quarta-feira, 18 de maio de 2022
21.9 C
Vitória

Fui convidada: Estou conversando com o PSB, diz deputada Janete de Sá

Deputada Estadual capixaba há quase 20 anos, ex-moradora do bairro Itaquari, em Cariacica, a ex-sindicalista Janete de Sá (PMN) conversou com a reportagem do MovNews em seu gabinete, na Assembleia Legislativa.

Diferente da parlamentar de língua afiada, que ganhou o coração e os votos de milhares de capixabas por cinco eleições seguidas, Janete de Sá agora fala de forma tranquila, dominando a vontade de dar nomes aos bois e o próprio ímpeto, como quem aprendeu a dialogar com os poderes, com a sociedade e com a imprensa.

“Sou candidata à reeleição. E tenho chances de voltar para o partido do governador. Não sou a favor dessa polarização entre extremos. É possível trilhar um caminho do diálogo, que busque diminuir a desigualdade social”, afirma.

Sobre a entrada do ex-governador Geraldo Alkcmin no PSB para disputar uma chapa presidencial com o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, Janete afirma, desconfiada, que Alkcmin vai se filiar apenas para ser candidato a vice, já que sua coloração partidária passa longe do vermelho e amarelo do PSB.

Empunhando a causa em defesa dos animais, Janete de Sá se reinventou, voltou a estampar as manchetes dos noticiários de forma positiva, levando esperança para milhares de animais que sofrem todo tipo de maus tratos no Espírito Santo.

“Não pensem que é pobre que maltrata animal.  Acabamos de denunciar um caso de um morador de Jardim da Penha que mantinha um  animal negligenciado, caindo bicho, e que estava à beira da morte. Agora ele terá que responder pelo que fez com uma vida”, revela, indignada.

De acordo com a deputada, a violência virou uma cultura social tolerada que precisa ser combatida em várias frentes.

“Não é só polícia que resolve a violência, seja contra quem for, ser humano ou bicho. É Educação, dignidade, inclusão e oportunidade. Onde o Estado não vai, impera a violência”, prega.

Sobre o escândalo envolvendo o corte do fornecimento de água pela Cesan, principalmente nos bairros mais pobres da Grande Vitória, Janete de Sá fez coro com o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Repúblicanos):

“É problema de gestão que precisa ser resolvido. Os mais pobres não podem ser penalizados dessa forma. Não acredito que tenha sido com algum propósito, político ou eleitoral. Houve falta de visão administrativa dentro de uma empresa que é orgulho do capixaba, mas está mal gerida”, alfineta.

A expressão da deputada foi do sorriso fácil ao semblante franzido e raivoso quando a reportagem citou o deputado paulista, Arthur Do Val (Podemos), que ofendeu, em plena guerra, mulheres ucranianas.

“Uma fala asquerosa, sujeito que precisa responder pelas palavras desrespeitosas, que ofendem não só as ucranianas, mas todas as mulheres do planeta. Não somos objetos, somos mães, avós, tias, irmãs e muitas outras, todas mulheres iguais e que amam, vibram sofrem e querem justiça”, defendeu.

Janete elogiou o ex-governador Paulo Hartung e o atual mandatário do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB). Para ela, os dois, com apoio da maioria dos deputados, fomentaram o caminho para um Estado governável, apesar dos problemas que assolam as terras capixabas.

De qualquer forma, a veterana parlamentar defendeu uma renovação na política, com a formação de novos nomes, que tenham capacidade decisória, dando opções ao eleitor, mas, sobretudo dando chance para que o futuro seja discutido com as diversas visões e competências que formam essa sociedade plural.

“Mas para isso, reforço, é preciso diálogo. Não dá mais para cometer os mesmos erros do passado, seja de esquerda, de direita ou de centro. Temos muitos avanços, mas é preciso repensar o que estamos dispostos a negociar para que tenhamos um futuro de esperanças para todos”, afirma.

Janete de Sá afirma que seu eleitorado anda perguntando se já não é hora de galgar outros degraus na política, como disputar o cargo de deputada federal. Ela é enfática:

“Eu fiz muito pelo Espírito Santo junto com meus colegas e com os governadores que passaram pelo Palácio Anchieta. Acho que temos muito ainda por fazer, é por isso que volto a disputar como deputada estadual, para tentar diminuir essa desigualdade perversa, que assola e mata”, finaliza.

História

Em 2002 Janete de Sá foi eleita deputada estadual, sendo a única dirigente sindical a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa. No primeiro mandato assumiu a presidência das Comissões de Meio Ambiente e de Defesa da Cidadania e dos Direitos Humanos.

Janete de Sá foi escolhida para presidir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou denúncias de irregularidades no contrato de seguro de vida dos deputados, que teve como conclusão o indiciamento de mais de 30 pessoas.

A população capixaba aprovou seu primeiro mandato e a consagrou deputada em 2006, para o seu segundo mandato 2007/2010, com 21.077 votos.

De 2008 a 2009, Janete de Sá presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou irregularidades na entrada, venda, compra e manuseio de agrotóxicos no Espírito Santo, a CPI dos Agrotóxicos, que teve seu relatório apresentado em outubro de 2009, propondo ações que iriam, ao menos, abrir o debate sobre o assunto no Espírito

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -