sexta-feira, 19 de agosto de 2022
24.9 C
Vitória

Feminicídio: ES é o sexto estado brasileiro que mais mata mulheres

Quem passou pela BR 262 na manha desta segunda-feira (11), na altura do município de Viana, teve que ter paciência, pois enfrentou uma manifestação com direito a fogo em pneu e bloqueio da pista no sentido Vitória.

O protesto era consequência da morte de Daniele de Jesus Almeida, de 23 anos, assassinada na semana passada dentro da própria casa pelo companheiro. Daniele é mais uma vítima desse tipo de crime, que por anos assombra o Estado: o feminicídio.

ES foi o primeiro a criar uma delegacia de crimes contra mulher

Por muitos anos, o Espírito Santo liderou o ranking de mortes de mulheres. Foi o primeiro estado a criar uma delegacia específica de assassinatos contra mulher. Até pouco tempo, crimes que mulheres eram vítimas dos seus companheiros, foram chamados pela polícia de crimes passionais.

Recentemente, passou a ser tratado como feminicídio, aos olhos da justiça. O Estado deixou de liderar, mas ainda está entre os 10 mais perigosos para ser mulher. Atualmente, o Espírito Santo ocupa a sexta colocação nesta triste estatística de feminicídio.

Michelle Meira é delegada responsável pelo Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Ela esclarece que feminicídio é um crime de gênero.

“A mulher é assassinada simplesmente pelo fato de ser mulher. E na maioria dos casos, a mulher é morta pelo companheiro ou pelo ex que não aceita o fim do relacionamento”, explica.

Michelle Meira, núcleo de enfrentamento à violência contra mulher.

Caso Daniele

Ela foi morta a facadas dentro de casa, na última segunda feira (4). A polícia investiga o caso como feminicídio. O principal suspeito do crime fugiu e até o momento não foi localizado. O caso chocou ainda mais, porque foi o filho da vítima, de apenas 4 anos, que pulou o muro e foi pedir ajuda.

Nesta segunda-feira (11), a BR-262 foi fechada e familiares e amigos pediam justiça. Este não é um caso isolado. De norte a sul do Estado, é comum encontrar crimes semelhantes ao de Daniele.

Relembre outros crimes de feminicídio

No final de abril, uma mulher de 40 anos foi morta com golpes de arma branca. Na ocasião, os policiais não souberam dizer se a vítima foi assassinada com uma faca, tesoura, ou canivete. No corpo dela foram encontradas várias perfurações. Ela foi encontrada no quintal de casa, chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

Em maio, a vítima foi uma mulher de 33 anos. Analine Francisco foi morta a facadas pelo companheiro de 51 anos. O crime foi em Colatina. O homem foi detido logo após o crime e confessou o assassinato. Ele contou para a polícia que matou a mulher depois de uma discussão em que ela havia dito que teria traído o companheiro.

Analine Francisco, morta em Colatina

Feminicídio em Conceição do Castelo

Ainda em maio, uma mulher de 54 anos foi morta dentro de casa. Na ocasião, Maria da Penha Soares foi assassinada a facadas, em Conceição do Castelo. A filha da vítima contou que a mãe estava no quarto com um homem, quando começou a ouvir gritos. O homem teria saído do quarto e fugido. Ele não foi localizado.

Orientações da polícia

A delegada pede que qualquer sinal de ameaça ou mudança de comportamento do companheiro, a mulher deve procurar a polícia. Além de todos os municípios da Grande Vitória, Linhares, Colatina e Cachoeiro possuem delegacias especializadas para tratar de crimes de feminicídio.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -