quinta-feira, 5 de maio de 2022
31.6 C
Vitória

Ninguém é candidato a vice, afirma Da Vitória, às portas do Progressista

O deputado federal Da Vitória ingressa nesta sexta-feira (11) no Partido Progressista mandando um recado para o mercado político: “Vamos reunir 60 prefeitos, lideranças de todo o Estado e representantes de diversos segmentos. Será uma demonstração de que o PP está vivo e forte no Espírito Santo e no País”, afirmou.

Para o deputado, não existe candidato a vice, referindo-se às especulações do mercado de que poderia desistir da reeleição à Câmara Federal e tornar-se uma alternativa na composição da chapa do governador Renato Casagrande (PSB) para concorrer ao Palácio Anchieta.

“Ninguém é candidato a vice. Tenho a motivação necessária para continuar trabalhando pelo Espírito Santo, seja na proporcional, seja na majoritária. O que o partido decidir será o melhor para o Espírito Santo”, disse.

Fustigado a responder, então, se é candidato ao Senado, como também é ventilado no mercado, Da Vitória, mais uma vez, dissimula e afirma:

“Eu queria ter uma resposta para te dar agora. Mas isso é uma construção, que começa nesta sexta-feira com a minha filiação ao Progressista. É lá o local do debate a qual cargo vamos concorrer, pois, como disse, a discussão é sobre o que é melhor para a população do Espírito Santo”, arrisca.

Mas Da Vitória deu algumas pistas sobre o que vem pela frente. Segundo o deputado, o governador Renato Casagrande conta com o respeito do Partido Progressista, do ministro Ciro Nogueira e do próprio deputado, o que conta na hora de decidir pelo apoio à reeleição.

“Temos um secretário do Progressista no governo Casagrande. Temos afinidade com o governador, mas tudo se discute entre partidos, entre lideranças que sabem os anseios das bases, da população que vota e nos conduz aos cargos de representação por meio do voto”, elogia.

O secretário citado por Da Vitória é Marcus Vicente, de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento, uma velha raposa política, que sempre orbitou pelo poder, compondo os governos de Paulo Hartung e Casagrande.

Da Vitória nega, mas ele próprio pode ser uma alternativa de renovação do PP no Estado, substituindo Vicente nesta árdua função.

Coordenador da bancada federal capixaba, Da Vitória é  presidente do Centro de Estudos e Debates Estratégicos, entidade que vai promover um debate antes da filiação do deputado, nesta sexta-feira, aumentando a expectativa em torno do evento.

Devem palestrar as principais lideranças convidadas, inclusive o governador Renato Casagrande, esperado no evento.

Agora é aguardar pelo evento de filiação, nesta sexta-feira(11), a partir das 13 horas, no Centro de Convenções de Vitória (CCV).

Presenças

À festa de filiação do deputado Da Vitória, são esperados o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP – AL), e o ministro-chefe da Casa Civil e presidente nacional licenciado do PP, Ciro Nogueira, considerados os caciques da sigla.

“Esta foi uma construção que contou com muito diálogo com o presidente nacional, Ciro Nogueira, o presidente da Câmara, Arthur Lira, com o presidente regional, secretário Marcus Vicente, o deputado federal Evair de Melo e com os demais membros do partido, tanto no Congresso quanto no Espírito Santo”, disse por celular.

História

Formado nas fileiras da Polícia Militar, Da Vitória já pertenceu ao PDT, partido que tem como cacique no Espírito Santo o prefeito da Serra, Sérgio Vidigal. O deputado também pertenceu ao Cidadania e agora migra para o PP.

Bacharel em Direito, Da Vitória obteve quase 75 mil votos para deputado federal, uma votação expressiva, apoiada nas andanças pelo Estado, no escoramento de sua imagem no governador e, claro, em seu trabalho de quatro mandatos como deputado estadual.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -