Jovens Quilombolas iniciam atividades do Cine Quilombola

0

A nova edição do Cine Quilombola deu início a suas atividades nessa quarta-feira (1°) e irá até sábado (04). O projeto é feito por adolescentes e jovens da Comunidade Quilombola do Linharinho, em Conceição da Barra, que engloba o Territória Quilombola do Sapê do Norte. Eles farão um experimento ao longo de quatro dias para criar um filme.

Por meio de uma oficina audiovisual com carga horária de 20 horas, os participantes vão contar, registrar e recriar suas histórias e saberes tradicionais, usando celulares próprios e equipamentos adicionais disponibilizados pelo projeto, realizando em conjunto com a equipe do Instituto Marlin Azul um filme juvenil com até 15 minutos.

O experimento será aberto com uma roda de conversa, por meio da qual os jovens compartilharão suas memórias, motivações, sonhos, angústias, jeito de sentir e viver a vida numa comunidade quilombola. A partir dessa troca de vivências e da construção coletiva, criarão a história e escolherão como transformá-la em imagens e sons em um curta-metragem. Após editado e finalizado, ainda neste ano o filme será exibido em uma tela de cinema montada ao ar livre na comunidade, com sessão gratuita.

O Cine Quilombola é um projeto de fortalecimento comunitário a partir do registro audiovisual dos saberes e fazeres tradicionais das comunidades quilombolas, pelo olhar dos próprios moradores. A ideia é estimular o uso do audiovisual como estratégia de preservação da memória, valorização, registro e difusão das práticas e saberes ancestrais.

A iniciativa conta com recursos do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura), por meio do Edital 03/2022 – Valorização da Diversidade Cultural, da Secretaria da Cultura (Secult). A realização é do Instituto Marlin Azul, com o apoio da Comunidade Quilombola do Linharinho.

 

Histórico

A primeira edição do Cine Quilombola, envolvendo majoritariamente adultos, foi realizada em 2021, no sul do Espírito Santo, e resultou nos seguintes documentários: “Do Lado de Cá”, da Comunidade Quilombola de Graúna (Itapemirim); “Vamos em Batalha”, das Comunidades Quilombolas de Cacimbinha e Boa Esperança (Presidente Kennedy); “Era Caminho Deles”, da Comunidade Quilombola de Pedra Branca (Vargem Alta); “Ninguém Canta Igual Eu Canto”, da Comunidade Quilombola de Monte Alegre (Cachoeiro de Itapemirim).

Em 2023, o projeto se estendeu para Conceição da Barra, no Território do Sapê do Norte, com proposta semelhante, culminando na produção de: “O Vento não tem Morada”, da Comunidade Quilombola do Córrego do Alexandre (Porto de São Benedito), Comunidade Quilombola Porto Grande e Comunidade Quilombola de Santana; “Abre Caminho”, da Comunidade Quilombola do Angelim II; e “Jangolá”, da Comunidade Quilombola do Linharinho.

Instituto

Criado em 1999, o Instituto Marlin Azul é uma associação sem fins lucrativos cuja finalidade é promover ações direcionadas à cultura, à arte e à educação, democratizando o acesso à produção e fruição de bens culturais. Em 25 anos de atividade, a instituição vem desenvolvendo diversos projetos sociais, culturais e audiovisuais voltados para diferentes públicos do Espírito Santo e do Brasil. Além do Cine Quilombola, a instituição desenvolve ações como o Revelando os Brasis, Projeto Animação, Curta Vitória a Minas, Griôs de Goiabeiras, Memória do Barro, Cinema de Griô e o Cine Animazul. Para conhecer os projetos, acesse institutomarlinazul.org.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui