sexta-feira, 12 de agosto de 2022
23.3 C
Vitória

Especialistas dão dicas para quem vai viajar com o dólar alto; confira

Viajar é bom e todo mundo gosta. Mas, com o dólar turismo cotado a R$5,57, os brasileiros estão tendo que reorganizar as viagens das férias de julho para se adequar ao orçamento. Para os que desejam viajar ao exterior, ainda dá para se planejar, mesmo com a moeda enfrentando o seu maior patamar de fechamento, com alta de 1,68%, nesta semana. 

Pensando nisso, o Portal MovNews escutou especialistas para saber como enfrentar a volatilidade do câmbio, que também afeta outros fatores da economia, e não gastar muito durante as tão esperadas viagens. 

Segundo os economistas, Amanda Moreno Lopez e José Antônio Resende Alves, é simples perceber os impactos da crise nos preços de passagens, hotéis e no próprio câmbio. O temor de recessão vem tomando contornos mais concretos, o que tem impactado diretamente o câmbio no Brasil.

A economista Amanda Moreno Lopez. Foto: Arquivo Pessoal

“Além disso, a guerra, pandemia e incertezas levam os investidores a alocarem dinheiro em países seguros, como os Estados Unidos, ao invés de países mais arriscados, como o Brasil. Com um fluxo de dinheiro estrangeiro saindo do país, o dólar vai ficando cada vez mais escasso e caro”, esclarecem. 

Entretanto, os especialistas destacam que, mesmo assim, ainda é possível viajar para fora do Brasil economizando. “Aconselho que viajantes internacionais comprem a passagem em torno de 30 a 60 dias antes da data do voo na baixa temporada e de 60 a 120 dias na alta temporada. Dessa forma, conseguem pegar valores mais baratos”, descrevem. 

O diretor de uma empresa de intercâmbio do Espírito Santo, Alexandre Mafra, também explica que, tendo um bom agente de viagens ou monitorando os valores com frequência, é possível curtir o passeio sem gastar tanto.

“O planejamento e o conhecimento fazem com que você possa comprar passagens quando estão em promoção. Quando se consegue fazer um planejamento com antecedência é possível economizar muito devido a maior variedade de ofertas e possibilidades de promoção”, explica.

Alexandre Mafra, diretor de uma empresa de intercâmbio do Espírito Santo. Foto: Arquivo pessoal

Além disso, segundo o diretor, com o conhecimento ou apoio de bons profissionais do setor também se consegue economizar muito.

“Eles podem te indicar os períodos melhores de viagem, baixas temporadas, escolhas de hotéis ou fornecedores. As dicas de quem recebe treinamentos periódicos e conhecimento dos destinos fazem muita diferença. Mas, deve-se tomar cuidado com a economia, muitas vezes o consumidor contrata serviços mais baratos sem ter um maior conhecimento e pode ter um problema bem maior no destino, ocasionando gastos bem mais representativos”, finaliza.

Dicas para quem vai viajar:

  1. Compre dólar aos poucos: essa é uma maneira de enfrentar a oscilação da moeda estrangeira. Dessa forma é possível conseguir uma cotação média.
  2. Pesquise os preços: as casas de câmbio podem variar uma das outras. Além disso, é importante pesquisar a média dos valores que serão gastos com itens indispensáveis durante a viagem.
  3. Seja flexível: ter flexibilidade, tanto de datas quanto de destinos, é uma das maneiras mais eficientes de conseguir viajar barato. Quando estiver pesquisando passagens, por exemplo, não se prenda a uma única data, é importante testar várias possibilidades.
  4. Escolha bem o período de viagem: meses de dezembro, janeiro e julho exigem um desembolso maior do que o resto do ano. Viajar na baixa temporada pode trazer economias, além disso, os passeios turísticos e aeroportos estão mais vazios.
  5. Conte com o apoio de especialistas do assunto: ir atrás de agências de viagens e especialistas no assunto envolvendo câmbio e economia também ajuda.
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -