sábado, 24 de fevereiro de 2024
26.6 C
Vitória

1ª Mostra Audiovisual de Metaverso chega de graça em Vitória; saiba como participar

Em ação inédita no Espírito Santo, o Movimento Cidade leva para a 5ª edição do Festival MC uma mostra de filmes com tecnologia de realidade virtual. A Mostra MC.Metaverso Brasil – Territórios Brasileiros, que está sendo realizada em cidades como Curitiba, Brasília, Rio de Janeiro, Recife e Manaus, chegará também em Vitória; a ideia é promover aos participantes uma experiência imersiva com os cinco filmes da mostra, dentro do metaverso.

O Festival MC acontece nos dias 18 e 19 deste mês, no Centro Cultural Carmélia, em Vitória, com entrada gratuita.

A mostra contará com cinco obras em 360º que propõem experiências imersivas e sensoriais, reproduzindo a realidade por meio de dispositivos digitais durante o Festival MC. O público poderá participar por ordem de chegada. A experiência acontecerá dentro de estruturas chamadas de cabaça – que remetem a uma bolha inflada e são construídas com materiais biodegradáveis.

Os monitores que estarão assistindo às pessoas serão treinados por uma equipe para aprenderem sobre a tecnologia. Será possível assistir aos filmes usando os 20 óculos que estarão disponíveis.

Em uma parceria entre as produtoras capixabas MC Projetos Criativos e ES Brazil, com o patrocínio parceria da META – grupo que possui em seu guarda-chuva gigantes como Instagram, Facebook e WhatsApp – os filmes serão exibidos dentro do ambiente virtual do metaverso, permitindo que o público explore novas possibilidades de interação.

Cada um dos títulos promete despertar o público para questões urgentes da sociedade: a relação entre o ser humano e o meio ambiente, a necessidade da preservação da cultura e tradições ancestrais, a importância da música e arte na construção de identidades e memórias coletivas, além de pontuar as injustiças sociais em uma curadoria inédita.

Cada obra, uma experiência imersiva

Na Mostra MC.Metaverso o público poderá assistir obras como “O Chamado do Mar”, de Ana Teixeira e Lara Sousa, um filme que explora a linha tênue entre sonho e realidade, onde Iemanjá convida os telespectadores a explorarem as águas, aprender com elas e a refletir sobre a responsabilidade de cuidar do mar.

Há também a “Fazedores de Floresta”, de Tadeu Jungle, um mergulho em realidade virtual na experiência do Instituto Socioambiental (ISA) e da Rede de Sementes do Xingu que juntou uma diversidade de pessoas, conhecimentos e sementes nativas para recuperar áreas degradadas nas bacias dos Rios Xingu, Araguaia e Teles Pires, no Mato Grosso.

Já o filme “Água de Beber”, de Filipe Gontijo e Henrique Siqueira, recria o episódio em que Tom Jobim e Vinicius de Moraes foram a Brasília, em setembro de 1960, quando estavam encarregados pela criação da Sinfonia do Alvorada.

A obra orquestral planejada para a inauguração da cidade; “Amazônia Viva”, de Estevão Ciavatta, é uma experiência imersiva pela região do rio Tapajós, que utiliza filmagens em 360º para aproximar a floresta cada vez mais das pessoas.

A quinta obra a participar da mostra é “Onde Brincam as Crianças da Maré?”, de Agatha Fiúza, Josinete Andrade, Lília Arcanjo, Liliam Fabrício, Tamires Santos da Silva e Rayssa Cândido Alexandre da Silva. O documentário apresenta um retrato das famílias e das crianças que vivem na favela da Maré, abordando os desafios enfrentados em relação ao acesso a atividades de lazer e entretenimento infantil.
Itinerante

MC.Metaverso é um projeto inédito de itinerância nas cinco regiões do Brasil, que vem acontecendo no segundo semestre de 2023 com mostras de cinema realizadas em experiências no mundo virtual, além de bate-papo, oficinas com premiação, workshop e shows. Todas as edições contam com curta-metragens nos gêneros de documentário, ficção, animação e experimentais.

Festival MC 2023

“Cidade Terra” é o tema desta edição do Festival MC. O Movimento Cidade busca refletir e alertar que todos temos direito à terra e à cidade.

“Nesse 2023, entre as ruas de Cais e Carmélias adormecidas, o MC regenera e semeia a cultura da partilha: trabalha e confia enquanto planta, rega o fruto, colhe a fruta. Do abacaxi ao cacau, do morango ao milho e da banana ao café, nós somos mistura de ritmo, rima e culturas no Espírito Santo”, narra o manifesto.

Para aquecer esse debate, o jornalista André Trigueiro, da Globo News e do Jornal Nacional, participa de um bate-papo na manhã do sábado (19), com mediação da jornalista Luanna Esteves.

Já a programação audiovisual e musical contam com quase 20 horas de programação, dividida em três mostras de cinema, shows de Liniker, Djonga e Rico Dalasam; batalha de slam e dança urbana, dentre outras intervenções artísticas no Centro Cultural Carmélia Maria de Souza, em Caratoíra, Vitória, nos dias 18 e 19 de agosto.

A entrada segue sendo gratuita – com limitação de público – e não haverá retirada de ingressos; por isso, é importante chegar cedo. A doação de alimentos será necessária na entrada do festival e os donativos serão enviados para as comunidades do entorno do Carmélia.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -