sábado, 25 de maio de 2024
26 C
Vitória

Polícia continua no Morro do Macaco após cinco mortes em confronto com a PM

As cinco pessoas mortas durante o confronto com a Polícia Militar, no Morro do Macaco em Vitória expõe a audácia e a mudança de comportamento de criminosos, na capital.

A afirmação vem comandante da PM, coronel Douglas Caus, que destacou que em situações rotineiras, em outros confrontos os criminosos atirariam e sairiam correndo. Mas desta vez houve enfrentamento: “É uma situação atípica por dois motivos: primeiro um indivíduo lançando uma granada nos policiais. Segundo que eles mantiveram a posição. Isso significa que eles estavam defendendo uma carga grande, ou estavam protegendo alguma liderança.”.

Cinco mortos em confronto com a PM

Era noite da segunda-feira (14), quando a equipe de inteligência da PM recebeu a informação de que um grupo de 30 criminosos fortemente armado estaria no Morro do Macaco, na região de Tabuazeiro, em Vitória. O comandante da Polícia Militar, coronel Douglas Caus disse que após a informação, uma equipe da Força Tática do primeiro batalhão foi acionada.

“A equipe foi duramente enfrentada, com diversos disparos por parte dos criminosos, que mantiveram a posição, ou seja, mantiveram a troca de tiros por muito tempo. Posteriormente nossa tropa avançou, cinco indivíduos foram baleados, cinco armas apreendidas”.

“Um dos indivíduos que foi baleado, inclusive durante o confronto com a PM jogou uma granada contra nossos policiais. O artefato foi detonado pelo BME”. douglas caus.

Granada jogada por criminosos. Foto: divulgação PM.

Três corpos já foram identificados, mas apenas uma família foi fazer o reconhecimento. Os nomes dos envolvidos ainda não foram divulgados, e ainda falta identificar dois mortos.

  • 2 Pistolas Glock cal 9mm
  • 1 Pistola Taurus cal 9mm
  • 2 Pistolas Taurus cal.380
  • 1 granada defensiva (detonada no local pelo esquadrão anti-bombas)
  • Além das armas foram apreendidas munições de diversos calibres, material utulizado no preparo e embalo de drogas, cocaína, buchas de maconha e outros materiais utilizados pelo tráfico.
Material apreendido após confronto. Foto: PM.

Mais de 300 policiais militares estão em pontos estratégicos para evitar qualquer retaliação por parte dos criminosos. Além da região onde aconteceram as cinco mortes, PM’s estão também em locais que são da mesma organização criminosa que atua no Morro do Macaco. O comandante da PM afirma que a ocupação não tem data para acabar e visa trazer mais sensação de segurança para a população.

Histórico do Morro do Macaco

Apesar do comandante da PM ressaltar que a ação desta segunda-feira (14), foi atípica por conta do comportamento dos criminosos, o histórico de tiroteio no bairro é extenso e antigo.

Em maio deste ano, um homem identificado como José Milson de Andrade Lima, de 25 anos, morreu e outro ficou ferido após confronto com a PM. De acordo com informações da época, José Milson era um dos gerentes do tráfico local.

No dia 26 de março, a PM ocupou o bairro em uma operação para desarticular a associação criminosa que atua na região. Na ocasião foram utilizados drones, equipamentos eletrônicos, para localizar os criminosos. No entanto ninguém havia sido detido.

Em 2022 foram muitas operações das policias, que resultaram em confrontos e pessoas baleadas. Drogas e armas sempre são apreendidas nas operações.

Polícia Militar ocupando um dos acessos ao Morro do Macaco. Foto: Divulgação PM.

O Morro do Macaco tem uma característica muito parecida com a de outras comunidades de Vitória. Favelas com vários acessos pelo asfalto, mas uma área extensa de mata no topo, o que facilita a fuga durante incursões policiais. Pela mata se consegue acessar a pedra dos Dois Olhos e descer do outro lado da ilha de Vitória, na região de São Pedro. Um labirinto para quem não conhece a região.

O Morro do Macaco fica dentro de Tabuazeiro, tradicional bairro, com um comércio muito movimentado e também área residencial, com muitos condomínios que fazem vizinhança com a comunidade, que no início dos anos 80 sofreu com uma tragédia de deslizamento de terra matando centenas de pessoas. O bairro sofre desde sempre.

Facção criminosa no Morro do Macaco

O grupo criminoso que age no Morro do Macaco é o que mesmo que atua no Bairro da Penha e possui ramificação em quase os 78 municípios do Espírito Santo. Ele tem ligações com facções de outros estados, como Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

As principais lideranças estão presas, a maioria em presídios federais. As polícias militar e civil capixaba tem como objetivo a prisão de Fernando Moraes Ferreira Pimenta, conhecido como Marujo, apontando como atual líder do crime que vem aterrorizando todo o Estado.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -