terça-feira, 9 de agosto de 2022
22.7 C
Vitória

Violência contra a mulher: é importante denunciar; saiba como

Uma mulher de 23 anos precisou ser socorrida para hospital após ser agredida pelo companheiro na orla de Jacaraípe, na Serra. Ela foi abordada por policiais, pois estava bastante machucada e sangrava bastante. O caso aconteceu no último domingo (10).

A mulher contou para a polícia que foi agredida várias vezes, e que o homem teria, inclusive, jogado objetos contra a cabeça dela e afirmou ainda que esta não foi a primeira vez que foi agredida.

O homem, de 32 anos, ainda estava no local, e afirmou que a mulher tinha descido da moto e começou a agredi-lo. Ele alegou que estava apenas tentando se defender.

Mas a história não convenceu os policiais. Ele, que já esteve preso por tráfico de drogas, foi levado para o presídio, indiciado por ameaça e lesão corporal grave.

Outra vitima de agressão na Serra

Ainda na serra, um dia antes, no sábado (9), outra mulher foi agredida pelo companheiro. A vitima de 21 anos contou para polícia que foi agredida que foi agredida com golpes de capacete. Por conta das agressões, ela teve uma fratura no pé e vai ter que passar por cirurgia.

Vítima tem fratura no pé após agressão de companheiro

Em depoimento, ela contou que se relacionou com o homem por mais de um ano, e que era agredida constantemente. O agressor não foi localizado.

Mulher agredida na rua pede ajuda em ponto de ônibus

No final de junho, uma mulher foi agredida no meio da rua no bairro São Diogo, Serra. Bastante machucada, pediu ajuda em um ponto de ônibus e no local estava um sargento da PM, que realizou a prisão do suspeito. Ele contou que dois eram usuários de drogas, mas o motivo da agressão seria uma traição. O preso foi encaminhado para o plantão especializado da mulher.

Municípios da Grande Vitória contam com delegacias especializadas

As cidades de Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra e Viana, contam com delegacias especializadas para o atendimento à mulher. O atendimento é humanizado, feito por policiais e delegadas mulheres.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), em 2021, mais de 15 mil mulheres fizeram denuncias de agressão. Na maioria dos casos, o suspeito é o companheiro da vítima.

Durante a pandemia, casos de violência doméstica aumentaram, mas nos últimos meses o Espírito Santo apresentou uma queda de mais 50% neste crime. Por conta disso, a mulher tem que ficar atenta.

A delegada Michelle Meira, diz que agressão à mulher vai além da parte física. “Antes de bater, o homem dá alguns sinais. Forçar uma relação, gritos, ameaças, a mulher deve acender o sinal de alerta, e procurar uma delegacia, por isso é importante a mulher denunciar”, explica.

Michelle Meira, núcleo de enfrentamento à violência contra mulher, da SESP

Além da Grande Vitória, Linhares, Colatina e Cachoeiro, no interior do Espírito Santo, também possuem delegacias especializadas. No município que não conta com esta estrutura, a vitima deve procurar a delegacia mais próxima ou acionar o 180, canal exclusivo para atendimento à mulher vítima de agressão.

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -