sábado, 25 de maio de 2024
22.1 C
Vitória

Matias Brotas dá início às comemorações de seus 18 anos com a primeira exposição de 2024

A primeira exposição do ano de 2024 da Matias Brotas arte contemporânea inaugura as comemorações do aniversário de 18 anos da galeria e apresenta uma mostra inédita com dois artistas capixabas: “A Ambivalência dos Limites” com Sandro Novaes e Thiago Lessa. A vernissage da exposição acontece dia 25 de março para convidados e a mostra abre ao público na terça, dia 26, às 17h, com bate-papo entre os dois artistas, João Wesley de Souza, que é professor do Centro de Artes da Ufes, e Flávia Dalla Bernardina, diretora artística da Matias Brotas.

Logo na entrada, o espectador é convidado a imergir na instalação “A temporalidade dos atos” do artista Sandro Novaes, um emaranhado de linhas e traços que se cruzam e se refletem, composta por centenas de metros de linha, que instigam a curiosidade e o diálogo entre o espectador e a obra. A essência do trabalho de Sandro é propor uma experiência sensorial que transcende o visual para tocar o íntimo do observador. As obras dialogam com a materialidade e o efêmero, evidenciam a relação fenomenológica entre obra e observador, e exploram a narrativa do espaço e a travessia dos dilemas.

“Tudo que vemos e que podemos participar, nos encaminha a uma experiência reflexiva que culmina no reconhecimento de fenômenos. Estes só podem ser construídos através da experiência de um observador ativo”, explica o artista visual, que além da instalação, também vai apresentar a série de pinturas inéditas “Artifício expressivo em Sol Lewitt”, que inaugura sua incursão nas cores.

Em diálogo com a poética minimal e escultórica de Sandro Novaes, o espectador se depara com a série de pinturas figurativas “Universos oníricos” do artista Thiago Lessa. Um convite para adentrar seu universo repleto de expressividade e nuances realistas. Suas obras trazem figuras femininas de olhares profundos e propõem uma jornada de introspecção e diálogo com o íntimo. Uma certa dualidade humana opera ali logo na entrada, lidando com naturezas distintas e muitas vezes conflitantes, uma física e outra mental, espiritual.

Explorando temas como beleza, força e fragilidade, o trabalho de Thiago Lessa é uma reflexão sobre a condição humana, expressa através de veladuras delicadas e uma habilidade única em manipular forma, cor e luz. Sua arte, que transita entre o hiper-realismo e o expressionismo, dialoga com a narrativa espacial e introspectiva proposta por Sandro Novaes, enriquecendo a experiência do observador. A espacialidade e expografia da exposição também convidam o expectador a refletir sobre a “A Ambivalência dos limites”, sobre os conflitos de ideias e sobre o lugar do indivíduo no mundo.

Neste encontro, o espaço da Matias Brotas se transforma em um território de descoberta e reconhecimento, onde pinturas e instalações se entrelaçam para contar histórias de introspecção e manifestação do ser, do corpo e da mente. A exposição tem curadoria de Lara Brotas e texto crítico de Flávia Dalla.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -