domingo, 14 de agosto de 2022
21 C
Vitória

Grande Terra Vermelha tem comércio forte, turismo, mas é problemático para viver

Uma região extensa, populosa, com comércio, opções de lazer, turismo e muita carência de serviços públicos. A Região 5 de Vila Velha ou Grande Terra Vermelha, como é conhecida, apresenta vários contrastes que mostram a diferença de um bairro para o outro.

A equipe do MovNews visitou esses bairros e conversou com moradores, comerciantes e quem frequenta o local para saber como é o dia a dia de uma região de aproximadamente 60 mil pessoas, maior do que muitas cidades do Espírito Santo.

Lixo
Ao percorrer as ruas de Riviera da Barra, a equipe já observou lixo e entulho espalhado em frente a um terreno baldio. Um morador falou que o dia da coleta era hoje. Mas os pontos de lixo, geralmente deixado nas esquinas e cruzamentos das vias, dão um aspecto de que acontecem um acúmulo. Nossa equipe flagrou uma manilha abandonada, deixada em uma rua. Pelo desgaste, o material parece estar no local há bastante tempo.

Lixos jogados em alguns pontos da região. Um flagrante da nossa equipe mostra uma manilha deixada em uma rua.

Asfalto
Muitas ruas da região estão sem asfalto e cheia de buracos. Em dias de sol, a poeira é inevitável. Já em dias de chuva, vira um lamaçal. Um morador, que não quis se identificar, disse que sua filha sofre com doenças respiratórias e morar em uma rua nessas condições só aumenta o problema. “Ela fica com a rinite atacada e nem pode sair de casa para brincar direito”.

Um motorista de um pequeno caminhão, que realizava a entrega de produtos de limpeza, disse que o desgaste com as peças provocados pela péssimo estado da via acabam danificando o veículo. “Aí não há manutenção preventiva que aguente”, reclamou.

Ruas sem pavimentação e asfalto é uma das características da região que tem quase 60 mil pessoas.

Saneamento básico
Em Barramares nossa equipe observou um grande risco para a saúde da população. Uma extensa vala negra ao longo da rua São José. Morador do bairro há 20 anos, o mecânico Edmar Carvalho, falou sobre o problema.

“Há três anos convivemos com esse mau cheiro e riscos de doenças. Quando chove, vira um caos. Uma criança já caiu nessa podridão”, disse, referindo-se a vala.

Descrente de melhoras, o morador contou que aprendeu a conviver com a situação “Já falamos com a prefeitura mas até agora nada”. contou.

Vala negra a céu aberto. O risco de doenças e infecções é alto para os moradores do local que não tem nenhuma proteção.

Saúde
No posto de saúde de Terra Vermelha encontramos Juliana Seident. A dona de casa tinha acabado de sair da unidade e estava revoltada. Contou que tinha chegado por volta de 8h no local e só depois de duas horas e meia é que conseguiu ser atendida.

“Vim buscar os remédios que eu preciso. E olha que eu tenho prioridade e demorei esse tempo todo. Imagina se fosse para uma consulta”, criticou a mulher, que estava com uma muleta e informou ser deficiente física.

Uma outra moradora, que preferiu manter o anonimato, disse que a demora é muito grande no local. “Poderiam colocar mais profissionais para atender a gente com mais agilidade. Do jeito que está, não dá. Algo precisa ser feito para mudar essa situação”.

Pacientes reclamam do tempo de espera para atendimento e marcações de consultas nesta unidade de saúde em Terra Vermelha.

Transporte público
Alguns moradores se queixaram sobre o intervalo irregular na espera dos ônibus. Gleide Alves falou sobre o problema constante na hora de pegar o coletivo. “Fico aqui mais de 40 minutos esperando. Isso é um absurdo” reclamou a aposentada que estava aguardando a linha 654 (Lagoa de Jabaeté x Terminal de Itaparica).

A técnica de enfermagem Taísa Francisca também reclamou sobre os horários dos ônibus. “Nunca bate com o aplicativo. A gente olha na tela do celular um horário e na hora que está no ponto é outro. Ficamos sem saber o que fazer”, reclamou a moça, que estava na companhia da mãe e aguardava o 616 (Morada da Barra x Terminal de Itaparica).

Comércio
A região apresenta um vasto comércio e possui vários segmentos. Supermercados, restaurantes, bancos, loja de departamentos, consultórios médicos e muitas lojas de material de construção.

Sandro Lúcio é um empreendedor e em alguns dias da semana coloca sua barraca de peixes e frutos do mar em uma avenida de João Goulart. O baiano que mora no Estado há mais de 20 anos reclamou que a poeira das ruas sem asfalto e a demora do recolhimento do lixo prejudicam o seu negócio.

“É muita poeira. Por isso deixo os peixes dentro do isopor. Quando o cliente chega, eu abro e mostro”, contou.

Um outro comerciante, que preferiu não se identificar, reclamou da falta de segurança na região. “Poderiam passar mais viaturas nas ruas e ter um patrulhamento mais visível”, disse o homem.

Segurança
Muitos moradores e comerciantes não queriam falar sobre essa questão, mas um lojista topou conversar sob condição de anonimato e informou que o problema é quando os bandidos se enfrentam.

“Aí não tem jeito. A bala come mesmo”, contou, referindo-se às facções que disputam o controle dos pontos de venda de drogas na região.

Fora isso, mesmo com a presença do tráfico em alguns locais, o homem disse que não há problemas para os comerciantes. “Os caras não mexem com a gente. Eles querem vender as drogas deles. Sabem que se atraírem a polícia para o bairro, eles não conseguem vender os produtos deles”, ressaltou.

Pichações de siglas de facções criminosas. A segurança pública no local é um assunto que os moradores tem medo de falar com a imprensa.

Lazer
Em Normília da Cunha encontramos um campo batizado como “Normilião” onde, nos finais de semana, segundo moradores, sempre ocorrem partidas de futebol e movimentam a praça. Ao lado, uma pracinha com vários brinquedos infantis, servem para distrair a criançada. O local fica em frente a duas escolas.

Campo de futebol e uma pracinha com brinquedos. Moradores sugerem mais opções de lazer na Grande Terra Vermelha.

Turismo
A região também apresenta um potencial turístico. Em Ponta da Fruta é possível ver belas praias frequentadas por turistas de várias regiões. Bares, restaurantes e algumas lojas compõem um belo visual do lugar, que também tem um pequeno comércio. Uma praça com pista de manobras para skate e bikes foi recentemente inaugurada pela prefeitura.

Na Barra do Jucu também há as praias dos Recifes e a Coroa do Meio, que atraem muitos turistas. Mas próximo dali, em um caminho de terra  em uma área de mata, nossa equipe flagrou lixo e entulho, que destoam da linda paisagem que a natureza oferece.

Praia de Ponta da Fruta e região. O local tem opções de bares e restaurantes e é frequentado por turistas de até outros estados.

Prefeitura de Vila Velha

Por meio de nota a Prefeitura de Vila Velha respondeu que “Barramares recebeu quatro grandes ruas com drenagem, pavimentação e urbanização: Avenida Eleotério Guedes, Avenida Atlântica, Avenida Dom Américo e Rua Rio Branco. Mês que vem o prefeito Arnaldinho Borgo dará ordem de serviço para execução de obras em 26 ruas do bairro de uma só vez. Entregou no mês passado o Complexo Esportivo Zelinda Bizautti, em Barramares. Espaço que conta com dois campos de grama sintética, parquinho das crianças, arquibancada, espaço de caminhada, tudo com iluminação de LED que permite a utilização 24h por dia, nos sete dias da semana.

Sobre a limpeza, a Prefeitura retirou da Região 5, nos primeiros meses do ano, 18 mil toneladas de lixo. Metade disso retirada de ruas e canais que cortam a região. Estamos fazendo o trabalho de limpeza, mas a população precisa ajudar. O recolhimento de lixo é realizado categoricamente nos dias e horas previstos, sem atraso.”

Ainda por nota, a Prefeitura de Vila Velha respondeu: “Sobre o agendamento de consulta, a gestão está modernizando o sistema de agendamento. Moradores dos bairros atendidos pelas Unidades Básicas de Saúde de Divino Espírito Santo, Ataíde, Vila Nova, Jardim Colorado, Ulisses Guimarães, Barra do Jucu e São Torquato, podem fazer agendamento online de consultas, com dia e hora marcados pelo endereço: consulta.vilavelha.es.gov.br.” Sobre a Unidade de Saúde em Terra Vermelha, mencionada na reportagem, não houve retorno.

A nota também diz: “Abrigos de ônibus serão reformulados e modernizados por toda a cidade. O projeto está sendo elaborado e será apresentado em breve aos munícipes. Sobre o saneamento básico é responsabilidade da concessionária estadual.”

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -