sexta-feira, 24 de maio de 2024
27.1 C
Vitória

Comunidade de Goiabeiras Velha se une para defender a Guanxuma, planta essencial ao ofício das paneleiras

Uma planta antes muito comum nos quintais, canteiros, vasos e calçadas da região de Goiabeiras (Vitória-ES) começou a desaparecer da região impactando uma das etapas de produção da tradicional panela de barro. A Guanxuma, também conhecida como Muxinga, inspirou a criação do Projeto Memória do Barro II – Eu Sou Guanxuma! num dos bairros da capital que mais se destaca na valorização das culturas populares.

Durante a fabricação, a artesã utiliza a vassourinha feita de Guanxuma para selar a panela com tanino, substância vinda da casca do mangue vermelho usada para tingir e impermeabilizar a peça de barro. Por suportar o calor de mais de 400 graus ao final da queima da panela na fogueira, a Guanxuma é símbolo de resistência. O objetivo é mobilizar e conscientizar a comunidade de Goiabeiras Velha em torno da revitalização, revalorização e replantio desta planta que vem se tornando escassa apesar de essencial para o ofício das paneleiras e artesãos.

As primeiras atividades do projeto acontecerão neste final de semana envolvendo paneleiras, artesãos, crianças, adolescentes e jovens da comunidade. A programação será aberta no sábado (16/03/24), às 8 horas, com uma visita ao Parque Natural Municipal Vale do Mulembá, unidade de conservação com 142,10 hectares, localizada numa área de Mata Atlântica de Encosta, em Vitória (ES).

Ao chegarem ao parque, a turma fará uma caminhada até o Barreiro para coleta de sementes da espécie e para conhecer o local onde é retirado o barro para a produção das panelas. Em seguida, participarão da contação de histórias e da roda de conversa sobre a Guanxuma (Muxinga) e sua importância para a atividade das paneleiras e artesãos. No domingo (17/03), às 8 horas, os participantes se distribuirão em duas oficinas organizadas nos quintais das paneleiras: uma de modelagem de panelas de barro e outra de modelagem de jarros de barro, ambos para plantio das sementes de Guanxuma.

As próximas etapas do projeto incluirão novas rodas de conversas com grupos de moradores de diferentes idades, com estudantes secundaristas e universitários, oficinas de coleta, plantio e colheita da planta, e de produção das vassourinhas e atividades de distribuição de saquinhos de sementes de Guanxuma e dos jarros apropriados para plantio nos quintais e varandas.

Em 2002, o saber artesanal da produção da panela de barro foi o primeiro bem cultural brasileiro registrado como patrimônio imaterial no Livro de Registro de Saberes pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O “Memória do Barro II – Eu Sou Guanxuma!” é um projeto feito em parceria com o Instituto Marlin Azul – instituição sem fins lucrativos criada em 1999 para promover ações direcionadas à cultura, à arte e à educação – e com a Associação das Paneleiras de Goiabeiras. O patrocínio é da Prefeitura Municipal de Vitória, através do Projeto Cultural Rubem Braga.

Como nasceu a proposta

 A primeira edição do Memória do Barro, realizada em 2022, juntou as novas e antigas gerações com a finalidade de valorizar a memória, o ensino e a difusão dos saberes das paneleiras. Crianças, adolescentes e jovens da comunidade se uniram às artesãs em seus quintais para conhecerem suas histórias de vida e aprenderem um pouco sobre as principais etapas de fabricação das panelas. A programação envolveu rodas de conversa, visitas ao Vale do Mulembá, modelagem e queima de panelas e exposição das peças produzidas pelos participantes nas oficinas para a comunidade capixaba em geral.

Esta segunda edição dá continuidade ao compromisso de promover o encontro de gerações, de resgatar relatos de vida, memórias pessoais e coletivas e de divulgar e preservar as tradições populares, em especial, o saber das paneleiras, tendo como foco central o resgate e a revitalização da Guanxuma, contribuindo com a preservação da espécie de valor estratégico para a comunidade e com a sustentabilidade do trabalho das artesãs do barro.

SERVIÇO

16/03/24 (Sábado)

Roda de conversa

Atividades: Reunião no quintal da coordenadora da Banda de Congo Panela de Barro de Goiabeiras, filha e neta de paneleiras, a bibliotecária e historiadora, Jamilda Bento, para ida ao Vale do Mulembá. Caminhada até o Barreiro para coleta de sementes, seguida de contação de histórias e roda de conversa sobre a importância da Guanxuma (Muxinga) para a comunidade e piquenique.

Público: paneleiras, artesãos, crianças, adolescentes e jovens do projeto

Local: Parque Natural Municipal Vale do Mulembá – Vitória (ES)

Horário: 8 às 12h

17/03/24 (Domingo)

Oficinas de Modelagem de Jarros e Panelas de Barro

Atividades: Ensinamentos sobre a preparação e a modelagem do barro para produção de jarros e panelas para plantio da Guanxuma (Muxinga).

Público: paneleiras, artesãos, crianças, adolescentes e jovens do projeto

Locais:

1) Quintal da paneleira Jucileida Barboza (Oficina de Panelas de Barro) – Goiabeiras

2) Quintal da paneleira Berenicia Corrêa (Oficina de Jarros de Barro) – Goiabeiras

Horário: 8 às 11h

Mais informações   

Instituto Marlin Azul

Telefone: (27) 3327-5009 | (27) 99872-3521

E-mail: [email protected]

Site IMA: www.institutomarlinazul.org.br

Redes sociais: @institutomarlinazul

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -