sábado, 25 de maio de 2024
26 C
Vitória

Mucane: Museu Capixaba do Negro abre as portas restaurado

Uma celebração ao som de música, dança, capoeira e alegria. A Prefeitura de Vitória anunciou a conclusão das obras de restauração do icônico Museu Capixaba do Negro – Mucane, um tesouro cultural localizado no coração da cidade.

Com um investimento total de R$ 801.394,47, o restauro representa um marco significativo na preservação do patrimônio histórico e cultural da região. Ele foi entregue neste sábado (23).

A edificação, que remonta a 1912 e é um testemunho da rica herança afrodescendente da cidade, passou por um rigoroso processo de restauração. Engenheiros e arquitetos da Prefeitura de Vitória conduziram uma minuciosa vistoria, identificando patologias e necessidades de reforma. Problemas como infiltrações, desplacamento do revestimento e trincas nas paredes foram cuidadosamente abordados, resultando na recuperação completa da edificação.

O Mucane, composto por dois pavimentos e uma ampliação de três pavimentos nos fundos, está agora pronto para continuar sua missão vital de difundir a cultura dos povos afrodescendentes.

“Nós nos preparamos, fizemos a restauração preservando a sua cultura, seu papel histórico, paisagístico, cultural e artístico. Hoje é um dia muito especial, pois estamos devolvendo aos capixabas um espaço significativo que conta uma história de valor para todos nós”, destacou Lorenzo Pazolini, Prefeito de Vitória.

Seus corredores estão repletos de história e significado, prontos para receber visitantes ansiosos para explorar e aprender. “Estamos em um prédio histórico, no meio da memória da cultura, da cidade, do centro desta capital. Estamos entregando à população uma obra bonita, decente, bem feita e acabada. Com a vital importância do povo negro que fez e faz a história do Brasil. Quando a Prefeitura se preocupa em propor esse tipo de ação, nós passamos a resconsiderar muitas coisas que ficaram para trás”, disse Edu Henning, Secretário de Cultura de Vitória.

A solenidade teve a participação da família do ex-governador (1990-1994), Albuino Cunha de Azeredo, que fundou o museu, em 1993.

Emocionada, a viúva do ex-governador, Valdicéia Peçanha de Azeredo, não conseguiu esconder a gratidão que sentia. “Sou muito grata ao Prefeito Lorenzo Pazolini. Me sinto honrada e lisonjeada por essa homenagem ao meu falecido esposo”, disse.

A filha do ex-governador, Ana Flavia Azeredo, destacou a importância da luta por igualdade e combate à discriminação racial. “Fui vítima de discriminação. Foi um episódio que me ensinou a importância de intensificar a voz e a lut”, declarou.

Jocelino Junior, professor e coordenador do Museu do Negro, destacou a felicidade que estava sentido pela reabertura do local para a a população de Vitória: “Principalmente por se tratar de um local que enfatiza a importância e a beleza da cultura negra e valoriza a trajetória do Mucane nos seus mais de 30 anos de história. O museu agora vive uma nova fase. Nosso agradecimento a prefeito Lorenzo Pazolini pelo respeito e investimento. O Museu era muito sem cor. Tivemos a oportunidade de ouvir os movimentos negros e hoje temos as cores que escolhemos nas paredes. Agora, esse espaço está renovado, colorido, com uma agenda lotada e dedicada a população negra e de toda a cidade de forma gratuita”, afirmou.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -