domingo, 14 de agosto de 2022
21 C
Vitória

Baixa adesão na vacinação contra gripe e sarampo acende alerta no Espírito Santo

As campanhas Nacionais de Vacinação contra a Influenza e Sarampo estão a todo vapor no Espírito Santo. Entretanto, a baixa adesão dos grupos prioritários, em especial aqueles que possuem metas a serem alcançadas acendem um sinal de alerta. A cobertura vacinal deve ser de 90% para os grupos prioritários, entretanto, essa realidade está longe de ser alcançada no Estado. 

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgados nesta quinta-feira (12), revelam que pouco mais de 18% da população infantil de seis meses a menores de 5 anos foi imunizada para Influenza e 17% contra o Sarampo. A expectativa, segundo estimativa do Ministério da Saúde, é que 253.097 crianças sejam imunizadas ou que cumpram a meta estabelecida pelo órgão federal de 90% de cobertura vacinal para gripe e 95% para sarampo.

A melhor cobertura até o momento para Influenza, mas ainda abaixo do ideal, é do grupo de idosos acima dos 60 anos, com 46,1%. Os trabalhadores da saúde, que iniciaram a imunização no mesmo período que os idosos, no dia 23 de março, somam 38,7%.

Para gestantes e puérperas, que iniciaram no dia 26 de abril, as coberturas são de 10,7% e 6,4%, respectivamente. Para povos indígenas e professores, grupos com metas vacinais que deram início no último dia 3 de maio, são de 8,9% e 2,3%, respectivamente. Em relação ao Sarampo, apenas no grupo infantil há meta vacinal, não sendo válido para os trabalhadores da saúde.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilâncias das Doenças Imunopreveníveis da Sesa, Danielle Grillo, reforça a importância do alcance das metas da vacinação contra o Sarampo.

“Para alcançarmos as metas anualmente precisamos fazer um trabalho conjunto. Assim recebermos a recertificação da doença no país, como tínhamos até 2019. Éramos um país livre da doença e as baixas coberturas vacinais impactam diretamente na circulação desse vírus altamente contagioso e que pode levar ao óbito”, ressaltou a coordenadora.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -