quarta-feira, 10 de agosto de 2022
24.4 C
Vitória

Mestres Ethienne e Sapeba mostram a prática educativa e transformadora da capoeira

Uma vida na capoeira e para a capoeira. Essa frase resume o longo percurso do mestre Ethienne Dias Afonso, de 48 anos, fundador do Centro Educacional e Cultural da Arte Capoeira, o CECAC, em Vila Velha. Também define a trajetória do Mestre Luiz Pedro, mais conhecido como Sapeba, criador do Sapeba Capoeira, em Vitória, que em 2022 completa 10 anos.

Os dois são muito conhecidos e respeitados no Espírito Santo. Nesta reportagem vamos contar como Ethienne e Sapeba vivem essa arte de forma intensa, mostrando como a pratica da capoeira pode transformar vidas de forma leve e com muito gingado.

O CECAC foi iniciado em 2012, no bairro Aribiri, e hoje se estende para fora do Estado e também do Brasil com a realização de seminários na Europa e em outros continentes. O casarão onde são realizadas as aulas pertence ao América Futebol Clube de Aribiri e é tombado como patrimônio histórico pelo governo do Estado.

Mestre Ethienne: “A capoeira é uma ferramenta de transformação” – Foto: Arquivo Pessoal

Em 2010, foi realizado um contrato de uso do espaço, quando passou por uma reforma toda voltada para a capoeira, com alojamento, cozinha e banheiros. Atualmente, cerca de 100 alunos passam pelo espaço, antes da pandemia da Covid-19 esse número superava 500 pessoas.

“O projeto surgiu daquilo que eu acredito. A capoeira é uma ferramenta de transformação, utilizamos ela para resgatar, transformar e direcionar vidas. Também tenho como objetivo a profissionalização das pessoas que passam pelo CECAC, mas o resgate do ser humano é o nosso foco. Faz 35 anos que estou nessa área e vejo a capoeira ajudar diversas pessoas. Esse é o direcionamento do projeto”, disse o Mestre Ethienne.

Aula de Capoeira na CECAC, em Vila Velha. Foto: Emanuela Afonso
Aula de Capoeira na CECAC, em Vila Velha. Foto: Emanuela Afonso

O amor pela capoeira também corre na veia dos cinco filhos de Ethienne: Pedro Henrique Dias, 24 anos; Alana Dias, 22 anos; Luana Dias, 19 anos; Tiago Dias, 9 anos; e Felipe Dias, 3 anos. Todos têm ligação com o esporte. O mais velho, assim como o pai, é formado em Educação Física, e também é professor de capoeira na CECAC.

“A influência do meu pai é muito forte em minha vida. Desde que nasci pratico a capoeira junto com ele. Essa relação veio desde muito novo e, querendo ou não, foi algo natural. A profissão de educador físico também tem forte influência dele. É um espelho, uma referência que eu e muitos alunos possuem. Já fui a muitos lugares e sempre escuto sobre o Mestre Ethienne e a CECAC”, disse Pedro Henrique Dias, mais conhecido como Professor Marimbondo.

Mestre Ethienne Dias e seu filho Pedro Henrique Dias, na CECAC. Foto: Foto: Arquivo Pessoal
Mestre Ethienne Dias e seu filho Pedro Henrique Dias, na CECAC. Foto: Arquivo Pessoal

Capoeira no exterior

Na década de 1980, Ethienne morou três anos em Paris, na França, com a proposta de trabalhar com capoeira. Após voltar ao Brasil, ele continuou indo regularmente para o exterior com o foco de ministrar seminários, dar aula e desenvolver a arte por lá.

No início de julho, o mestre retornou ao Espírito Santo após um período de 50 dias na Europa, por onde passou por diversos países como França, Alemanha, Suíça, Portugal, Espanha e Itália, trocando conhecimento com outras pessoas que amam a capoeira.

Batizado e troca de graduação do grupo Gingado Capoeira, Barcelona Espanha - Mestre Capu
Batizado e troca de graduação do grupo Gingado Capoeira, Barcelona Espanha – Mestre Capu

“Existe muita capoeira na Europa, muito europeu bom na arte e conhecedor da história da capoeira. O Europeu em geral busca estudar, conhecer e questionar a história. Conheço muitos estrangeiros que vieram ao Brasil para aprender e hoje eles dão aulas. A minha ida para fora do Brasil sempre é riquíssima. É realmente uma troca de conhecimentos, eu levo e aprendo muito com eles. A última ida eu passei por seis países e eu fico impressionado com a vontade de aprender, que é muito grande”, pontuou.

Experiências que viraram CDs e Livro

Mestre Sapeba: “Eu praticamente respiro capoeira” – Foto: Rogério Rodrigues

O Mestre Luiz Pedro, mais conhecido como “Sapeba”, é mais um exemplo de quem vive da arte. O primeiro contato com a capoeira foi em 1984, com o grupo Senzala, em Jardim Camburi, na Capital. Desde então o crescimento e o elo com a expressão cultural se tornou presente em sua família e vida.

“A capoeira para mim é minha base. Eu praticamente respiro capoeira. Ela é minha saúde física, espiritual, mental, intelectual. Capoeira também é meu social, faço muitos amigos e, claro, é uma ferramenta de ação social, levando um sentimento de brasilidade para a população”, disse.

A paixão pela arte também se estende à família. Ele é pai de duas filhas: Luiza Tostes, de 25 anos, que da aula de capoeira, e Izabela Tostes, de 16, que também é ligada à capoeira. Esta, inclusive, vai fazer um intercâmbio em Miami, na Flórida, nos EUA, onde ficará na casa de dois capoeiristas amigos de Sapeba.

Já os anos de experiências levaram o mestre a publicar um livro: “Capoeira em poemas cantados e cantos poéticos”, e três CDs: “Um passo de cada vez”, “Até aqui” e “Na vida se cai”.

Em 2012, ele iniciou o projeto “Sapeba Capoeira”, pela prefeitura de Vitória, completando 10 anos este ano. O espaço se tornou umas das referências na capital do Espírito Santo.

Livro e CDs produzidos por Sapeba
Livro e CDs produzidos por Sapeba

 

- Publicidade -

5 COMENTÁRIOS

  1. Excelente matéria, a história dos dois mestres é muito interessante, traz muito ensinamentos para todos nós! Mestres esses que são referências para capoeira a nível mundial.
    Eu esse mês, faz 1 ano que faço parte da família CECAC, foi um retorno após 15 anos de longa pausa, e com apoio de todos do CECAC, principalmente do Mestre Ethienni, tenho vencido algumas dificuldade do tempo… Tenho muito agradecer a capoeira que desde a minha primeira imersão a capoeira em um grupo mineiro no fim da década, a capoeira tem me ajudado em várias áreas de minha vida, seja ela na saúde, disciplinar, social, etc.

  2. Parabéns pela trajetória e dedicação, poucos são os que resistem tanto tempo e com a qualidade que vocês tem, que Deus continue fortalecendo e cuidando dos dois, tmj.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -