quarta-feira, 29 de junho de 2022
16 C
Vitória

Sesa confirma transmissão comunitária da variante Ômicron em Vitória

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou na tarde desta quarta-feira (22) a circulação da variante Ômicron, do coronavírus, no Espírito Santo. Segundo o titular da pasta, Nésio Fernandes, um caso de infecção por essa variante foi identificado em Vitória, durante treinamento das equipes do Laboratório Central (Lacen-ES). “Uma transmissão comunitária”, pontuou.

“O governo do Estado do Espírito Santo comunica que durante o treinamento das equipes do Lacen, o nosso laboratório de saúde pública, para a realização do sequenciamento genético foi identificada a circulação da variante Ômicron no Espírito Santo. Se trata de um caso do município de Vitória, uma transmissão comunitária”, disse.

A pasta informou que a amostra contaminada pela Ômicron foi encontrada após a realização de um teste RT-PCR em um morador da capital, que esteve em São Paulo entre o final do mês de novembro e início de dezembro. A coleta foi realizada no momento em que ele chegou ao Espírito Santo.

De acordo com o secretário, o governo vai intensificar a fiscalização do passaporte da vacina, para garantir estabelecimentos de atividades sociais e econômicas estejam, de fato, exigindo a comprovação de imunização contra a Covid-19.

Além disso, destacou a necessidade de municípios apresentarem planos de fiscalização e de ampliação da oferta de testes para detecção do coronavírus na população.

“Diante disso, o governo do Estado irá reforçar as medidas de fiscalização junto às atividades as quais se exige o passaporte da vacina. Recomendamos aos municípios capixabas que apresentem, o mais rápido possível, plano de fiscalização por parte das vigilâncias municipais das atividades que se exigem o comprovante da vacina. Reforçamos a necessidade da mobilização pela ampliação da oferta da testagem para que a gente consiga romper a cadeia de transmissão e evitar a circulação de pessoas contaminadas”, afirmou Fernandes.

Com a proximidade do Natal e do Réveillon, o secretário recomendou, novamente, a suspensão de festas de ano novo e grandes aglomerações.

“Também reforçamos o comunicado da vigilância estadual onde recomendamos a suspensão das festas de ano novo, as queimas de fogos de artifício, as grandes aglomerações. Ainda existem incertezas sobre características importantes da variante Ômicron que não são suficientes para que a gente prescinda da prudência e das medidas preventivas para este momento”, expôs.

Na sequência, “conclamou” a população capixaba a estar em dia com o esquema vacinal, ou seja, ter tomado primeira (D1) e segunda (D2) e também a dose de reforço. Dirigindo-se em especial aos que ainda não tomaram nenhuma dose, Nésio Fernandes destacou a eficácia e a segurança dos imunizantes no combate à Covid-19, especialmente para o caso da variante Ômicron, mais transmissível e potencialmente desenvolvedora das formas mais graves da doença, rechaçando mentiras e notícias falsas que desestimulem pessoas a se imunizarem.

“Conclamamos a população para atualizar seu esquema vacinal de segunda e terceira dose. E um apelo especial aqueles que ainda não se vacinaram nem com a primeira dose. Principalmente agora, com a Ômicron, que tem uma capacidade de transmissão incrementada em relação às variantes já conhecidas, inclusive em relação à Delta, e também a capacidade de desenvolver a doença (Covid-19) grave na população não vacinada. Então inicie seu esquema vacinal. Não acredite nas mentiras e fake news, porque o governo do Estado está preocupado com a sua vida e com toda a população.”

O secretário pediu que as pessoas continuem usando máscaras e seguindo demais medidas de segurança sanitária reduzir a propagação da nova variante. Por fim, Fernandes manifestou a atenção dada pelo governo estadual à situação, podendo inclusive apresentar novas medidas de contenção do vírus através da atualização da matriz de risco. Segundo ele, as ações visam garantir “suportar possíveis pressões” no sistema de Saúde capixaba.

“Nós neste momento reforçamos a necessidade de garantir que o uso disciplinado das máscaras possa representar uma medida complementar necessária para evitar e reduzir o risco de transmissão do vírus. Nós, ao longo dos próximos dias, podemos atualizar medidas junto à matriz de risco. No entanto, neste momento, queremos reforçar todas as medidas vigentes para poder suportar possíveis pressões assistenciais que a nova variante pode levar no estado do Espírito Santo”, concluiu.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -