quinta-feira, 7 de julho de 2022
26 C
Vitória

Segurança e conforto são os principais cuidados no Transporte Escolar do seu filho

Quando os pais ou responsáveis decidem contratar um transporte escolar para levar seus filhos eles devem ficar atentos a vários cuidados e exigências legais para garantir toda a segurança na condução.

Uma das principais responsabilidades é em relação à documentação da empresa, do veículo e do condutor. Este tem que ter habilitação na categoria D e ser maior de 21 anos.

É importante também que as vans utilitárias estejam em boas condições e com as manutenções em dia, principalmente pneus, freios, lanternas, faróis e espelho retrovisor.

Além disso, os proprietários devem cuidar da higiene, do conforto e do cuidado de todos os seus passageiros. Devem, ainda, evitar o uso de alimentos no interior do veículo. Neste período de pandemia, é imprescindível o uso de álcool em gel e também  de máscara para o motorista e seu acompanhante.

A servidora pública Naara Paletta, 28, é mãe da Clara, de 4 anos, e Gael, de 5 anos, e teve que optar por transporte escolar este ano para facilitar a ida dos seus pequenos para a creche:

“Eu e meu marido sempre gostamos de levar e buscar as crianças na escola, principalmente nesta idade deles, por serem tão pequenininhos, mas a nossa jornada de trabalho está bastante intensa e também não temos carro”, disse a mãe.

Outra mãe que decidiu por transporte escolar foi Eliane Pompermayer, 42 anos, administradora. Seu filho tem 12 anos e teve a  volta dele para casa facilitada:

“Eu escolhi o serviço de transporte porque os horários da escola não conduzem com os meus de trabalho. É uma questão de conforto para ele e custo ser menor. Inicialmente, tinha tentando usar outro aplicativo, mas acaba que fica inviável. Consigo levar ele todos os dias na escola, e o retorno da escola volta de vã que o deixa em segurança na porta de casa”, explica.

O cadastro do motorista deve ser renovado a cada cinco anos, ou antes, quando do vencimento da CNH.

Valesca Azevedo Rodrigues, ou melhor, a Tia Valesca, como é carinhosamente conhecida pelos alunos, atua no transporte de alunos há 14 anos e, atualmente, usa duas vans. Em média, ela leva e busca 40 crianças e adolescentes por dia. Seu trajeto inclui os bairros de Jardim Camburi, Mata da Praia, Jardim da Penha e Mata da Praia.

“Meus principais cuidados são ter um ajudante em cada carro. Só podemos sair dos lugares após todos estarem com os cinto afivelados e entregar as crianças para as babás ou responsáveis. Se for adolescente, no portão dentro de casa. Temos que fazer tudo com segurança. Afinal, estamos fazendo o transporte do bem mais precioso na vida dos pais. Os pais e os filhos precisam ter confiança, carinho, respeito e comprometimento com nosso trabalho, por isso é tão difícil terceirizar o nosso serviço”, disse a Tia Valesca.

Outro profissional que se dedica ao transporte escolar há 10 anos é Sebastião Cirilo Filho. Em média, transporta 35 crianças e adolescentes diariamente. Tio Cirilo explica que preza muito pela segurança.

“O que mais tomo cuidado é com a segurança deles, afinal estamos levando e buscando vidas.  Ando com a documentação em dia e faço as devidas manutenções e vistorias no veículo pelo menos duas vezes por ano. Sempre ando com uma acompanhante para garantir esse cuidado a mais”, comenta.

O setor de transporte escolar sofreu forte impacto na pandemia. Os alunos ficaram com aulas virtuais e os motoristas tiveram que se virar e contar com suas economias:

“Durante a pandemia foi muito difícil para mim. Tive que recorrer ao meu marido. Porque ficou tudo parado, todos sem aula presencial. Foi um sufoco. Mas, como tenho minhas economias e faço esta reserva, deu para segurar. Agora, voltou tudo ao normal”, disse Valesca Azevedo.

Já Cirilo teve que se virar para conseguir outra fonte de renda: “Quando veio a pandemia, o nosso setor foi o mais prejudicado. Então, tive que criar uma nova fonte de renda. Abri um lava-jato, comecei a vender máscaras e me reinventei trabalhando com cocada e doces. Além disso, contei com a ajuda de alguns pais, que me ajudavam com cestas básicas”, disse Cirilo.

Itens de segurança do transporte escolar:

* O condutor deve portar credencial de identificação expedida pelo Detran|ES;
* O monitor escolar é obrigatório para o transporte de estudantes com até nove anos de idade e deve apresentar credencial de identificação;
* Termo de autorização do veículo;
* Pintura com faixa horizontal com o nome “Escolar”;
* Cintos de segurança para as crianças, obedecendo a lotação máxima;
* Placa vermelha ou, se for placa Mercosul, com caracteres vermelhos.

Cuidados em relação a Covid-19:
* Promover a limpeza do interior dos veículos ao menos uma vez ao dia;
* Realizar a cada turno ou com maior frequência, de acordo com o número de viagens realizadas, a desinfecção das partes tocadas com frequência, como maçanetas, volante, dispositivos dos cintos de segurança;
* Tentar transitar com as janelas abertas para assegurar a ventilação e circulação de ar.

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Condições de seguranca, sao muito importantes no dia a dia, em viagens.Trabalhei muito tempo com aviadores.Eles sao rigorosissimos com as condições da aeronave e do voo.Se alguma coisa pode dar errada, decidem que vai dar errado e nao fazem o procedimento.Lei de Murphy.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -