sexta-feira, 19 de agosto de 2022
24.9 C
Vitória

Mais de 96% dos óbitos por Covid-19 no ES foram de pessoas não vacinadas, diz secretário

O secretário de Estado da Saúde (Sesa), Nésio Fernandes, afirmou que 96,68% das mortes por Covid-19 registradas no Espírito Santo foram de pessoas com o esquema vacinal incompleto (com apenas uma de duas doses) ou que não tomaram nem a primeira dose de um dos imunizantes.

A declaração foi dada na tarde desta segunda-feira (16), em entrevista coletiva ao lado do subsecretário de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, Luiz Carlos Reblin.

“96,68% dos óbitos que ocorreram pela Covid-19 no Espírito Santo ocorreram em pessoas que não tinham o esquema vacinal completo e pessoas que não estavam imunizadas contra a Covid-19. As vacinas representam a principal medida sanitária de enfrentamento à pandemia, de resistência a uma doença infectocontagiosa que, neste momento, já é prevenível, tanto com as vacinas quanto com as medidas não farmacológicas associadas: uso de máscaras, distanciamento, uso do álcool em gel, preferência por ambientes arejados e um comportamento que a gente define como comportamento de baixo risco”, disse Nésio.

Em seguida, o titular da pasta disse que as vacinas são a “principal esperança” de ter um final de ano melhor que o de 2020, inclusive com a mudança da agenda principal do país para 2022, possibilitando a retomada da vida social e econômica brasileira.

“Nós consideramos que as vacinas representam a principal esperança de poder trabalhar com a perspectiva de termos tanto um final de ano diferente daquele que vivemos no ano passado como também a perspectiva de um ano de 2022 em que a agenda nacional não estará permeada pela resistência a uma pressão assistencial gigantesca por parte da pandemia sobre os serviços de saúde e, consequentemente, também impactando a vida social e a economia do país“.

Nésio Fernandes prosseguiu argumentando em favor das vacinas, destacando que todas disponibilizadas no Programa Nacional de Imunizações (PNI) são seguras, eficazes e “representam a principal medida de enfrentamento à pandemia, de modo que o governo do Estado do Espírito Santo exorta a toda a população para que complete o seu esquema vacinal”.

Leia mais: Covid-19: ES tem 25,99% da população vacinada com segunda dose ou dose única

Em dado momento da coletiva, Nésio e Reblin informaram que 221 pessoas que faleceram durante a terceira onda da Covid-19 no Estado, período compreendido pelos meses de março, abril e maio, não tiveram a oportunidade de completar o seu esquema vacinal dentro de 28 dias. Dado o prazo entre a primeira e a segunda dose apresentado, trata-se de vacinação com a Coronavac.

“A quantidade de óbitos ocorridos no Espírito Santo entre pessoas que não completaram o esquema vacinal é consequência da baixa cobertura da vacinação na população. É como se pessoas parcialmente protegidas fossem submetidas a um contexto de ampla exposição e risco de transmissão da doença, de modo que a partir do momento em que nós vamos ultrapassando as marcas de 50% de cobertura vacinal e de 70% de cobertura vacinal na população adulta, e avançando na completude do esquema de duas doses na população com mais de 40 anos, o Estado e o País irão observar uma consolidação ainda mais robusta da queda de óbitos e internações de pacientes graves entre os grupos etários que mais evoluem para as condições críticas da doença”, pontuou o secretário.

“Desta maneira, a vacinação exige que toda população supere medos, ansiedade, preconceitos, fake news que são disseminadas e que têm prejudicado a adesão à segunda dose no nosso Estado”, reforçou Nésio.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -