segunda-feira, 16 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

É Mito! Especialista afirma que leite materno não transmite covid-19 ao bebê

É mito! As mães e gestantes infectadas pela Covid-19 não transmitem o vírus para o bebê durante o aleitamento materno. Quem confirma é a  coordenadora capixaba do Banco de Leite do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), Monica Pontes. O boato vai contra o apoio ao leite materno nos primeiros meses de vida da criança.

A amamentação exclusiva até o sexto mês tem o objetivo de proporcionar uma vida e desenvolvimento para o bebê e não há motivos para interrompê-la,  Mônica chega a afirmar que o leite materno é como se fosse a primeira vacina da criança. 

“O leite tem autovalor imunológico e culturalmente é conhecido como a primeira vacina do bebê. Não existe a transmissão da Covid-19 pelo aleitamento, muito pelo contrário, existe a proteção. O leite materno protege o bebê contra uma série de complicações, inclusive contra a covid.  Mesmo a mãe infectada, mas em boas condições de saúde, pode e deve amamentar o filho, usando máscara e lavando as mãos. Ela pegaria o bebê somente para amamentar, os demais cuidados com a criança uma pessoa saudável vai desenvolver”, relatou.

A hidratação e a alimentação do bebê estão no leite materno que fornece, nos primeiros meses de vida, o único meio da criança ter a água e os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. A necessidade da amamentação é tão grande que especialistas incentivam a exclusividade e até a prorrogação do ato, principalmente durante a covid-19. 

O pedido de prorrogação da amamentação pelo médico é o caso da Mary Bachour. Ela é mãe de duas crianças e seu primeiro filho Rafael, tem 11 anos. Atualmente, com a segunda filha, Sara, de 1 ano e 10 meses, Mary encarou uma situação diferente. O pedido no acompanhamento médico para dar o leite materno de forma prolongada à criança, sem tirar o peito, como acontece normalmente após os seis meses.

“Se não fosse o coronavírus já teria parado de amamentar. Mas, como ela iniciou na creche e ainda estamos em pandemia, para prevenir a doença e outras, a médica me recomendou continuar dando peito, para ela ter mais imunidade. Como já tomei três doses, segundo a médica a proteção da vacina vai para o leite”, disse.

De acordo com a Coordenadora do banco de leite da Hucam, Mônica Pontes, embora o vírus não possa ser transmitido pela amamentação ao bebê, os anticorpos da vacina são transferidos por meio do aleitamento. 

“Nos estudos que temos, o leite materno passa anticorpos para o bebê, de maneira que ele fica protegido da infecção. Já existem estudos que comprovam tanto a presença da imunoglobulina IGA, como a presença da imunoglobulina  IGG através da vacinação dando a proteção para essa criança. No leite materno existe a presença de anticorpos IGG contra a covid-19, para proteger a criança durante a amamentação. Portanto, quanto mais tempo o bebê amamentar é melhor. Na passagem do anticorpo, como essa mãe foi protegida, não só contra esse vírus, mas em todos os outros, o leite materno transfere as proteções que a mãe teve na vida dela”, confirmou.

Confira alguns cuidados que podem ser tomados ao amamentar caso haja infecção pela Covid-19:

  • Lavar as mãos: as mãos são um dos principais meios de transmissão da doença. É importante que estejam bem lavadas com água e sabão antes e depois de tocar no bebê.
  • Uso de álcool em gel: da mesma forma, o uso de álcool em gel não deve ser dispensado. 
  • Máscaras: a máscara no rosto toda vez que se aproximar do bebê também é indispensável.
  • Lave as bombas de leite materno, recipientes de armazenamento de leite e utensílios de alimentação após cada uso, como de costume.
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -