terça-feira, 9 de agosto de 2022
22.7 C
Vitória

Vitória estuda intervenções de resgate da restinga da orla da Praia do Canto até a Curva da Jurema

A orla que se estende da Praia do Canto, passando pela Praia de Santa Helena, até a Curva da Jurema, em Vitória, passará por intervenções de resgate da vegetação nativa da restinga. A primeira vistoria do local foi realizada por técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmam) na última semana.

A região é reconhecida pelo seu potencial turístico e econômico e a restinga existente é classificada como área de preservação pelo Código de Meio Ambiente de Vitória (Lei 4438/1997). O termo restinga é utilizado para definir diferentes formações vegetais que se estabelecem sobre solos arenosos na região da planície costeira.

Esses ecossistemas são determinados fisicamente pelas condições edáficas (solo arenoso) e pela influência do mar e estão distribuídos ao longo do litoral brasileiro e por várias partes do mundo. O estudo que viabiliza a obra no local integra o Plano de Gestão Integrada da Orla do Município de Vitória.

 O secretário de meio ambiente de Vitória, Tarcísio Föeger,  conta que a restinga é um importante bioma que precisa ser preservado e valorizado. Em uma cidade litorânea, como Vitória, a restinga é responsável pela retenção da areia contra os efeitos erosivos do vento e das marés, além de ser o habitat para várias espécies de pássaros e pequenos mamíferos. “Neste projeto, estão sendo considerados vários anos de experiências urbanísticas e ambientais acumuladas pelas equipes técnicas da Semmam“, pontua.

O engenheiro agrónomo Fernando Pratti, idealizador dos mosaicos e coordenador do projeto, explica que a Semmam está elaborando um projeto técnico no mesmo molde do que está sendo feito em Camburi, com a retirada das plantas exóticas e reintroduzidas espécies nativas, incluindo floríferas e frutíferas.

Além disso, serão criados canteiros espaçados, denominados mosaicos, que vão valorizar a paisagem da orla e evitar que plantas mais vigorosas cresçam e abafem outras espécies, ocupando toda a área e obstruindo a vista para o mar e a iluminação, passando sensação de insegurança para os frequentadores da praia “, diz Fernando .

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Como mexer na restinga sem haver o impacto ambiental. E os roedores ad corujas que estão se estressando pois capinaram a restinga e não colocaram cerca p preservação dos animais
    Porque uma ong explora uma área de marinha..E ad tartarugas. Pois as embarcações não respeitam nada. E a audiência pública. A praia é do povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -