quarta-feira, 18 de maio de 2022
24.9 C
Vitória

Após recusa de Meneguelli, Pazolini nomeia vice-prefeita como secretária de Cultura em Vitória

Após o o prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos) convidar o ex-prefeito de Colatina, Sergio Meneguelli na última quinta-feira (04) para assumir a Secretaria de Cultura da capital, a vice-prefeita, capitã Estefane foi nomeada como a nova secretária de Cultura de Vitória.

Desde o início do mandato de Pazolini, o cargo não estava sendo ocupado por ninguém. O decreto de confirmação foi publicado no Diário Oficial da Prefeitura de Vitória na última segunda-feira (08).

A equipe do Movimento Online demandou a prefeitura para saber se a capitã Estefane irá também receber o salário correspondente a pasta além do que já recebe como vice-prefeita.

 

 


Empresário articula ações para desenvolvimento da Região Sul com Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim

O empresário Idalécio Carone, filiado ao MDB e pré-candidato à Prefeitura de Vila Velha pelo partido em 2020, está cansado das resistências para sua atuação junto ao Executivo canela-verde. Suas atenções se voltam então para a Região Sul do Estado, onde vem estreitando laços com o prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho (PSB), com quem afirma se dar muito bem.

“Me dou muito bem com Victor. Dentro do possível, vou ajudar, principalmente, porque amo Cachoeiro, mesmo tendo nascido aqui [Vila Velha] a cidade está no meu coração”, explica.

Questionado sobre como pretende ajudar a Capital Secreta do Mundo, o empresário cita a duplicação da BR-101, que possibilitará a chegada de indústrias. Contudo, a demora na execução de projetos como este o deixam irritado com a classe política capixaba. “Os nossos políticos não cobram o responsável pela obra, aí fica a vida toda para duplicar 100 km. É brincadeira. Qualquer lugar anda rápido, mas aqui no Estado é tudo demorado. Lembra da Terceira Ponte, como demorou?”, critica Idalécio, recordando o os longos anos de construção da Ponte Deputado Darcy Castello de Mendonça (nome oficial), que liga Vila Velha à capital Vitória, cuja obra tiveram início em 1978 e a conclusão apenas em 1989.

Valendo-se dos contatos que diz ter em São Paulo, mais especificamente com escritórios representantes de grandes empresas internacionais, Idalécio Carone demonstra frustração por não ter conseguido pôr em prática projetos que tinha para Vila Velha, baseados na relação com essas companhias. Ainda assim, está empenhado em recuperar o prestígio abalado nas últimas eleições. “Não deixaram eu ser candidato mas vamos dar a volta por cima”, declara, descontente com as decisões do seu partido.

Presidido em Vila Velha pelo deputado estadual Hércules Silveira, o MDB não endossou a candidatura de Idalécio Carone à Prefeitura, preferindo, à época, trabalhar para que seu líder disputasse o pleito municipal. Por fim, restou apoiar Neucimar Fraga (PSD), ex-prefeito canela-verde (de 2009 a 2012), a quem o empresário fez duras críticas em entrevista ao Movimento Online. No segundo turno das Eleições 2020, Neucimar apoiou o então vereador Arnaldinho Borgo (Podemos), enquanto Hércules permaneceu neutro. Desafetos, estes foram críticos de Max Filho (PSDB) durante sua última gestão – o tucano comandou o Executivo Municipal por três mandatos –, da mesma forma que o empresário.

Idalécio afirma que não tem compromisso com o atual prefeito, “apesar de ter ajudado ele”. Ambos se reuniram no final de novembro, antes da assunção de Arnaldinho, mas na ocasião não foi acertado nenhum acordo de cooperação. “Vila Velha não tem falado comigo. Na semana que vem vou ter uma reunião com um município da Grande Vitória e vamos ajudar a gerar em prego”, destaca o emedebista, sem poder revelar, por ora, com qual prefeitura vem negociando. “Município que tem falado comigo vou dentro do possível ajudar, sim”, conclui.


Contarato assina pedido de abertura de CPI para investigar omissão do governo na pandemia

O Senador Fabiano Contarato (Rede). Foto: Divulgação | Agência Senado

O Senador Fabiano Contarato (Rede) assinou nesta quinta-feira (04) um pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as ações e as omissões do Governo Federal no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. O documento também foi preenchido pelos outros parlamentares da Mesa.

Em nota, Contarato afirma que milhares de vidas poderiam ter sido salvas se não fosse a negligência do Poder Executivo ao deixar faltar insumos hospitalares básicos para o tratamento da doença e atrasar a negociação da compra de vacinas.

“Apoiamos a CPI da Covid. A negligência do governo Bolsonaro está diretamente associada ao número de mortes e à falta de oxigênio em hospitais e de outros insumos para combater o coronavírus. Milhares de vidas poderiam ser salvas se a limitação ideológica e extremista do governo não tivesse criado mil obstáculos à compra e à produção de vacinas. Em vez de facilitar o processo, o Executivo arrumou brigas internacionais, às custas de quem está exposto, internado e sujeito a todo tipo de risco. Vida humana é o maior bem que existe. Atentar contra ela, por ação ou omissão, é crime. O Senado não se furtará a investigar a fundo os responsáveis”, declarou.


Senado aprova requerimento de Rose de Freitas (MDB-ES) para convidar Pazuello a dar explicações sobre pandemia

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, vem sofrendo duras críticas por sua conduta na pandemia de Covid-19 (Foto: Agência Brasil)

O Senado Federal aprovou, nesta quinta-feira (4), requerimento apresentado pela senadora capixaba Rose de Freitas (MDB) convidando o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para prestar esclarecimentos sobre a “falta de destreza” do governo federal no enfrentamento à pandemia de Covid-19 e o atraso da vacinação.

A parlamentar foi às redes sociais comemorar a aprovação, ocorrida na primeira sessão deliberativa da nova legislatura. Ainda não há data específica para que Pazuello se apresente aos senadores, mas é possível que isso ocorra já na próxima semana.

 

Durante a sessão ordinária, Rose – que participou dos trabalhos de maneira remota por causa do isolamento praticado devido à pandemia – criticou a falta de informações oriundas do Executivo, afirmando que notícias relacionadas ao enfrentamento ao coronavírus e a vacinação surgem apenas na imprensa.

“Nós vivemos das informações da mídia. É importante que ele (Pazuello) compareça, pois estamos em um dos piores momentos da pandemia”, ressaltou a senadora.

Tocador de vídeo

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -