral ou política para continuar à frente da presidência”, explica a carta entregue por Jefferson ao seu advogado Luiz Gustavo Pereira da Cunha.

O próprio advogado Gustavo Pereira da Cunha nos relatou que o Diretório Nacional, após o pronunciamento de Roberto Jefferson, elegeu a nova Executiva nacional em 11 de fevereiro de 2022. Logo depois, dia 16, como é de praxe foram solicitadas as senhas do sistema nacional ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Essas senhas são de extrema importância, pois o detentor delas tem acesso ao sistema, é quem pode filiar e nomear executivas provisórias por todo o Brasil.

“Já solicitamos ao TSE o acesso ao sistema, porém a Graciela ainda detém as senhas e se recusa a nos fornecer. Como houve mudança no comando do TSE, saindo o ministro Barroso e entrando o ministro Fachin, e por conta dos feriados de Carnaval, ainda não recebemos as senhas” afirmou Dr. Gustavo Pereira da Cunha, representante jurídico do PTB.

A ex-presidente Graciela Nienov, e sua Executiva composta por Rodrigo Santana Valadares e Jéferson Alves, ambos deputados estaduais pelo PTB  de Sergipe e de Roraima, respectivamente, resolveram intervir no Espírito Santo e nomear através de uma nominata, uma nova executiva provisória com Adílson Espíndola na Presidência, causando incredulidade no mercado político capixaba.

O que deve acontecer?

O presidente nacional do PTB recentemente eleito pelo Diretório Nacional com quase unanimidade dos votos, Marcos Vinícius (deputado estadual no Rio de Janeiro) faz um alerta:

“No Espírito Santo quem comanda o PTB é o presidente Bruno Lourenço de Souza e o Tenente Assis. Ou se acertam com eles ou serão expulsos do partido”.

A fala de Marcos foi enfática, deixando claro que qualquer ação de Graciela Nienov, que em breve será destituída, não tem valor e que todos que aceitarem suas recomendações e atos poderão ser punidos. Essa medida  deixa claro que o novo presidente está anulando todos os eventuais atos  de Graciela, além de alertar os correligionários que terá pulso forte.

Já Anderson Goggi, vereador de Vitória e membro histórico do PTB desde sua juventude, não aceita essa imposição, por caminhar com o Palácio Anchieta há algum tempo. Ele está otimista com a suposta nova Executiva. “Nós assumiremos essa semana o partido, sou vereador eleito pelo PTB e construí há décadas o partido. É a base que sabe o que é melhor para o partido em cada Estado”

Já o Tenente Assis, pré-candidato a deputado federal, diz estar tranquilo e comenta: “A traidora partidária com interesses econômicos Graciela Nienov, através do deputado socialista Adílson Espíndola, quer desestabilizar a chapa proporcional que estamos finalizando, que deve receber a filiação da deputada federal candidata à reeleição Soraya Manato ainda essa semana, e iremos, sim, caminhar para uma coligação com a chapa do PL em prol de Carlos Manato e do presidente Bolsonaro”.

Tentamos falar com o deputado Adílson e com a ex-presidente nacional do PTB, Graciela Nienov, mas não tivemos retorno. O fato é que se a intenção é dar desgaste na sigla local, desestabilizar a chapa proporcional e tirar mais um partido com tempo de Tv da chapa de Manato, o objetivo pode ter algum êxito. A briga pode ter caminhos jurídicos, muito embora todas as ações impetradas pela ex-presidente Graciela foram negadas.

O certo é que a nominata, com uma nova executiva, deve surgir e causar problemas na política capixaba. Se terá vida curta só o futuro dirá, mas é verdade que causa temor à  nova cúpula do PTB estadual com futuras consequências!

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -