sábado, 21 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

“Punição deve ser pesada e exemplar”, afirma advogado sobre cabeçada de técnico

Os desdobramentos da agressão sofrida pela árbitra assistente Marcielly Netto no último domingo (10) vão chegar aos tribunais. O agora ex-técnico da Desportiva Ferroviária, Rafael Soriano, deve ser julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Espírito Santo (TJD-ES) nos próximos dias.

E, conforme o advogado Alexandre Cavalcante, defensor dativo do TJD-ES, a pena deverá ser pesada e exemplar, justamente para evitar que fatos como esse aconteçam novamente.

“Nunca peguei um caso parecido no futebol capixaba, somente agressões verbais. Agora um caso contundente como esse, de forma dolosa, com a intenção mesmo, pelas imagens que nós temos e pela mão punidora do TJD, a gente acredita muito que a punição será no seu limite máximo para que sirva de exemplo. Tem que ser para a gente alavancar o esporte de uma maneira positiva”.

O Caso

No intervalo da partida entre Nova Venécia e Desportiva, pelas quartas de final do Capixabão 2022, Rafael Soriano deu uma cabeçada na direção da bandeirinha Marcielly Netto, que em entrevista ao Portal MovNews revelou ter sido atingida no nariz. O advogado do TJD-ES explica o artigo principal em que o treinador deve ser enquadrado.

“O técnico é um espelho dos atletas, e essa atitude dele foi totalmente reprovável. Esse ato, que eu entendo como doloso, ele é tipificado no artigo 254-A como ‘desferir dolosamente soco, cotovelada ou cabeçada, similares ou outro e assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido’. E foi o que ele praticou.”

Suspenso preventivamente por 30 dias pelo TJD-ES, o técnico Rafael Soriano também pode ser punido em outros artigos, seja com suspensão de trabalho por dias ou partidas, além de multa. A pena máxima de suspensão seria de 2 anos e o valor pecuniário pode chegar. 

Reprodução/TV Capixaba

“A pena mínima já estabelecida é de 180 dias, já são seis meses com essa pena. E acredito que pode ter um acúmulo de infrações com a análise do boletim de ocorrência e da súmula do jogo. Uma delas está no artigo 243-C: ‘ameaçar alguém com palavras, gritos e gestos’, com pena pecuniária que vai de 100 a 100 mil reais. E também o 243-F, que é ‘ofender alguém ou a sua honra por fatos relacionados diretamente ao desporto’, que além da suspensão também tem a pena financeira”, finaliza o advogado.

Árbitro relata agressão em súmula

O árbitro Arthur Gomes Rabelo citou a agressão sofrida pela assistente Marcielly Netto na súmula do jogo Nova Venécia 3 x 1 Desportiva Ferroviária. De acordo com o juiz da partida, além da cabeçada, Rafael Soriano ainda proferiu xingamentos direcionados ao trio de arbitragem. E após o ato cometido, tentou se justificar dizendo que a árbitra assistente estaria fingindo que foi agredida.

Desportiva promete auxílio psicológico à assistente

A diretoria da Desportiva Ferroviária informou em suas redes sociais que tentou entrar em contato com a árbitra assistente Marcielly Netto para se solidarizar e também oferecê-la apoio psicológico profissional. Além disso, a Tiva também promete desenvolver ações para o combate a qualquer tipo de violência contra a mulher dentro e fora dos estádios.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -