95ª Festa de São Pedro na Praça do Papa começa nesta sexta-feira (30); confira a programação

0
Festa de São Pedro na Praça do Papa

Começa hoje (30), a tradicional Festa de São Pedro, que neste ano comemora sua 95ª edição. A Praça do Papa se transformou em um cenário festivo, com palco, iluminação, 60 barracas de comida e bebida, banheiros, área de alimentação, ambulâncias e um sistema especial de segurança e trânsito. O evento, realizado em parceria entre a Prefeitura Municipal de Vitória (PMV) e a Colônia de Pescadores da Praia do Suá, promete atrair um público de 25 mil pessoas ao longo dos três dias de festividade.

Considerada a maior celebração do calendário cultural e turístico da cidade, a Festa de São Pedro contará com a presença de duas atrações nacionais renomadas: Raça Negra e Falamansa. O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, destacou que esta edição busca surpreender e ser a mais bela já realizada em honra ao santo padroeiro dos pescadores. A administração municipal trabalhou com dedicação para garantir a segurança e a tranquilidade dos pescadores, das famílias e dos turistas durante o evento.

A Secretaria Municipal de Cultura (Semc) foi responsável por elaborar uma ampla programação cultural, incluindo artistas locais, regionais e nacionais, para homenagear São Pedro. A festividade terá um caráter de fé, alegria e confraternização, representando um momento de união após um período desafiador de isolamento social. Luciano Gagno, secretário municipal de Cultura, expressou suas expectativas positivas para esta edição especial, destacando os 95 anos de história da Festa de São Pedro.

Diversas pastas da PMV desempenharam papéis fundamentais na organização do evento. Além da Secretaria Municipal de Cultura (Semc), as secretarias de Segurança (Semsu), Saúde (Semus) e Meio Ambiente (Semmam) estiveram ativamente envolvidas. A união dessas equipes permitiu que a festa fosse realizada de forma segura e sustentável, garantindo a diversão e a satisfação de todos os participantes.

Com todas as preparações concluídas, a cidade de Vitória se prepara para celebrar a 95ª edição da Festa de São Pedro, um evento que representa a fé, a cultura e a tradição da região. Os organizadores estão confiantes de que esta será a maior festa do ano em 2023, proporcionando momentos inesquecíveis para a população, os pescadores e os turistas que comparecerem ao evento.

Saúde

A fim de prestar assistência e atendimento à população, a Semus disponibilizará duas ambulâncias básicas para transporte de pacientes de baixa gravidade.

Segurança

Para garantir a segurança de munícipes e turistas presentes à Festa, a Guarda Civil Municipal de Vitória (GCMV) terá agentes dos grupamentos de Proteção Comunitária, de Trânsito e da Ronda Ostensiva Municipal (Romu) circulando pelo local.

Trânsito

A rua Judite Maria Tovar Varejão, na lateral da Praça do Papa, será interditada na sexta-feira (30) a partir das 06h. Uma faixa da avenida Nossa Senhora dos Navegantes, sentido Praia do Canto, também será bloqueada a partir das 18 horas.

GCMV realizará, ainda, operações nas proximidades, com o intuito de inibir a utilização de carros por condutores alcoolizados.

Os agentes estarão prontos para quaisquer outras possíveis intervenções nas vias, caso haja necessidade de novas interdições ou desvios durante o evento.

Shows

Grandes shows estão confirmados pela Semc para garantir o lazer e a animação das pessoas que comparecerem à festa. Como anunciado pelo prefeito, Lorenzo Pazolini, a banda Falamansa e o grupo Raça Negra são os “headliners” da programação que inclui também atrações regionais como Emerson Xumbrega, Evandro e Raniery, Alison e Herlon e Carol e Priscila.

“Nossa intenção é sempre trazer e valorizar os talentos da cultura local, por isso mesclamos atrações regionais e nacionais nos mais variados ritmos para garantir o lazer e animar o público presente”, declarou Luciano.

Sexta (30/06)

Emerson Xumbrega

Quem abre a programação musical da 95ª Festa de São Pedro, às 20h, é o sambista Emerson Xumbrega. O cantor e compositor vem se destacando no cenário musical capixaba e também no Brasil, levando o melhor do samba em suas apresentações.

Além de vários prêmios junto ao carnaval capixaba como cantor e compositor, Xumbrega vem se apresentando em carreira solo em rodas de samba, casas de shows e vários eventos como festivais, festas de réveillon, Carnavais, projetos e programas culturais no Espírito Santo e também em outros estados.

Recentemente gravou seu 1º DVD que contou com a participação de Neguinho da Beija-Flor, Dudu Nobre, Viviane Araújo entre outros artistas.

Raça Negra

“Cheia de manias, toda dengosa”, a banda Raça Negra sobe ao palco da Cultura na Praça do Papa às 22 horas.

Desafiar o tempo com suas canções é uma das principais características do conjunto que prova que só mesmo um projeto grandioso como esse é capaz de celebrar o sucesso de uma das bandas mais queridas do Brasil.

Há quase 40 anos o Raça Negra segue com suas músicas atemporais que transitam por todos os públicos e gerações. Formado em 1983, o grupo foi pioneiro no segmento do samba romântico, sendo o primeiro a tocar em uma rádio FM. Responsável pela popularização do gênero nos meios de comunicação, o Raça Negra emplacou vários hits e até hoje segue atraindo público e mídia.

Para a apresentação na Praça do Papa é claro que não vão faltar sucessos como “É tarde demais”, “Cigana”, “Doce paixão” e a inconfundível “Cheia de manias”. A canção “É tarde demais”, inclusive, está no Guinness (livro dos recordes) como a música mais tocada em um único dia no mundo: 600 vezes em 20 de julho de 1995.

Hoje, com a tecnologia avançada, presença maciça de redes sociais e streamings, o Raça Negra alcançou números ainda mais expressivos. Possui 23 milhões de ouvintes e 580 milhões de “plays” na plataforma “Spotify”, mais de 100 milhões de plays na canção “Cheia de Manias”, 12 milhões de seguidores nas redes, 120 milhões de views com a hashtag #RacaNegranoTiktok e incríveis 1,1 bilhão de visualizações no YouTube.

Promete muito!

Sábado – 01/07

Banda da Guarda Municipal

Quem abre o segundo dia de programação da Festa de São Pedro é a Banda da Guarda Municipal. A necessidade da execução de números musicais em eventos cívicos, atos solenes e oficiais e apresentações sociais e culturais do município fez com que em 2021 surgisse a Banda.

O grupo, que atende às ações da Secretaria de Segurança e também promove sessões musicais em comunidades, se apresentou pela primeira vez na inauguração da Casa Rosa, em outubro de 2021. Desde então, os músicos vêm conquistando espaço no cenário da cultura capixaba e fazendo história como conjunto.

No primeiro trimestre de 2023, quase 50 shows foram realizados por toda a capital, levando alegria e diversão através da música. Com um repertório variado, que passa pela MPB, Pagode, Samba, Rock, e internacionais, os artistas são sucesso por onde se apresentam e querem animar o público presente à Festa.

A Guarda’s Band é formada por oito integrantes: Dayvison (violão e voz), Fassarella (Baixo), Jader (Guitarra), Patrocínio (Saxofone), Lauro (Saxofone, percussão e voz), Marquesi (bateria e percussão), Thiengo (Bateria) e Peterson (teclado).

Para a apresentação na Festa de São Pedro a banda tem preparação especial para agradar aos convidados. “A intenção é sempre surpreender o público e fazer com que eles façam parte do show”, diz Dayvison.

Evandro e Raniery

Nascidos em Vitória, além de irmãos, têm uma grande parceria musical e são apaixonados com a mistura dos ritmos Rock e Sertanejo.

Foi no ano de 1990, em um bar com música ao vivo dos pais, que a dupla “deu uma canja” pela primeira vez e de lá para cá, os meninos, antes acostumados a tocar em festas da família, ganharam os palcos de todo estado e construíram uma sólida carreira.

A primeira banda, “Subversão”, reuniu músicos e gravou o primeiro CD em 1998 repleto de composições autorais. Com a música “Juntos para sempre”, ficaram em primeiro lugar, durante seis meses, entre as músicas mais pedidas das rádios capixabas.

Após assumirem a configuração de dupla, Evandro e Raniery fizeram sucesso nos carnavais nos quais cantavam e foram os primeiros artistas locais a cantar no palco principal do conhecido “Villa Mix” nos anos de 2013, 2014 e 2015.

No show da 95ª Festa de São Pedro a dupla que possui três CDs gravados e um DVD promete animar a multidão com hits como “Pá pow”, “Mais forte que tudo”, “Liguei para te dizer”, “Potência ou boteco”, “Deixa chover” e a curiosa “Aciona o Var”.

Falamansa

O tradicionalíssimo conjunto Falamansa promete deixar o público “rindo à toa” e dançando muito a partir das 22 horas de sábado (1º).

Rompendo paradigmas comuns para um grupo musical, o Falamansa completa 20 anos de atividade ininterrupta e com a mesma formação: Tato (voz e violão), Valdir (acordeão), Alemão (zabumba) e Dezinho (triângulo e percussão).

Além dessa característica rara no cenário musical brasileiro, a banda ainda ostenta ao longo de todos esses anos uma fidelidade cultural sem precedentes e uma linha temática em suas letras que faz com que sua sonoridade seja algo único e mantenha sua identidade.

Os números da banda impressionam. São mais de 4 milhões de discos vendidos, 11 álbuns, 3 DVDs e 1 Grammy latino, além de outras premiações ao longo da carreira.

Com sua proposta rítmica inicial, mantendo viva e presente a cultura brasileira do forró em seus trabalhos Falamansa traz para o palco da Cultura sucessos do CD e DVD “Falamansa 20 anos” gravado no norte do estado no distrito de Itaúnas em Conceição da Barra.

Canções que não podem e não vão faltar no repertório são: “Xote dos milagres”, “Rindo a toa”, “Xote da alegria”, “Asas”, “Confidências”, “Amigo velho”, “Medo de escuro”, “Chuva”, “Avisa”, “Solução” e “Cem anos”.

Domingo (02/07)

Procissão

O terceiro dia da 95ª Festa de São Pedro começa marcado por muita devoção e fé. No domingo (2), a partir das 10 horas acontece a tradicional procissão marítima que sai da Praça do Papa em direção à Ilha do Príncipe.

A previsão é de que 100 embarcações acompanhem a imagem do santo padroeiro pelas águas da baía de Vitória.

Desafio do Banjo

No domingo (2) o palco da Cultura, da PMV, apresenta atrações mais cedo, a partir das 16 horas. É nesse horário que tem inicio um diferente duelo musical: “O desafio do banjo”. Alisson e Herlon fazem um “confronto” do bem no palco e quem ganha é o público com muito samba de qualidade.

Alisson do Banjo

Músico, compositor e intérprete, Alisson José dos Santos conhecido como Alisson do Banjo nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, e foi apresentado ao samba na sua infância quando seus pais, tios e avós, faziam suas comemorações regadas a um dos ritmos mais populares do Brasil.

Aos 15 anos se interessou pelo cavaquinho e começou os estudos, mas, ao se deparar com o banjo, diferente instrumento de cordas, que ao mesmo tempo possui um som percussivo, se encantou. Ali tinha início uma relação que já dura quase 28 anos.

Durante 16 anos foi integrante do grupo Mania do Samba e acompanhou e abriu shows de diversos artistas de renome, entre eles Arlindo Cruz e Sombrinha, Fundo de Quintal, Luiz Carlos da Vila, Marquinho Diniz, Marquinho Sathan, Noca da Portela, Toninho Geraes, Serginho Miriti, João Martins entre outros.

Morador do Espírito Santo há 10 anos, segue carreira solo atuando no mercado musical capixaba, com um repertório repleto de sambas consagrados e composições próprias.

Herlon a Fera do Banjo

Ex-vocalista do carioca Grupo Raça, Herlon Flávio Ferreira, começou a sua história no mundo do samba aos 14 anos. Integrou os grupos Pagode lá de Casa, Sambaterra e Explosão do Pagode.

Como músico acompanhou sua eterna madrinha Jovelina Pérola Negra, seu padrinho Arlindo Cruz e outros artistas como Almir Guineto, Maquinho Satã e Mestre Marçal.

Na trajetória como compositor tem sambas gravados na voz de Neguinho da Beija Flor, Zeca Pagodinho, Alcione, Leci Brandão, Katinguelê, Razão Brasileira, Bokaloka, Vavá, Dudu Nobre e com o próprio Grupo Raça.

No passado foi “Muleke” do Banjo e hoje sustenta a alcunha de “A Fera do Banjo” pseudônimo que ganhou do filho Odilon.

Carol e Priscila

Elas surgiram no cenário musical capixaba em 2000, quando ambas eram estudantes da rede municipal de ensino de Vitória. A dupla composta pelas irmãs Carol e Priscila buscou inspiração em sua mãe que já havia sido cantora.

Carol, que além de cantora é compositora e instrumentista, começou a se apresentar primeiro e logo identificou na irmã o talento para a música. Assim, formaram a dupla sertaneja e começaram a se apresentar em festas escolares e em eventos da Prefeitura. Com o passar dos anos a dupla montou uma banda, passando a fazer shows por todo o Espírito Santo e também no estado do Rio de Janeiro, onde já formou um público fiel.

Confira a Programação na íntegra:

30/06 – Sexta

Abertura da 95ª Festa de São Pedro

20h – Emerson Xumbrega

22h – Raça Negra

01/07 – Sábado

18h – Banda da Guarda Municipal

20h – Evandro e Raniery

22h – Falamansa

02/07 – Domingo

10h – Procissão Marítima

16h – Alison e Herlon – Desafio do Banjo

18h – Carol e Priscila

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui