quarta-feira, 18 de maio de 2022
25.9 C
Vitória

Veja o momento exato que morador é baleado por policial militar

Weliton da Silva Dias, de 24 anos, foi morto a tiros por um policial militar na noite do último sábado (2), no bairro São José, região da Grande São Pedro, em Vitória. O caso foi registrado em vídeo por moradores. Nas imagens é possível observar que o jovem foi atingido mesmo estando desarmado e com as mãos na cabeça. Ele foi levado à Policlínica de São Pedro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O vídeo enviado à reportagem mostra que Weliton avista o PM e imediatamente levanta a camisa para mostrar-se desarmado. Em seguida, leva as mãos à cabeça e é atingido pelo agente. Outro policial se aproxima e ambos observam o jovem caído.

Moradores que presenciaram o fato disseram que um segundo disparo foi efetuado enquanto gritavam por ajuda. Segundo as testemunhas, eles só conseguiram socorrer o Weliton após a saída dos agentes e o levaram para receber atendimento médico.

O caso aconteceu por volta das 19h13, na Rua Quatro de Janeiro, popularmente conhecido na região por Beco da Sorte. Outro morador chegou a ser baleado, recebeu tratamento e foi liberado.

Revoltados, moradores chegaram a atear fogo em um ônibus do Sistema Transcol. Weliton foi velado na tarde deste domingo e seu enterro estava previsto para acontecer na manhã desta segunda-feira (4).

Afastamento

Os policiais militares que aparecem no vídeo foram afastados neste domingo (3) a mando do secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), coronel Márcio Celante Weolffel.

Em vídeo, o coronel informa que determinou ao comandante-geral da Polícia Militar (PMES) o afastamento preventivo e cautelar dos policiais envolvidos no caso, que tiveram ordenada a entrega das armas utilizadas na ação. As armas dos agentes foram recolhidas e serão analisadas no inquérito aberto para apurar o fato. O prazo para conclusão das investigações é de 60 dias.

“Nós determinamos ao comandante-geral da Polícia Militar, a instalação do inquérito policial militar para averiguação e investigação de todas as circunstâncias do fato ocorrido na data de ontem, o recolhimento das armas dos polícias militares para que façam parte das apurações e o afastamento preventivo cautelar dos policiais militares das atividades operacionais”, afirmou o secretário no vídeo.

Ciente da repercussão negativa do caso para a corporação, Celante afirmou que “toda morte é lamentável” e que o programa Estado Presente, do governo do Estado, busca “a preservação da vida e a redução do número de homicídios”.

O caso está sob investigação da Polícia Civil (PCES), aos cuidados do Serviço de Investigações Especiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -