segunda-feira, 16 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

Máscaras de proteção contra Covid-19 continuam obrigatórias no ES

O Espírito Santo mantém a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes coletivos no Estado. Na tarde desta segunda-feira (7), durante entrevista para a imprensa, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, reforçou a necessidade do uso do acessório como medida preventiva contra a covid-19.

Apesar de algumas cidades brasileiras terem cancelado a obrigatoriedade do uso de máscaras, o secretário Nésio Fernandes adiantou que o Espírito Santo vai aguardar mais um pouco para tomar esta decisão. 

“Alguns países do mundo erraram no começo e parece que no momento se equivocam também ao adotarem o reconhecimento do fim da pandemia de maneira precipitada. O Governo do Estado do Espírito Santo não abdicou do uso da máscara, durante o exercício da terceira e da quarta onda. Nós temos que rever a decisão de voltar atrás nas posições que dizem respeito ao uso das máscaras. Precisamos reconhecer que a transmissão respiratória é a principal forma de transmissão do vírus”, enfatizou.

De acordo com Fernandes o número de casos da doença e internações no Estado está diminuindo. De acordo com o mais recente mapa de gestão de risco Covid-19 publicado pelo Governo na última sexta-feira (4) e com vigência a partir desta segunda-feira (7) não há cidades classificadas em risco alto. Dos 78 municípios capixabas, 68 estão classificados em risco baixo e dez ficaram em risco moderado. 

Nésio Fernandes alertou que, embora o planejamento de gestão de risco no Estado tenha surtido o efeito desejado que é a diminuição de casos, óbitos e internações, não é hora de ‘baixar a guarda’ em relação à proteção contra a Covid-19.

“Infelizmente com esse cenário de queda da transmissão, a percepção de risco da população sobre a pandemia também é reduzida, durante o período em que vivemos a quarta expansão, temos que ter a garantia de risco clara para a população. É necessário reconhecer que o povo capixaba não foi pego desavisado, as avaliações feitas pelo Estado do Espírito Santo sempre fizeram cenários possíveis a toda população e a toda instituição. De maneira também a orientar nosso planejamento de gestão risco”, explicou. 

O secretário acredita na possibilidade de uma quinta onda da pandemia, porém com características e semelhanças de expansão baixas se comparada às anteriores. No entanto, o vírus continuará persistindo na transmissão sem que haja mudança nas características de ser transmitido por via respiratória. Ele ainda ressaltou que decretos e normas do governo não podem alterar essa realidade da infecção pela Covid-19.

Enfatizando ainda mais os cuidados contra a doença, Nésio falou sobre o papel das vacinas, ele declarou que durante a quarta onda da Covid-19, o Espírito Santo apresentou a melhor cobertura de vacinação de 2º e 3º em idosos do país, o que garante a redução do impacto de óbitos dessa população no Estado.

“A cobertura de três doses na população adulta encerra o capítulo de impactos de internação e óbitos dessa população. No entanto nesse desfecho, não é encontrado na população idosa. 67% dos idosos perderam a vida entre os 709 óbitos nos meses de janeiro e fevereiro, nós temos uma taxa de mortalidade na população idosa com três doses, 254 vezes menor do que a taxa de mortalidade em idosos com duas doses. O efeito da terceira dose em idosos é extraordinário, é um novo estímulo necessário a um sistema imunológico”, ressaltou.

O secretário concluiu dizendo que chegará um momento em que os capixabas não precisarão mais usar máscaras de maneira cotidiana porque o risco de transmissão na comunidade estará reduzido. No entanto, por agora, a secretaria de Estado da Saúde, insiste que ainda vivemos um período onde há, ainda, outras doenças respiratórias que impactam o sistema de saúde em vários Estados do Brasil.

Mutirão de vacina para o público infantil no Estado

Durante a coletiva, a  Secretaria da Saúde (Sesa) também anunciou o  mutirão  de imunização das crianças contra a Covid-19. A iniciativa quer incentivar o aumento da cobertura vacinal no público infantil e acontece na sexta-feira (11) e no sábado (12).

O mutirão é realizado em parceria com os municípios capixabas, e nos dois dias de imunização, serão ofertados, aproximadamente, 65 mil doses distribuídas nas regiões Metropolitana, Central, Norte e Sul do Estado.

Nésio destacou a eficácia das vacinas disponíveis no Brasil para imunização da população contra a doença e a mobilização para alcançar toda a população pediátrica apta do Estado.

“É essencial os responsáveis por nossas crianças estarem atentos à importância, necessidade e segurança da vacinação nesse público. Nós pactuamos com os municípios para que a mobilização no mutirão seja intensa, onde durante toda semana realizaremos lives e entrevistas para abordar esse assunto. A ideia é tirar as dúvidas sobre a aplicação das doses e reforçar a segurança das mesmas, para que dessa forma seja possível combater as notícias falsas que têm prejudicado a imunização dessa faixa etária em nosso Estado”, concluiu.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -