sábado, 21 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

Dia do Atleta: Capixabas relatam as lutas e glórias da profissão

Neste dia 10 de fevereiro é comemorado o Dia do Atleta profissional, uma data para homenagear todas aquelas pessoas que fazem do esporte a sua profissão. E o Espírito Santo é responsável por revelar diversos atletas em variados esportes, mesmo ficando fora do eixo Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, locais que possuem uma estrutura mais elevada.

Ser atleta profissional no Brasil hoje, não é uma tarefa muito simples, pelo contrário, falta apoio, patrocínio, mas mesmo assim essas pessoas vivem em função do esporte, e muitas vezes é dele de onde vem o sustento de cada dia. E com dois atletas aqui no Estado não é diferente.

É o caso da nadadora paralímpica Mariana Gesteira, que não só esteve presente nas últimas olimpíadas em Tóquio, no Japão, como voltou para a casa com uma medalha de bronze no peito. A atleta é portadora da síndrome de Arnold-Chiari, uma má-formação congênita que acomete o sistema nervoso e provoca dificuldade de equilíbrio

A nadadora conquistou a medalha na prova dos 100 metros livre S9, com o tempo de 1m03s39. Carioca de nascimento, ela mora há um ano em Vitória, onde compete pela Associação Capixaba de Pessoas com Deficiência (ACPD)/Álvares Cabral. Mariana também realiza seus treinamentos na academia de alto rendimento da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport).

“Sempre foi meu sonho viver o que eu vivo hoje, e eu vivo para treinar. A minha profissão exige isso e é o que eu mais amo fazer. A minha rotina é 24 horas para o meu melhor rendimento, desde a hora de acordar até a hora de dormir. Eu faço tudo com muito prazer mas não é uma rotina fácil, 90% não serve, tem que ser 100%”, ressaltou Mariana.

Mariana treina com foco para alcançar 100% de aproveitamento. Imagem: TV MovNews

Mariana é uma das atletas que recebem Bolsa do Governo Federal e do município. Ela explicou que não recebe do Estado por ainda não completar o tempo necessário de moradia para garantir a ajuda. A atleta destacou a importância do projeto.

“É graças a bolsa que eu posso me manter e viver no esporte. Se não fosse a bolsa e dependesse de apoio de empresas privadas isso não seria possível. Eu acho que todos os atletas tem orgulho de levantar essa bandeira, porque esses projetos fazem total diferença para que a gente possa continuar desempenhando para ir em busca de medalhas”, disse a nadadora.

A nadadora ainda contou que o único motivo dela ter vindo para Vitória se preparar para as competições foi o técnico Leonardo Miglinas. Ela destacou que tem muita confiança no trabalho do treinador, e que esse foi o fator principal e determinante em sua decisão de se mudar para a capital, e que sem ele a medalha nas olimpíadas não teria vindo. Ele também falou um pouco sobre esse universo dos atletas profissionais.

“O esporte foi se desenvolvendo em um nível que se você quiser fazer parte de um grupo de elite de atletas que disputam competições nacionais e internacionais, é preciso criar uma estrutura profissional de trabalho. A construção de um atleta, para ele entender a importância de atingir um nível profissional é um trabalho árduo que vem desde a base para que ele consiga atingir o máximo”, disse ele.

Multicampeão no Kickboxing

Falou em Kickboxing, é necessário lembrar de Laécio Nunes, lutador capixaba multicampeão nacional e internacional da modalidade. No currículo, um pentacampeonato mundial em cinco categorias diferentes, feito inédito no kickboxing mundial.

O campeão internacional diz que o segredo do sucesso é o amor, dedicação e respeito ao próximo. Imagem: TV MovNews.

Além disso, é campeão intercontinental, campeão sul-americano, campeão brasileiro, campeão do Circuito Europeu, entre outras dezenas de conquistas. O atleta e também professor da modalidade falou um pouco sobre sua carreira.

“No início, como a maioria dos atletas, foi difícil, mas quando a gente faz com amor, dedicação e respeito ao próximo, os resultados vem. Hoje, eu sou uma pessoa realizada na minha carreira. Temos que botar uma coisa na cabeça, que eu quero, eu posso e eu consigo, e tudo que eu tenho eu devo ao esporte”, disse Laécio.

Bolsa Alteta

O Bicampeão mundial e bicampeão brasileiro de beach soccer, Camilo Marcarini, que atualmente coordena o programa Bolsa Atleta Municipal da Secretaria de Esportes e Lazer (Semesp), de Vitória, destacou a importância do programa, que há mais de dez anos oferta esse recurso para os atletas.

“Os atletas recebem essa ajuda financeira para custear as suas despesas pessoais e esportivas, para que eles tenham o mínimo possível de estrutura para estar treinando em alta performance, competindo e alcançando os resultados. Os atletas falam que a ajuda é de extrema importância, principalmente nesse momento tão difícil que estamos vivendo, e muitos deles, de origem muito humilde, só tem essa ajuda que os sustentam e até mesmo as famílias”, destacou Camilo.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -