quinta-feira, 19 de maio de 2022
16.9 C
Vitória

Raul Sampaio, cantor e compositor de “Meu Pequeno Cachoeiro”, morre aos 93 anos

Morreu na noite desta quarta–feira (26) o cantor e compositor de “Meu Pequeno Cachoeiro”, Raul Sampaio, um dos grandes sucessos do seu conterrâneo Roberto Carlos. Ele tinha 93 anos. A causa da morte não foi divulgada.

A música foi celebrada como o hino oficial de Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Espírito Santo, sua cidade natal, em lei de 1966, sancionada pelo então prefeito Abel Santana.

O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, decretou luto oficial de três dias. Em redes sociais, declarou:

“Notícia triste: Raul Sampaio, autor de ‘Meu Pequeno Cachoeiro’, que virou nosso hino, nos deixou essa noite. Tive a alegria de homenageá-lo nos seus 90 anos. Por sua história e amor por Cachoeiro, vamos decretar luto de 3 dias. Viva, Raul! E que Deus console familiares e amigos”.

Raul compôs também os hinos do Cachoeiro Futebol Clube e do Estrela Futebol Clube, times locais.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, também prestou suas condolências:

“Hoje a saudade veio visitar nossos corações. Raul Sampaio, cachoeirense, que tanto enriqueceu a cultura capixaba com suas composições, melodias e poesias, nos deixou. Seus versos e sua memória ficarão eternizados em nossa história. Meu abraço aos seus familiares e amigos”.

Raul Sampaio Cocco nasceu em 6 de julho de 1928 em Cachoeiro de Itapemirim, filho de José Cocco e de Fany Sampaio Cocco. Ele era primo do célebre Sérgio Sampaio, cantor e compositor do clássico “Eu Quero Botar É Meu Bloco Na Rua”.

Dois Valetes e uma Dama

Sua vida artística começou na Rádio ZYL–9 de Cachoeiro de Itapemirim. À época, ele integrava a dupla Dois Valetes, cm Loé Moulin. Muito influenciados pelo Trio de Ouro, adicionaram a prima de Loé, Yolanda, e passaram a assinar como Dois Valetes e Uma Dama.

Em 1949, Raul se mudou para o Rio de Janeiro, onde começou a trabalhar numa loja de instrumentos musicais. Por volta de 1952, passou a integrar uma nova formação do Trio de Ouro, ao lado de Herivelto Martins e Lourdinha Bittencourt (esposa de Nelson Gonçalves).

Essa formação durou até 1979, com o falecimento da cantora. Na década de 1980 fez shows com uma outra formação do Trio de Ouro, com Herivelto Martins e Shirley Dom.

Como compositor, o primeiro registro de Raul Sampaio é de 1950. A música “Aladim”, parceria com Herivelto Martins gravada por Isaura Garcia. Seu primeiro sucesso veio em 1955, “Guarda–Chuva de Pobre”, marchinha gravada pelo grupo Vocalistas Tropicais.

As mais de 200 composições de Raul Sampaio foram gravadas por vários nomes. Além de Roberto Carlos, que celebrizou “Meu Pequeno Cachoeiro”, Erasmo Carlos fez sucesso com “A Carta”.

A recém–falecida cantora Elza Soares gravou “Eu Chorarei Amanhã”. A música “Estou Pensando Em Ti”, gravada com sucesso pela capixaba Maysa, foi também regravada em versão em espanhol pela cantora mexicana Elvira Rio, com o nome de “Estoy Pensando En Ti”.

Caio Diego Rodrigues Nascimento, músico e fã de Sérgio Sampaio, fez em 2014 um “tour sampaiófilo” ao lado de amigos, e lembra de conhecer Raul rapidamente em Marataízes.

“Lembro que o sobrinho dele (também chamado Raul) nos levou na casa dele, e perguntou a respeito de um projeto que ainda não tinha se iniciado. Lembro bem que ao comentar desse projeto, se mostrou bastante ansioso e finalizou o assunto dizendo a seguinte frase ‘vamos adiantar isso, afinal nunca se sabe quando a tempestade pode passar’”.

“Meu Pequeno Cachoeiro”

Raul Sampaio

Eu passo a vida recordando

De tudo quanto aí deixei

Cachoeiro, cachoeiro

Vim pro Rio de Janeiro

Pra voltar e não voltei!

 

Mas te confesso na saudade

As dores que arranjei pra mim

Pois todo o pranto destas mágoas

Ainda irei juntar nas águas

Do teu Itapemirim

 

Meu pequeno cachoeiro

Vivo só pensando em ti

Ai que saudade dessas terras

Entre as serras

Doce terra onde eu nasci!

 

Meu pequeno cachoeiro

Vivo só pensando em ti

Ai que saudade dessas terras

Entre as serras

Doce terra onde eu nasci!

 

Recordo a casa onde eu morava

O muro alto, o laranjal

Meu flambuaiã na primavera

Que bonito que ele era

Dando sombra no quintal

 

A minha escola, a minha rua

Os meus primeiros madrigais

Ai como o pensamento voa

Ao lembrar a terra boa

Coisas que não voltam mais!

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -