segunda-feira, 16 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

Nova festa de Iemanjá realizada dia 21 teve apoio da PMV e Umbanda Capixaba

Festa de Iemanjá

Reeditada por ter saído com incorreções. Dia 2 de fevereiro, consagrado ao Dia de Iemanjá, a Rainha dos Oceanos e de todos os Orixás, faltou energia no Pier de Iemanjá, em Camburi, praia ao norte da capital, Vitoria/ES. 

A festa da Rainha dos Oceanos e mãe de todos os Orixás foi realizada pela Casa de Caridade Santa Rita de Cássia dos Impossíveis na segunda-feira, dia 21 de fevereiro, com decisivo apoio da Secretaria de Cultura da PMV e da Umbanda Capixaba.

luciano-gagno_divulgacao-scaled.jpg
luciano gagno

Como faltou energia no dia 2 de fevereiro, data consagrada ao Dia de Iemanjá, as comunidades envolvidas decidiram realizar uma nova festa, o que foi possível após uma reunião com o secretário de Cultura da PMV, Luciano Gagno, que prestou integral apoio às comunidades de terreiros do município de Vitória. O encontro foi realizado no Pier de Iemanjá às 20 horas.

 IMG-20220227-WA0006-scaled.jpgFoi um momento em que vários terreiros do Espírito Santo se reuniram para dignificar a confraternização na data de “Nossa Senhora dos Navegantes.”

Para que o evento ocorresse, a Prefeitura liberou todos os alvarás de acordo com as normas vigentes e a festividade fosse inserida no seu calendário anual. Além disso, houve apoio da Segurança Pública e do Conselho Estadual de Trânsito, órgão normativo, consultivo e coordenador do Sistema Estadual de Trânsito (Cetran) e da Escelsa. A Festa de Iemanjá contou com boa estrutura, incluindo a instalação de banheiros químicos.

O Zelador Leandro Nogueira afirma que “Iemanjá é a mãe que aconselha, acalenta e escuta.”

“Foi um grande ganho para o povo de Vitória, que há muito vem sendo esquecido. O Prefeito Lorenzo Pazolini abre a prefeitura para os povos de outros cultos e outras culturas, de acordo com seus direitos”, disse o Zelador Leandro Nogueira, Pai de Santo da Casa de Caridade, em seu agradecimento pelos apoios recebidos.

Mãe de todos os Orixás

Para reiterar a importância de Nossa Senhora Dos Navegantes para o culto da Umbanda, declara Mãe Matilde de Oya – Matilde de Fátima Ferreira – sobre sua relação de fé com o Orixá das Águas Salgadas:

“Acho que minha fé em Iemanjá é uma coisa radiante. Em nosso culto, ela é a mãe de todos os Orixás. É ela que cuida e nos dá duração em nossos caminhos. Orixá é luz, caminho e vida em nossa religião.”

Intolerância religiosa

O apoio dado à realização do evento foi essencial em vista da intolerância religiosa – atitudes desrespeitosas e ofensivas a práticas religiosas – que as religiões de matriz africana ainda sofrem.

De acordo com dados da Delegacia Especializada do Distrito Federal, 59,42% dos crimes de intolerância religiosa têm as religiões de matriz africana como alvo.

Nessa conjuntura, é válido destacar o que é expresso no Inciso VI do Artigo 5 da Constituição Federal de 1988:

Art.5° – Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

*VI – …é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias;

O inciso acima assegura o direito de todos os brasileiros e estrangeiros que aqui residem, escolherem livremente qual religião seguir.

Serviço:

Casa de Caridade Santa Rita de Cássia dos Impossíveis, responsável pelo evento, foi fundada em 1945 e hoje é a casa mais ativa de Vitória, capital do Espírito Santo.

Rua Santa Rita de Cássia, 345, Bairro de Lourdes – Vitória, Espírito Santo

Responsável: Zelador Pai Leandro.

Dorival Caymmi – DOIS DE FEVEREIRO – Dia de Iemanjá 

Dia dois de fevereiro

Dia de festa no mar

Eu quero ser o primeiro

A saudar Iemanjá

Dia dois de fevereiro

Dia de festa no mar

Eu quero ser o primeiro

A saudar Iemanjá

Escrevi um bilhete a ela

Pedindo pra ela me ajudar

Ela então me respondeu

Que eu tivesse paciência de esperar

O presente que eu mandei pra ela

De cravos e rosas vingou

Chegou, chegou, chegou

Afinal que o dia dela chegou

Chegou, chegou, chegou

Afinal que o dia dela chegou

Dorival Caymmi – Gravação de 1/12/1957

Festa de Iemanjá

https://movnews.com.br/mundo/2022/02/kiev-capital-da-ucrania-cercada-mas-russia-fala-em-negociacoes/

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -