segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024
28.3 C
Vitória

Então é Natal

Como não poderíamos ter um estudo sobre o natal? Uma das épocas mais bonitas e esperada do ano. A cidade toda fica enfeitada, em todo canto vemos luzes adornando as ruas e casas. Tudo muito lindo! E, de fato, era para ser assim! JESUS NASCEU!

Alguns questionam se deveríamos celebrar a data 25 de dezembro como natal alegando que não se sabe ao certo quando Jesus veio ao mundo, nascendo em forma de carne. Sinceramente, ainda que não tenha sido em dezembro, será mesmo que faz alguma diferença? A verdade é: O BEBÊ JESUS NASCEU! Aleluia! Glória a Deus nas alturas! Os anjos finalmente puderam cantar glórias porque o Salvador veio ao mundo para resgatar o que se havia perdido.

A maioria de nós já conhece a história: a virgem Maria se encontrou grávida pelo Espírito Santo e seu futuro marido, José, alertado e orientado pelo anjo, a recebeu como esposa e cuidou dela até que o bebê prometido viesse ao mundo. Emitido um decreto de recenseamento, José e Maria foram a Belém, por ser ele da casa e família de Davi. Chegando lá, com a cidade cheia, não teve lugar em hospedaria e Jesus foi deitado em uma manjedoura quando do seu nascimento. Os pastores viram um exército celestial louvando a Deus e foram adorar o menino que havia nascido. Os magos viram a estrela no Oriente e foram adorá-lo. (Mateus 1: 18-25, Mateus 2:1,10-11, Lucas 2:1-20).

A história narrada é muito simples, mas sobrenatural.

Importante lembrar que o nascimento do REI era uma promessa que já havia sido anunciada pelos profetas. A promessa se cumpriu. (Isaías 9:6,7, Miqueias 5: 2-5a).

Permita-nos repetir: a promessa se cumpriu!!!!!!!

O filho do Deus vivo, o próprio DEUS, não considerou o ser igual a Deus algo que deveria se apegar. Ele se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se semelhante aos seres humanos.  (Filipenses 2:5-11)

Como não celebrar que o próprio Deus se fez carne para viver entre nós e sentir as nossas dores?

Ao longo dos anos alguns hábitos culturais foram sendo incrementados à história do natal: árvores e enfeites de natal, presentes e Papai Noel. Nesse estudo não entraremos no mérito sobre se devemos ou não ter árvore de natal em casa, presentear uns aos outros ou ensinar aos filhos se existe ou não Papai Noel. Nosso anseio é te levar à essência e lhe fazer refletir o que de fato deve ser comemorado.

O essencial é:

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Isaías 9:6

Infelizmente, parece que o essencial não tem sido o suficiente. Cuidado! Não se distraia! Lembre-se que nem sempre as distrações são sujas ou feias, aliás, na maioria das vezes não são. O que normalmente tira nosso foco é atrativo. São culturas que são bonitas e até felizes momentaneamente, mas ofusca o brilho do aniversariante.

Será que a beleza da história do nascimento de Jesus não deve ser o suficiente para atrair nossos corações a nos reunirmos em família e celebrarmos que Deus se esvaziou de si mesmo para vir até nós?

Reconhecer essa atitude de servidão do Rei dos Reis e adorá-lo deve ser o principal tópico do natal. Aproveite o tempo para compartilhar a gratidão em família, demonstre a sinceridade do seu coração em agradecer que Jesus veio ao mundo por nós.

Não perca o foco! Não se distraia!

Confesse essa verdade: Jesus se tornou homem. Essa verdade é suficiente.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp! Basta clicar aqui

- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Relacionados

- Publicidade -