domingo, 14 de agosto de 2022
21 C
Vitória

A alegria e a emoção de receber as bençãos de Nossa Senhora no Convento da Penha

Superação, fé e muita devoção. Os fiéis voltaram a participar presencialmente da Festa da Penha 2022, no Convento da Penha, que tem como temática “Saúde dos enfermos, rogai por nós”.

Cada um com sua história de cura, libertação e ensinamentos e depois de dois anos, os católicos estão presentes para louvar, agradecer e pedir uma graça.

Aos 57 anos, a dona Zelina Galeti estava acompanhada do seu marido, Valter Galeti, 62, e foi agradecer a Nossa Senhora da Penha após ser curada de uma depressão: “Há 16 anos, eu estava com muita depressão, até sumi de casa. Meus familiares pediram intercessão de Nossa Senhora e me encontraram. Por conta da doença, fui diagnosticada com artrite e fibromialgia. Mas, hoje, me sinto curada. Sei que foi Nossa Senhora que me deixa seguir forte”.

Zelina também hoje agradece pela vida do seu primeiro neto: “Meu neto também foi diagnosticado com autismo. Pedimos a cura dele. Atualmente, leva uma vida quase normal, consegue ir à escola e brincar. Tenho certeza que isso é devido à nossa fé”.

As amigas Marta Bertolidi e Maria da Penha Moreira são só alegria com a retomada da Festa da Penha de forma presencial. Ambas frequentam a Paróquia Nossa Senhora das Graças. “Este momento aqui hoje é só para agradecer por estarmos vivas. Tantas pessoas próximas de nós que vieram a falecer ou ficaram próximas à morte. Com toda a certeza a nossa fé move montanhas. É indescritível o amor que Nossa Senhora tem por cada um que está aqui”, disse Marta.

“Eu nasci no dia da padroeira, Nossa Senhora, às 12 horas, e fui uma promessa da minha mãe, que teria uma filha com este nome. Só me sinto agraciada por isso. Agradeço a Deus também pela a oportunidade de reencontrar várias pessoas queridas nesta festa tão mágica”, sorri Maria da Penha Moreira.

As amigas Marta Bertolidi e Maria da Penha Moreira, ambas com 64 anos são só alegria com a retomada da Festa da Penha. Ambos frequentam a Paróquia Nossa Senhora das Graças.

Esperança

Mãe e filha estavam muito emotivas com a volta da Festa da Penha. Adriana Peixoto, 54 anos, e Karen Peixoto, 30, pois tiveram duas perdas na família para a Covid-19. “Este ano para nós é um momento bem delicado e triste. Perdi meu filho e minha mãe para esta doença. Fico triste, mas sei que a vida precisa seguir a diante”, menciona Adriana.

“Então, podemos dizer que estar aqui hoje é um momento de esperança para a nossa família. Em poder rever e abraçar quase todos vacinados, sem uso das máscaras. Hoje, é o nosso novo normal. Isso acaba sendo gratificante”, disse a filha.

Empatia

“Este é um momento de pura devoção em ter voltado a programação da Festa da Penha. Temos que agradecer muito por ter nenhum parente atingido pela Covid. O momento que estamos vivendo é para ter mais empatia pela dor e sofrimento do outro”, esclarece Maria Eunice Malaquias.

Luz

Para o padre e coordenador arquidiocesano de Liturgia, Rodrigo Chagas, a importância de voltar é muito grande, para os fiéis e para toda a Igreja.

“A partir da Virgem Maria, ela que é a Senhora da saúde, que nos leva ao coração de Jesus e lá que encontramos todo o remédio, no coração de Jesus Cristo. Pedimos a intercessão de Nossa Senhora da Penha, Nossa Senhora das Alegrias, para que tenhamos saúde e continuar nessa caminhada”, reforça o padre e coordenador arquidiocesano de Liturgia, Rodrigo Chagas.

“Precisamos estar unidos no Corpo de Cristo. Principalmente nesta festa. Estarmos juntos e reunidos é uma sensação muito boa, ainda mais perto da Páscoa. Nós pensamos na temática “Saúde dos enfermos, rogai por nós” porque muitas pessoas perderam seus entes queridos pela Covid-19, uma cruz que o mundo inteiro carregou e agora eu acho que com o momento da Páscoa, enxergamos a luz e a saúde. A partir da Virgem Maria, ela que é a Senhora da saúde, que nos leva ao coração de Jesus e lá que encontramos todo o remédio, no coração de Jesus Cristo. Pedimos a intercessão de Nossa Senhora da Penha, Nossa Senhora das Alegrias, para que tenhamos saúde e continuar nessa caminhada”, reforça o Chagas.

Dia 19, terça-feira – 3º Dia Oitavário

Tema do dia: Saúde Emocional

7h, 9h, 11h – Missas presenciais no Campinho
14h – Programa Salve Mãe das Alegrias – Transmissão ao vivo (TVs, rádios, internet)
15h30 – Devocional Oitavário – Transmissão ao vivo (TVs, rádios, internet), presencial no Campinho
16h – Missa 3º Dia Oitavário (Área Pastoral Cariacica/Viana). Transmissão ao vivo (TVs, rádios, internet), presencial no Campinho
18h – Apresentação da Camerata Vale Música, presencial no Campinho
19h30 – Pregação e Bênção com Pe. Patrick Fernandes – Transmissão ao vivo (TVs, rádios, internet), presencial no Campinho

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -