sexta-feira, 19 de agosto de 2022
24.9 C
Vitória

[Exclusivo] As circunstâncias e a identidade da criança mineira raptada em 1976 e que pode ser a Clarinha

Na terça-feira (3), o jornal MovNews noticiou com exclusividade que Clarinha – a mulher sem identificação em coma há 21 anos e que vive sob os cuidados médicos da equipe do Hospital da Polícia Militar (HPM), em Vitória – pode ser uma criança mineira sequestrada em Guarapari na década de 70.

Em contato com a irmã dela, Débora São José de Faria, 50, que nos concedeu a informação, fomos atrás da sua breve história. Afinal, quem é essa menina?

Caçula de quatro irmãos, Cecília São José de Faria era a mais acanhada, apesar da pouca idade. A menina não costumava interagir com pessoas fora do seu convívio familiar, seguindo a risca o ditado “não fale com estranhos”. Mas contrariando a sua personalidade, ela teria sido raptada por um desconhecido.

A criança tinha apenas 1 ano e 9 meses quando foi vista pela última vez enquanto brincava de bola com o irmão, em fevereiro de 1976. Na época, a família dela – que é natural de Betim, na região Metropolitana de Belo Horizonte – passava férias em um acampamento privativo do balneário de Guarapari.

Filha de Maria Francisca São José de Faria e Alberto Geraldo São José de Faria, a mãe morreu há dois meses sem um dia sequer ter parado de procurá-la nos últimos 45 anos.

Em abril de 2021, o material genético de Clarinha foi enviado para Minas Gerais onde deveria ser comparado com o DNA dos pais de Cecília. Se o exame tivesse sido feito – segundo irmã, o atraso é em decorrência de defeitos na máquina de sequenciamento -, Maria Francisca poderia ter descoberto da existência e o paradeiro da possível filha antes de falecer.

Jurei para a minha mãe que não vou parar de procurar por Cecília, enquanto eu viver. A nossa esperança está em Deus.

irmã de Cecília

O caso Clarinha

Clarinha, em referência ao nome carinhosamente dado pelo médico que a acompanha durante 20 anos – Jorge Potratz -, é uma mulher de pele e olhos claros e aparenta ter em torno de 41 anos.

Ela reside no Hospital da Polícia Militar, em Vitória, desde que foi transferida do Hospital São Lucas em 2001, também na Capital.

Clarinha, mulher sem identificação e em coma há 21 anos no Hospital da Polícia Militar, em Vitória. Foto: Reprodução | TV MovNews

Devido às sequelas de um atropelamento que custou a sua liberdade, Clarinha ainda convive com um coma de grau 6 na escala de Glasgow, com graves complicações cerebrais – que impactaram inclusive, o reconhecimento das suas impressões digitais – já que ela perdeu o atrito entre os dedos e as mãos estão atrofiadas.

No dia do acidente, ocorrido em 20 de junho de 2000, não foi encontrado nenhum documento que contivesse o seu verdadeiro nome e, desde então, a sua identidade é um mistério.

Contudo, em 2020, uma equipe de papiloscopistas da Força Nacional de Segurança – através de reconstrução e reconhecimento facial e a coleta de papilas dérmicas – encontrou compatibilidade dela com a criança desaparecida em Guarapari.

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES) encaminhou amostras biológicas dela para Minas Gerais para um exame parental que pode identificar Clarinha. Os resultados ainda não foram divulgados e devem sair em até 60 dias, segundo informações da delegada Bianca Landau – concedida a uma emissora da Grande Vitória.

Há indícios ainda de que a mulher também tenha tido um filho – que pode ou não estar vivo – já que possui uma cicatriz de cesária.

- Publicidade -

4 COMENTÁRIOS

  1. Que notícia maravilhosa, se o universo quiser essa família pode ter uma notícia feliz depois de tanto tempo de procura.
    Parabéns, Karen pela notícia e pela incansável procura. E principalmente pela responsabilidade de uma reportagem justa, sincera e também com muita empatia.
    Parabéns ao restante da equipe que está junta com você.Estou torcendo para que vocês consigam desvendar esse mistério!
    Axé Evoé!

  2. bom dia. este caso e muito triste,minha mae trabalhou anos para esta familia,praticamente criou os filha da Dra maria.minlha mae esta tbm ate hj na espera testa bencao. nome da minha mae:ilda maria lopes

  3. Oi Eliane, você pode entrar em contato comigo?
    Meu número é (27)98859-7880. Estou a procura de uma moça com o seu nome e que nasceu em 1974. Se não quiser me ligar. Deixa seu contato que eu retorno. Obrigada 😘

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Relacionados

- Publicidade -