domingo, 8 de maio de 2022
26.9 C
Vitória

Brasil 35 de olho nos arranjos para filiar nomes de peso: Nilton Baiano pode vir

Dirigentes de partidos pequenos no Espírito Santo apostam que a disputa nos partidos maiores pode deixar um saldo excelente para as siglas menores, servindo de “abrigo e consolo” para nomes de peso e com voto que não conseguirem vaga para disputar as eleições.

A aposta é simples. Com o fim das coligações obrigatórias, os partidos temem que os medalhões ou puxadores de voto afastem possíveis candidatos com menos visibilidade e, claro, com menos voto, mas de extrema importância para os partidos.

Primeiro porque os candidatos de menor poder de voto são fundamentais para fechar as chapas partidárias, seja para deputado estadual, seja para deputado federal. Cada partido político ou federação no Espírito Santo só poderá lançar 31 candidatos a deputado estadual nas eleições de 2022, uma redução de cerca de 50% dos 60 concorrentes registrados em 2018, e 11 para a Câmara Federal, ao invés dos 20 que entraram na disputa naquele mesmo ano. Os números são decorrentes das regras fixadas no novo Código Eleitoral, aprovado no final de setembro, que criou as federações partidárias.

Com isso, vários partidos menores, entre eles o Brasil 35, ex-partido da Mulher Brasileira, registrado oficialmente em 2015, estarão de portas abertas, no prazo limite das filiações, para receber nomes já testados nas urnas.

De acordo com o dirigente do Brasil 35 no Estado, o empresário Paulo Bastos, serão os partidos pequenos e ainda em formação de identidade nacional que vão participar do novo cenário político nacional e estadual, abrigando vários nomes de políticos que estão nas siglas mais tradicionais  e com problemas nas composições das chapas.

“Vamos, sim, mudar a história dos partidos pequenos nestas eleições. Quando nomes de grande impacto na política se virem sem legenda, vão bater em nossa porta, pedindo espaço para concorrer. Faz parte da dinâmica política e da democracia”, afirma.

Ainda de acordo com Paulo Bastos, o Brasil 35 foi procurado por nomes que já ocuparam cargos eletivos e de assessoramento de primeiro e segundo escalões, tanto na esfera municipal, quanto na estadual e em Brasília.

Um desses nomes, segundo Bastos, é Nilton Baiano, ex-deputado federal e ex-secretário de Saúde municipal e estadual, politico considerado de confiança pelo próprio Bastos.

“É possível que Dr. Nilton feche com a gente e concorra à Câmara Federal, voltando a ocupar um lugar de destaque na política nacional com toda a sua experiência. Estamos conversando”, comemora.

Ainda de acordo com Paulo Bastos, a hora é de conversar, oferecer condições que sejam boas para o partido e para o projeto político que englobe um país com menos desigualdades, mais trabalho e geração de renda.

“A proposta é por um país e um estado melhor, com pessoas que acreditem na família, como base na fé em Deus. Além disso, queremos formar novas lideranças e consolidar o Brasil 35 como um partido à disposição da nação”, revela.

Falta pouco mais de seis meses para que milhões de brasileiros compareçam às urnas eletrônicas para votar no primeiro turno das Eleições Gerais de 2022, que ocorrerá no primeiro domingo de outubro.

O voto será para presidente e vice-presidente da República, 27 governadores e vice-governadores de Estado e do Distrito Federal, 27 senadores e 513 deputados federais, bem como deputados estaduais e distritais. O segundo turno do pleito está marcado para o dia 30 de outubro.

O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub se filiou recentemente ao Brasil 35, partido pelo qual vai se candidatar em São Paulo.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -