quarta-feira, 18 de maio de 2022
25.9 C
Vitória

Campanha apoia crianças e famílias na luta contra o câncer infantil

Neste dia 15 de fevereiro, é celebrado o Dia Internacional de Luta contra o Câncer Infantil. A data lembrada em todo o mundo tem o objetivo de alertar sobre os sinais e sintomas da doença. O câncer é a principal causa de morte entre crianças e adolescentes entre 1 e 19 anos no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca)

A data simboliza uma campanha global para conscientizar sobre o câncer infantil e expressar apoio às crianças e adolescentes e suas famílias. Em todo o mundo, segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc), estima-se que, todos os anos, 215 mil casos são diagnosticados em crianças menores de 15 anos, e cerca de 85 mil em adolescentes entre 15 e 19 anos.

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático). Se diagnosticados precocemente, meninos e meninas têm até 80% de chances de cura.

Casados há 15 anos, Edinilson Mardegan D´Andréa, de 42 anos e Juliana Simões Pereira, 43 anos, são pais de Laís 13 anos e Guilherme de 9 anos. Laís teve um tumor no cérebro e está curada há três anos. A doença foi descoberta em 2016, quando a filha tinha apenas sete anos.

Após Juliana observar que a filha estava com dificuldade de dar tchau com a mão direita e de enxergar do mesmo lado, levou Laís até um reumatologista e a um neurologista. Foram dois anos e meio de tratamento no Instituto de Oncologia Pediátrica (INCA), que promove tratamento para crianças com câncer, em São Paulo.

“Na época a Laís não teve tantos efeitos colaterais do tratamento. Ela não perdeu totalmente os cabelos, para ficar careca, mas seu cabelo ficou bem ralinho. Ela também Ficou muito magra, perdeu toda a sombrancelha e os cílios, teve muita olheira e ficou com a expressão abatida”, disse Juliana.

De acordo com a mãe, no total foram 12 ciclos com sessões de quimioterapia. Além disso, Laís realizou tratamentos paralelos como fisioterapia, reabilitação para recuperar os movimentos do lado direito, terapia ocupacional, fonoaudiologia e aplicação alfa interferon. Durante todo o tratamento Laís e Juliana também receberam acompanhamento psicológico.

Juliana contou que no início do tratamento era preciso ir para São Paulo de três em três meses fazer o acompanhamento. Depois, de quatro em quatro meses. E do ano passado para cá começaram a ir de seis em seis meses, para fazer avaliação médica, com exame de sangue e ressonância magnética.

“Em 2019, minha filha foi curada e realizamos as últimas sessões de quimioterapia graças a oração minha e de todos. Até hoje, Laís tem um cateter implantado na cabeça. O tumor não foi totalmente eliminado, mas não vai crescer mais. O câncer está estacionado e não pode afetar outras áreas do corpo dela”, disse Juliana.

Sintomas do câncer infantil

Os sintomas do câncer infantil muitas vezes são parecidos com os de doenças comuns entre as crianças. Por isso, consultas frequentes ao pediatra são fundamentais. Sãos esses profissionais que podem identificar os primeiros sinais de câncer e encaminhar a criança para investigação diagnóstica e tratamento especializado.

Os sintomas que, caso persistam, precisam ser investigados por profissionais de saúde o mais breve possível. São eles: Palidez, hematomas ou sangramento, dor óssea; caroços ou inchaços, principalmente aqueles indolores e sem febre; perda de peso inexplicada, tosse persistente, sudorese noturna e falta de ar; alterações nos olhos, como estrabismo; inchaço abdominal; dores de cabeça persistentes ou graves, vômitos pela manhã com piora ao longo do dia; dor em membros e inchaço sem traumas.

Diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce acontece quando os sinais e sintomas dessas neoplasias são detectados na sua fase inicial, em estagios mais localizados, permitindo a redução das complicações agudas e tardias do tratamento. Isso reforça a necessidade de famílias e profissionais de saúde conhecerem os principais sintomas que podem acontecer no início da doença e buscarem atendimento especializado.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -