domingo, 15 de maio de 2022
26.9 C
Vitória

Assembleia definirá se cobradores de ônibus retornarão ao trabalho

Nesta quinta-feira (27), os rodoviários decidem em assembleia se haverá o retorno dos cobradores ao trabalho nos transportes coletivos da Grande Vitória. Os trabalhadores estão afastados desde 2020, entre os motivos, por conta da pandemia do Coronavírus.

O afastamento dos cobradores de seus postos de trabalho gerou insatisfação entre a categoria. Por isso, o sindicato moveu uma ação na Justiça do Trabalho em favor da categoria.

Na tarde desta quarta (26), um dos diretores do Sindirodoviários, Valdecy Dulcilina Laurindo, explicou que no início desta semana, o Governo do Estado apresentou uma proposta para o retorno da categoria. 

“Nós vamos conversar e deliberar se aceitaremos ou não a proposta do Estado para o retorno dos trabalhadores. O presidente acredita que a proposta é viável, mas a decisão não é da direção do sindicato e sim de todos os trabalhadores. Se os trabalhadores não aceitarem o assunto volta para a justiça”, explicou. 

Em nota, a Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) explicou que o pedido ao sindicato para o retorno desses profissionais às atividades circula desde o final do ano passado e que a decisão na assembleia extraordinária com os rodoviários será judicial. 

“A Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura informa que está acompanhando o processo que está em andamento entre a categoria e as empresas junto ao Tribunal Regional do Trabalho, para definição sobre este assunto.  A Semobi reforça que continua à disposição da categoria para qualquer diálogo sobre o tema.  A proposta para retorno das atividades destes profissionais foi feita no final do ano passado e a Secretaria aguarda o desdobramento da ação que corre na justiça do trabalho“, ressaltou.

Nova adequação na função de cobrador

Mesmo que o cobradores retornem, a proibição de usar o dinheiro como forma de passagem do sistema desde maio de 2020, devido à incidência de contágio da pandemia, e a implantação do CartãoGV permanecem para que haja o embarque de passageiros. 

De acordo com informações da Semobi, será realizada uma adequação do sistema Transcol para validar a importância dos cobradores no interior do transporte coletivo. 

Com o retorno, esses profissionais devem atuar na cobrança de passagem efetuando dentro dos transportes a recarga do CartãoGV, por meio de cartões de crédito ou débito, mas somente nos horários de pico de segunda a sexta-feira.

Relembre o afastamento dos cobradores no sistema Transcol

No dia 17 de maio de 2020, o governador Renato Casagrande anunciou o afastamento dos cobradores e a decisão de impedir o pagamento em dinheiro das passagens para embarcar nos ônibus do sistema Transcol. A mudança tinha como objetivo prevenir e diminuir o contágio pela Covid-19. 

Além disso, o afastamento não significava a demissão desses profissionais. Parte deles seriam compensados com um salário reduzido dado pelo Governo, e, outros cobradores iriam trabalhar durante o período nos postos de vendas do novo mecanismo de pagamento CartãoGV, que passou a circular junto com a decisão.

Após o afastamento, o prazo para o fim da suspensão do serviço dos cobradores era de 60 dias. No entanto, em julho de 2020, o Governo do Estado prorrogou por mais 60 dias, prevendo um retorno da categoria em setembro. Na ocasião, as empresas do sistema Transcol pagavam 30% dos salários e o Estado complementava os 70% restantes.

A prorrogação foi novamente publicada pelo Governo do Espírito Santo em setembro, a partir desse mês, a categoria estaria afastada por mais 60 dias e só iriam retornar em novembro de 2020. O motivo era a proibição do dinheiro como forma de pagamento, e, a utilização do CartãoGV, não sendo necessária a intermediação dos cobradores no interior do transporte coletivo. 

Após novembro de 2020, e todo o ano seguinte, a continuidade de incidência do contágio pela Covid-19 fez com que a suspensão dos cobradores permanecesse por decisão do Governo do Espírito Santo. Durante 2021, uma série de protestos, manifestações e greves de ônibus foram realizados pelo Sindicato dos Rodoviários com o pedido de retorno da categoria aos postos de trabalho.

Em setembro de 2021, a Semobi informou que 47,5% do total de 3200 cobradores do sistema Transcol em 2019, foram requalificados no mercado de trabalho ou promovidos durante o período de suspensão desde maio de 2020. A outra porcentagem optou pela demissão nas empresas que atuavam.

 

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. isso foi uma tentativa de golpe, para acabar com uma categoria quase centenária. Os poderosos, perceberam a reação da sociedade, e resolveram maquiar a decisão, retroagindo em alguns pontos.
    Sou usuário do transporte coletivo, desde sempre. E percebo a importância destes profissionais, no desempenho das atividades. Eles não apenas cobram a passagem. São auxiliares de viagem. Nas curvas perigosas, cruzamentos… dão aquela batidinha com a caneta, avisando o motorista, que a estrada esta livre. E ainda, detectam as pessoas com necessidades especificas, para usarem seus assentos.
    Sou pai de um menino com síndrome de down, e nas indas e vindas para APAE, já presenciei muitos casos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -