domingo, 8 de maio de 2022
26.9 C
Vitória

Dia das Mães: A luta daquelas que encararam a maternidade e seus desafios

Hoje é dia de comemoração, mas também de celebrar hsitórias vitoriosas

Neste Domingo (08), Dia das Mães, o Portal MowNews conta a história de mães que desafiaram as adversidades, a família e o preconceito para ter e criar seus filhos. Diante de situações inusitadas, como uma endometriose, ou mesmo de preconceitos e machismo, essas guerreiras não se deixaram abater e foram, literalmente, à luta.

Uma delas é a publicitária Luciana Tonon, 52 anos, que passou por momentos complicados nos meses após a descoberta de que estava grávida do dono da empresa onde trabalhava. Ela decidiu ter a filha sozinha e preferiu se separar do pai da criança.

“O preconceito foi imediato. Perdi importância na empresa, meu salário diminuiu e a família dele não aceitava a minha decisão de não querer me casar porque estava grávida. As pessoas acham que, se você decide ter um filho sozinha, é porque você foi rejeitada pela figura masculina. A mãe sem marido é muito mais cobrada, tem mais responsabilidade pois está sempre sendo julgada”.

Ainda de acordo com Luciana, a maternidade trouxe muitos desafios, inclusive financeiros, já que, sozinha, a mãe precisa se virar para dar conta da criação, educação, sustento e amor aos filhos.

Mãe e filha, 21 anos depois de uma decisão que mudou a vida de ambas

“Você tem muito mais responsabilidade. Você acaba tendo que lutar contra tudo e contra todos e sempre sendo julgada por ser mulher. É uma tortura ser olhada pelos olhos machista da sociedade que, em vez de estender as mãos, prefere julgar”, afirma.

Vencidos os desafios, mãe e filha hoje vivem as descobertas diárias normais do mundo familiar. Mas Luciana não convive com o pai da sua cria.

Filha Escondida

Já a Analista de Folha de Pagamento Isley Soares, 44 anos, tinha ouvido de vários médicos que, para ela, seria muito difícil engravidar pois só possuía um dos dois ovários, além de uma endometriose.

“Descobri que estava grávida com quase cinco meses. Foi inusitado e maravilhoso, mudou toda a minha vida”, comemora.

Mas essa não é toda a história da mamãe Isley. Ela simplesmente escondeu do pai que ele seria pai. Depois de oito anos, ela tomou coragem de contar a verdade ao homem com o qual ela teve uma filha.

“Contei no ano passado. Eles estão se descobrindo, devagar ainda porque foram longos 8 anos sem sequer se conhecerem”, disse.

Isley e a filha estão mais unidas do que nunca. A força do amor que a tudo vence.

Mas por que não contar ao companheiro, mesmo que separados, que ele será responsável por uma vida?

Isley disse que ele, o pai, queria conhecer o mundo, viajar por ai e estudar. “Eu não quis que ele ficasse ao meu lado por conta de um filho. Então decidi não contar. Ai nos separamos sem ele saber da minha gravidez”, contou.

Esperança

Em outro extremo dos desafios e alegrias de ser mãe, tem gente que sonha, luta e investe alto para ter a esperança de engravidar.

A engenheira Sara Da Rós, de 36 anos, há dois anos passa por uma série de tratamentos para que possa ter um filho. Ela apresenta alterações no útero que dificultam a gravidez tubária normal.

“Estamos tentando uma fertilização in vitro, de forma artificial. Tem um custo e uma entrega, mas vai valer a pena realizar o sonho de ser mãe”, afirma a engenheira, que aplicou mais de R$ 12 mil no tratamento.

Mas o que é ser mãe? O que representa esse desejo de colocar uma outra vida no mundo e ter o resto da vida de preocupação com esse ser humano, não importa quantos anos tenha?

Para a psicóloga Eleotária Nunes Queres, especializada em gestantes e pós-gestantes, a gravidez é um ato extremo de amor.

“É alguém crescendo dentro de você. Depois é alguém crescendo fora de você. Não dá para saber o que é mais mágico. Mas, com certeza, preparar esse futuro assusta, mas trazer alguma certeza que podemos contribuir para um mundo melhor”, explica.

História

A comemoração mais antiga do Dias das Mães tem origem na Grécia antiga, onde a entrada da primavera era comemorada por Reia, a Mãe dos deuses. A tradição de homenagem às mães continuou com as festas em honra de Cibele, também chamada Magna Mater (Grande Mãe). 

Dia das Mães é uma data comemorativa celebrada, no Brasil, no segundo domingo do mês de maio. Nele é homenageado todo o amor, carinho e dedicação que as mães têm com seus filhos. Essa comemoração foi oficialmente instituída aqui por Getúlio Vargas, em 1932, mas fala-se que a primeira celebração do tipo foi realizada ainda na década de 1910.

O Dia das Mães é uma celebração que surgiu nos Estados Unidos, sendo fundada por Anna Jarvis, filha da ativista Ann Jarvis. Ele foi criado por Anna como uma forma de homenagear sua mãe, falecida em 1905. Sua criação oficial aconteceu em 1914, por meio do presidente norte-americano Woodrow Wilson.

Seja como for, Feliz Dia das Mães.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -