sábado, 14 de maio de 2022
25.9 C
Vitória

No mês da mulher, deputado federal Neucimar Fraga segue os passos de “Mamãe Falei”

O  deputado federal e ex-prefeito de Vila Velha  Neucimar Fraga (PSD) seguiu os passos do deputado estadual de São Paulo, Arthur do Val (Podemos). O parlamentar fez um comentário sexysta no grupo “Política Canela-Verde” no WhatsApp, afirmando que na Ucrânia não havia “nenhum canhão”. Além do comentário, fotos de mulheres fardadas também foram compartilhadas pelo político no último fim de semana.
As imagens são supostamente de mulheres ucranianas que estão defendendo o seu país dos bombardeios russos que começaram no mês passado. E as fotos foram utilizadas pelo parlamentar com o comentário “como a Ucrânia quer ganhar a guerra sem nenhum canhão“, logo após as fotos. 
Vale ressaltar que, no Brasil, o termo “canhão” é utilizado pejorativamente para se referir ao peso corporal de uma pessoa, chamando o indivíduo de feio(a). 
Mensagens compartilhadas no grupo de WhatsApp “Política Canela-Verde” pelo deputado federal Neucimar Fraga (PSD). Foto: divulgação
Durante todo o fim de semana o print com o comentário de Neucimar circulou por diversas redes sociais. A equipe de reportagem da Rede MovNews entrou em contato com o deputado, no entanto ele disse que não se manifestaria sobre o caso. 
Impressionante, mas até previsível, que dois parlamentares, dois homens eleitos pelo voto direto, tenham esse tipo de comportamento. Previsível porque eles representam um extrato da sociedade. Lamentável também que, pelo jeito, eles nada entenderam sobre a jornada e conquistas das mulheres ao longo dos anos.  
Caso parecido
O deputado estadual de São Paulo, Arthur do Val (Podemos), popularmente conhecido como “Mamãe Falei”, viajou no dia 28 de fevereiro com destino à Ucrânia para mostrar a guerra que o povo ucraniano vem passando com os ataques russos que acontecem desde o mês passado. No entanto, os áudios que compartilhou levaram o político a ser bombardeado aqui no Brasil.
Nos áudios compartilhados nas redes sociais de mensagens desde a última sexta-feira (4), o parlamentar fez declarações machistas e misóginas. “São fáceis, porque elas são pobres. E aqui minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas ‘minas’, em dois grupos de ‘mina’. É inacreditável a facilidade. Essas ‘minas’ em São Paulo você dá bom dia e ela ia cuspir na sua cara e aqui são super simpáticas”, afirmou.
Podemos abre procedimento disciplinar contra deputado Arthur do Val. Deputado estadual fez comentários machistas sobre ucranianas. Foto: Alesp
Em outro  áudio, o deputado do Podemos faz comparações à fila de refugiadas à fila de uma festa em São Paulo. “Acabei de cruzar a fronteira a pé aqui, da Ucrânia com a Eslováquia. Eu juro, nunca na minha vida vi nada parecido em termos de ‘mina’ bonita. A fila das refugiadas, irmão. Imagina uma fila de sei lá, de 200 metros ou mais, só deusa. Sem noção, inacreditável, é um bagulho fora de série. Se pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila de refugiados aqui.”, acrescentou.
Não satisfeito, o parlamentar continuou. “Passei agora quatro barreiras alfandegárias, duas casinhas para cada país. Eu contei, são doze policiais deusas. Que você se casa e faz tudo que ela quiser. Eu estou mal , não tenho nem palavras para expressar. Quatro dessas eram ‘minas’ que você se ela cagar você limpa o c* dela com a língua. Assim que essa guerra passar eu vou voltar para cá”, finalizou.
O parlamentar com intenção de provável heroísmo de sua parte ter ido até lá para mostrar “resistência”, voltou ao Brasil para perder tudo que tinha conquistado na vida pública: perdeu o apoio de seu partido político para uma futura candidatura ao governo paulista, perdeu milhares de seguidores nas redes sociais, perdeu o apoio de Sérgio Moro (pré-candidato à presidência da República), perdeu o respeito que tinha na Alesp e até mesmo a namorada. 
Ao desembarcar em São Paulo, na manhã do último sábado (05), o deputado estadual Arthur do Val confirmou que são seus os áudios. E o Conselho de Ética da Alesp já está agindo para analisar o caso, e se necessário, até cassar o mandato do político. 
Plenário da Alesp discute medidas que deverão tomar contra o deputado Arthur do Val, após comentários machistas. Foto: Agência Alesp
Diversos colegas do parlamento assinaram o documento contra Mamãe Falei na Alesp: Carlos Gianazzi (PSOL); Dr. Jorge do Carmo (PT); Emídio de Souza (PT); Gil Diniz (PL); José Américo (PT); Leci Brandão (PC do B); Luiz Fernando T. Ferreira (PT); Márcia Lia (PT); Maurici (PT); Mônica da Mandata Ativista (PSOL); Patrícia Bezerra (PSDB); Paulo Fiorilo (PT); Professora Bebel (PT); Ricardo Madalena (PL) e Teonílio Barba (PT).
Na justificativa, os deputados dizem que os áudios são inoportunos e incompatíveis com o decoro parlamentar. “É ultrajante não só para as mulheres ucranianas, que tiveram suas vidas destruídas por um conflito que não deram causa, mas acabou por ferir todas as mulheres do mundo, pois dignidade e respeito são conceitos universais”, afirmam no documento.
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -