sábado, 21 de maio de 2022
23.9 C
Vitória

Cercas elétricas têm que seguir normas da ABNT, alerta Crea-ES

Acidentes com cercas elétricas têm sido cada vez mais frequentes e pouco é falado sobre as normas para a utilização dessa ferramenta. A instalação das cercas deve seguir toda uma recomendação e regras que devem ser cumpridas e realizadas por profissionais registrados no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (CREA-ES)

No último sábado (19), mãe e filho morreram eletrocutados por uma cerca elétrica no interior de Afonso Cláudio, Região Centro-Serrana do Espírito Santo. Águida Dias Cesconetto, de 63 anos, e seu filho, Augusto Cesconetto, 40 anos, foram as vítimas. Tudo aconteceu num intervalo de duas horas

A mãe teria ido pescar no Rio Guandu, mas não voltou. Duas horas depois, o filho foi procurá-la, foi quando a encontrou já caída e sem vida perto do rio. Ao tentar ainda salvar a mãe, Augusto não viu a cerca elétrica e também foi eletrocutado, não sobrevivendo.

Normas

De acordo com o engenheiro eletricista do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (CREA), Eduardo Altoé, ocorrências como essas podem ser evitadas facilmente se quem decidir pela instalação de uma cerca elétrica seguir as Normas da ABNT. É lá que estão definidos os procedimentos de instalação e operação de qualquer circuito elétrico. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) regulamenta todas as regras de instalações elétricas, entre elas normas para instalações de cercas elétricas.

Além disso, o engenheiro explicou que a cerca  funciona como um sistema de pulsos elétricos em corrente contínua, que gera choques elétricos intermitentes ao ser tocada, alertando e/ou afastando possíveis intrusos ou servindo de cerca para animais, porém sem ser mortal para quem a toca.

“É imprescindível que sejam utilizados os equipamentos projetados e produzidos dentro das normas específicas, para que a operação desse tipo de sistema elétrico não falhe ou se torne uma armadilha mortal para uma pessoa ou mesmo um animal”, explicou o engenheiro eletricista.

 

Eduardo Altoé explicou que a regra básica para que todos os cuidados para se evitar acidentes com qualquer instalação elétrica é procurar, sempre, a ajuda de um Engenheiro Eletricista devidamente registrado no CREA-ES, para elaborar um projeto adequado para o sistema requerido.

“Todo sistema ou instalação deve ser projetado seguindo rigidamente as regras e normas estabelecidas como local, altura, nível de tensão e corrente, utilizando os equipamentos necessários ao seu perfeito funcionamento. Caso contrário, fatalmente vai trazer riscos à segurança das pessoas ou animais. Por isso a necessidade desse profissional, que vai orientar e identificar as especificações e os equipamentos corretos e suficientes para que o sistema opere sem falhas e com segurança”, ressaltou.

O Crea-ES ainda orienta que, ao contratar esse tipo de serviço ou qualquer outro das áreas da Engenharia, Agronomia e Geociências, a população consulte o Conselho para saber se a empresa ou o profissional que irá realizar a obra ou o serviço está regular e possui habilitação legal para executar a atividade. O Conselho também possui canais exclusivos para denúncias, por meio do site www.creaes.org.br.

É lei

Eduardo frisou que o tema é de tamanha importância que a Câmara dos Deputados sancionou a Lei Nº 13.477/2017, que dispõe sobre a instalação de cerca eletrificada ou energizada em zonas urbana e rural, regulamentando as exigências para a instalação dessas cercas.

“Deve ser informado local e altura de instalação, placas de aviso que alertem sobre o perigo iminente de choque elétrico, tipo de corrente e tensão a ser aplicada ao circuito elétrico, sempre seguindo as Normas da ABNT, incluindo em seu artigo 3º, multa pelo descumprimento dessas exigências”, explicou.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -